A Abertura da Palavra

Menu

Culto Online Web Rádio

interpretacao_nuvemPor muito tempo tivemos exclusivamente três assuntos chaves, os quais caracterizávamos como pontos doutrinários; unicidade, batismo e profeta. Dentro deste último havia a restauração de tudo. Mulheres pregadoras, Santa Ceia e Lava Pés, vestimentas e outros pequenos pontos que diferenciavam as igrejas da mensagem de uma denominação qualquer.

De acordo com São Lucas capítulo 24, versículo 45, foi necessário que Jesus abrisse o entendimento de seus discípulos, mesmo após uma convivência com Ele de três anos e meio de seu ministério, para então compreenderem as escrituras. Assim nos aconteceu também. Hoje, após termos a compreensão aberta, queremos incluir aqui um tema essencial, vital, imprescindível para a Noiva eleita e o seu rapto; a Abertura da Palavra.

Segundo Atos dos apóstolos capítulo 3, versículo 21, viria um tempo da restauração de tudo, mas que logo após esta restauração o Céu se abriria e o Senhor Jesus Cristo, o que esteve contido, viria à Terra outra vez e cumprindo a Sua Segunda Vinda, só que desta vez de uma forma misteriosa, em um grande segredo.

Jesus Cristo é reconhecido na Bíblia Sagrada, conforme diz o Profeta William Marrion Branham na mensagem O Arrebatamento, pelo nome de três filhos.

Filho do Homem: Deus em uma carne.
Filho de Deus: Espírito Santo durante as eras.
Filho de Davi: O grande Rei no milênio.
Mas, no entre meio de Filho de Deus e Filho de Davi, se manifestaria de novo nos últimos dias o Filho do Homem, cumprindo assim Lucas 17:30. Em várias mensagens o profeta William Marrion Branham mostrou o paralelo entre os dias de Sodoma, os dias de Noé e os dias atuais, o que muitas pessoas conseguem ver e crer, o grande diferencial é ver que ali não havia apenas Ló e os sodomitas (Gênesis 19), havia também Gênesis 18, Abraão (Noiva Eleita) e Elohim (Deus em uma carne humana), e o profeta nos abre os olhos para ver que faltava esta parte da cena atual.

Atos 3:21 se conectaria com I Tessalonicenses 4:16, o mesmo Senhor descendo com Alarido, mas alarido é uma mensagem que sai para redimir o povo, o que, aos olhos naturais, jamais aconteceu, pois Jesus, o nazareno, nunca esteve aqui nos dias modernos, mas aqui há uma tremenda conexão com Apocalipse 10:7 que diz, que nos dias da voz do Sétimo Anjo se cumpriria “O Mistério de Deus”. Qual o maior mistério de Deus? Não é pois a Sua Vinda, o Sétimo Selo? Apocalipse 8:1 é apenas um silêncio? Sim, porém um silêncio no céu, mas na terra o estrondo é tão grande como a voz de sete trovões. Ao tomarmos a mensagem o sexto selo, vemos o profeta associando o sétimo selo à parábola da figueira. A parábola da figueira tem início em 1946 e 1948, onde Israel volta para casa e torna-se outra vez uma nação. Misteriosamente é o mesmo dia em que o Anjo do Senhor está dentro da caverna com o profeta dando uma comissão de um ministério mundial.

Ali em Mateus 24:32 viria o verão (Sol?) Zacarias 14:7 a luz do entardecer, em Malaquias 4:2 para os que temem o nome do Senhor nasceria o sol da justiça. Em Apocalipse 3:14 ao 21 mostra a condição de Laodiceia sem luz alguma, pois Jesus, a luz do mundo (João 1) é posto para fora. Mateus 24:33 ele estava as portas. Tudo isso é vinda e vinda é sétimo selo e sétimo selo é em três partes como disse o profeta no Sexto Selo, falta-nos a voz de Arcanjo ser executada, então subiremos na trombeta de Deus a encontrar o Senhor nos ares.

Se creres verás a Glória de Deus, o segredo oculto, mas revelado nos últimos dias na vida de um pequeno camponês, como comumente costumamos nos referias ao falar do profeta William Marrion Branham. Foi ele Jesus? Não, de forma alguma, mas inegavelmente cumpriu-se a Manifestação do Ministério do Filho do Homem, Deus usando uma carne humana profética.