A Origem Dos Conflitos Na Palestina - Ismael E Isaque: Duas Nações | Assim Está Escrito

Se a interferência de Sarai no plano trouxe a existência uma nação de rebeldes e gerou conflitos que subsistem até hoje, o que uma atitude semelhante poderá fazer em nossas vidas?

Os conflitos ocorrentes entre palestinos e israelenses é um tema bastante debatido na atualidade, mas, embora pareça ser um conflito atual, ele se origina nos tempos bíblicos em que o patriarca Abraão ainda era chamado de Abrão e não tinha filhos.  

No livro de Gênesis, no capítulo 12, Deus disse a Abrão para sair de sua terra e do meio da sua parentela, e ir em busca de uma nova terra. E em prontidão Abrão obedece e sai. No entanto, Abrão tinha uma infelicidade consigo: ‘estava na idade de 75 anos e não tinha filhos’ (em decorrência de ser casado com Sarai que era uma mulher estéril). E ainda nesse capítulo (Gênesis 12), Deus lhe fez a promessa de formar através dele uma grande nação. Mais para a frente, ainda em Gênesis, mas agora no capítulo 15, essa promessa foi reafirmada. Só que dessa vez foi dito a Abrão que o herdeiro que iria possuir todas as bênçãos espirituais e terrenas seria um filho do seu próprio sangue. 

 

Como isso seria possível se Sarai era estéril? 

Pois é. Após receber a promessa de Deus de que teria um filho, Abrão firmou-se nela. Porém, Sarai, sua esposa, com o passar do tempo ficou impaciente e desacreditada por causa dos fatores naturais (a idade e o fato de ser estéril) que evidenciavam a sua impossibilidade. Assim, ela sutilmente traçou um plano em seu coração, que de acordo com seus preceitos “ajudaria/facilitaria” o cumprimento da promessa.

 

Por ventura Deus precisava de ajuda para cumprir Sua promessa?

Não.Todavia, Sarai chamou Agar uma serva egípcia, e a deu por mulher ao seu marido para que através dela eles pudessem ter o tão esperado filho da promessa. Então Abrão tomou Agar por mulher e ela concebeu. Essa união de judeu (Abrão) e egípcio (Agar) deu origem a uma mistura: Ismael. O filho primogênito de Abrão.

E sucedeu que com o passar do tempo Ismael cresceu e começou a mostrar sua verdadeira origem. E como descrito na Bíblia (quando Agar estava grávida de Ismael ela fugiu para o deserto e o anjo do Senhor lhe apareceu dizendo acerca de quem seria o menino que estava em seu ventre, dentre as palavras que foram ditas pelo anjo, ressaltamos nesse estudo: “E ele será homem bravo e a sua mão será contra todos…”Gênesis 16:12), Ismael passou a manifestar interesse nas coisas opostas a seu pai, pois tinha um pensamento carnal e seu dom estava relacionado a ter habilidades com armas. Contudo, embora possuísse todas essas características, Ismael era religioso e devoto.

 

Mas e o filho da promessa?

Alguns anos mais tarde Deus fala a Abrão confirmando-lhe novamente a promessa e então muda o seu nome de Abrão para Abraão. E logo após esses acontecimentos, Elohim, Deus em carne, visita a Abraão dando-lhe a certeza de que seu legítimo herdeiro viria de sua esposa, que passou a chamar-se Sara.  

É importante mencionar que houve dois estágios na vida de Abraão; e em cada um desses estágios Deus lhe permitiu ter um filho, para que ambos os filhos lhe fossem como memoriais. Um detalhe importante aqui, é que o filho de ‘Abrão’ foi Ismael. Já o filho de Abraão, pai das nações, foi Isaque. No primeiro estágio da vida de Abraão, na época Abrão, ele era carnal embora fosse obediente a Deus, e seu filho (Ismael) com a escrava mostrou isso. No segundo momento já como Abraão, ele estava em um nível de separação tal, e não mais tomava decisões pela carne; passou a agir pelo Espírito; e Isaque seu filho com a então Sara, filho esse (cumpridor) da promessa, prova isso.

 

E onde essa explicação nos levará?

Ainda falando de Ismael: quando Isaque nasceu, Ismael (filho de Agar) logo manifestou rivalidade como o anjo disse que seria, e isso fez com que Sara se preocupasse com o futuro do seu filho (Isaque). E pensando na segurança do menino, ela se apressa e conversa com Abraão, dizendo que não seria bom que eles, Ismael e Isaque, crescessem juntos; pois por mais que Ismael fosse o primogênito, a promessa de Deus para Abraão foi cumprida em/para Isaque. E embora Abraão amasse ambos os filhos, Deus o direcionou a separar-se de seu filho mais velho. Isso é descrito em Gênesis 21: 9-21:

 

E viu Sara que o filho de Agar, a egípcia, o qual tinha dado a Abraão, zombava.

E disse a Abraão: Ponha fora esta serva e o seu filho; porque o filho desta serva não herdará com Isaque, meu filho.

E pareceu esta palavra muito má aos olhos de Abraão, por causa de seu filho.

Porém Deus disse a Abraão: Não te pareça mal aos teus olhos acerca do moço e acerca da tua serva; em tudo o que Sara te diz, ouve a sua voz; porque em Isaque será chamada a tua descendência.

Mas também do filho desta serva farei uma nação, porquanto é tua descendência.

Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, e tomou pão e um odre de água e os deu a Agar, pondo-os sobre o seu ombro; também lhe deu o menino e despediu-a; e ela partiu, andando errante no deserto de Berseba.

E consumida a água do odre, lançou o menino debaixo de uma das árvores.

E foi assentar-se em frente, afastando-se à distância de um tiro de arco; porque dizia: Que eu não veja morrer o menino. E assentou-se em frente, e levantou a sua voz, e chorou.

E ouviu Deus a voz do menino, e bradou o anjo de Deus a Agar desde os céus, e disse-lhe: Que tens, Agar? Não temas, porque Deus ouviu a voz do menino desde o lugar onde está.

Ergue-te, levanta o menino e pega-lhe pela mão, porque dele farei uma grande nação.

E abriu-lhe Deus os olhos, e viu um poço de água; e foi encher o odre de água, e deu de beber ao menino.

E era Deus com o menino, que cresceu; e habitou no deserto, e foi flecheiro.

E habitou no deserto de Parã; e sua mãe tomou-lhe mulher da terra do Egito.”

 

E como fica Ismael na história?

Como lemos, o anjo do Senhor profere uma sentença a Isaque dando-lhe toda a herança (no âmbito natural e espiritual), tornando-o o legítimo herdeiro de Abraão. E o mesmo anjo também pronuncia uma sentença a Ismael garantindo que por ser semente de Abrão a sua descendência e nação seriam grandes. 

Ismael habitou no deserto de Parã, tornou-se um arqueiro, casou-se com uma egípcia e gerou filhos. Seus filhos, os ismaelitas, tornaram-se habitantes do deserto e viviam/trabalhavam em caravanas. As afirmações bíblicas para isso estão no livro de Gênesis, capítulo 37, do verso 25 ao verso 28 onde vemos que José é vendido por seus irmãos para uma caravana de ismaelitas e midianitas.  

Além de tornarem-se comerciantes ambulantes do deserto, também se tornaram ladrões ferozes. Isso se deu pelo fato de que os ismaelitas se juntaram com outro povo, os chamados midianitas, os quais tinham por hábito roubar (o profeta William Branham faz menção dos filhos de Ismael como ladrões do deserto, na mensagem ‘A Rainha Do Sul’, no parágrafo 32).

 

E Isaque?

Isaque continuou morando com seu pai e casou-se com Rebeca filha de Betuel, que era sobrinho de Abraão e filho de Naor e Milca. Eles tiveram dois filhos: Esaú e Jacó. Esaú nasceu primogênito, mas vendeu sua primogenitura a Jacó e perdeu todos seus direitos como herdeiro. Porém Jacó, o eleito, após lutar com o anjo teve seu nome mudado de Jacó para Israel, que significa príncipe; herdou todas as bênçãos, casou-se com Léia com quem teve sete filhos e também com Raquel, que lhe deu dois filhos. Além destes, teve mais quatro filhos, dois com Bila (criada de Raquel) e dois com Zilpa (criada de Léia).  De Jacó vieram os doze patriarcas e por consequência as doze tribos que deram origem à nação de Israel.

Obs: É interessante notar que por onde a semente da promessa passou houve a mudança de nomes e de personalidades. Essa mudança começou em Abraão e veio seguindo até chegar Naquele que tem o Nome sobre todo nome, O qual não precisou de intervenções humanas, pois é Perfeito.

 

Quem foram os midianitas?

Os midianitas são descentes de Midiã, que foi um dos sete filhos de Abraão e Quetura. É possível conhecer esse povo quando Moisés matou um egípcio e fugiu para o deserto de Midiã. Lá ele habitou com o sacerdote de Midiã que deu a ele sua filha Zípora em casamento. Os midianitas também adoravam a Deus e tinham os mesmos princípios dos israelitas, o que é compreendido pelo fato de serem descendentes de Abraão. 

 

E onde entram os conflitos sugeridos no tema?

A relação entre judeus (Israelitas) e midianitas seguiu bem até um determinado período. Depois que Moisés (um israelita), ungido pelo Espírito, chamou as dez pragas no Egito, ele, juntamente com o povo partiu para o deserto. Em uma determinada altura da jornada, Jetro, seu sogro, saiu-lhe ao encontro juntamente com Zípora e os filhos de Moisés. Depois de aconselhar Moisés, Jetro tomou seu caminho e retornou à sua terra. 

Mais tarde, quando o povo de Israel precisou passar pela terra de Moabe, os midianitas em aliança uniram-se com os moabitas para fazer oposição a Israel; e desde então, a relação entre israelenses e midianitas não foi tão forte mais.

No tempo em que os juízes julgavam, Israel pecou contra o Senhor com idolatria e Ele os entregou na mão dos midianitas por sete anos. E nestes sete anos eis que eles plantavam e subiam contra eles os midianitas, os amonitas (descendentes de Ló) e todos os que habitavam no oriente como se gafanhotos fossem e roubavam-lhe o trigo. Estes também roubavam os gados, as ovelhas e os jumentos. E dessa maneira o povo de Israel empobreceu mediante os midianitas.

Os povos ismaelitas e midianitas uniram-se através de casamentos. Assim cresceram e desenvolveram-se dando origem à nação dos árabes. E desde que essa união foi feita estes têm disputado a escritura das terras (Israel) que Deus, através de Abraão, deu a Isaque. 

 

Então esses conflitos que atualmente estão acontecendo entre palestinos (árabes) e judeus (israelitas), nada mais é que a disputa entre irmãos pela terra que foi dada a Abraão, com direito de herança à Isaque?

Exatamente. No entanto, antes de morrer, Abraão chamou todos os seus filhos, incluindo os que ele houvera tido com Quetura após a morte de Sara, os presenteou e ainda em vida os despediu de Isaque, enviando-os ao oriente. Logo, cada um recebeu de Abraão a parte da herança que lhe cabia.

 

“E Abraão tomou outra mulher; e o seu nome era Quetura; E deu-lhe à luz Zinrã, Jocsã, Medã, Midiã, Jisbaque e Suá. E Jocsã gerou Seba e Dedã; e os filhos de Dedã foram Assurim, Letusim e Leumim. E os filhos de Midiã foram Efá, Efer, Enoque, Abida e Elda. Estes todos foram filhos de Quetura. Porém Abraão deu tudo o que tinha a Isaque; Mas aos filhos das concubinas que Abraão tinha, deu Abraão presentes e, vivendo ele ainda, despediu-os do seu filho Isaque, enviando-os ao oriente, para a terra oriental.” 

Gênesis 25:1-6

 

Mas porque Abraão separou seus filhos, os irmãos?

O que Abraão fez, separando os filhos das concubinas do filho da promessa, Isaque, foi uma ação concernente ao mundo espiritual, pois se ele tivesse dado as bênçãos de herdeiro para Ismael, o Messias (Jesus) teria que vir de uma nação de rebeldes (ismaelitas) e isso jamais seria aceito por Deus em Seu ‘Plano da Redenção’. Se qualquer um dos filhos das concubinas tivesse herdado a terra e as bênçãos que são tipos referentes ao que estamos herdando espiritualmente hoje, o Plano de Deus seria imperfeito.

 

Quando e como essa disputa se tornou contemporânea?

 

Logo após a diáspora judaica (dispersão obrigatória dos judeus de sua terra natal, Israel, em decorrência de invasões de povos inimigos que os espalharam por todo o mundo), as terras dessa região do oriente (parte de Isaque), foram tomadas pelo Império Otomano (império governado pelos muçulmanos, os árabes), que manteve domínio sobre elas até o ano de 1917, quando os judeus que estavam espalhados por todo o mundo começaram a migrar de volta para a sua terra. Com isso, em 1948 Israel foi reconhecido pela ONU como nação e levantou sua bandeira novamente. Desde então os conflitos entre palestinos e israelenses eclodiram.

 

O que mais podemos observar com esse estudo?

Para muitos a interferência de Sarai é uma atitude compreensível. No entanto, essa “simples” e “inofensiva” interferência deu origem a uma união fora da Palavra, e essa união deu origem a grandes problemas no mundo natural (geopolítico e religioso). E a verdade é que a partir do momento em que tomamos ciência disso, passemos a olhar com mais responsabilidade para as escolhas que fazemos. 

 

Pois, se a interferência de Sarai no plano trouxe a existência uma nação de rebeldes e gerou conflitos que subsistem até hoje, o que uma atitude semelhante poderá fazer em nossas vidas?

 

“O fruto advindo da nossa aceitação das coisas terceiras gera um Ismael (o renegado) em nossas vidas.”

Adquira Conhecimento

Adquira Conhecimento


2 comentários

  • Avatar
    Luiz Carlos Cardoso de oliveira

    05/12/2020 as 10:13

    É um texto completo com explicações que nunca tinha percebido. Deu para entender onde começou essa disputa entre judeus e árabes. Gostei muito.

    Comentar

  • Avatar
    Rafael Lima

    07/12/2020 as 16:09

    Este artigo foi muito esclarecedor para mim. Excelente! Deus abençoe a todos.

    Comentar

Deixe um Comentario

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *


Sobre nós

O Tabernáculo Belo Horizonte, uma congregação cristã, firma-se sobre as bases do Ministério Assim Está Escrito, edificado com a misericórdia e graça de Deus desde 1976, quando o pastor Wanderley Pereira Lemos começou esta tão grande obra nos pilares daquela mensagem, originada do nosso Senhor Jesus, na busca daqueles que O adorem em Espírito e verdade.


[email protected]

31 2513-0657



Newsletter


Categorias