Algemas do Mundo

Menu

Culto Online Web Rádio

Algemas do Mundo


A própria inanição pessoal demonstra um posicionamento de um ser humano, existente de uma vida que detém uma copiosa dinâmica.

            Já é conhecido que não é muito o/um contra-lei que quando fere um estatuto ou uma legislação que necessita  ser corrigido, somente. Destaca também a ausência de atitudes ativas dos corretos, dos sóbrios, daqueles que se julgam defensores de uma convivência agradável, que por alguma razão, deixam passar por alto: não condenam, não denunciam, não se prontificam perante o repugnante.

            O deixar de viver, de realizar ações em prol a um posicionamento mais elevado se enquadra em desistência, ausência de promissora perspectiva de esforço em seu próprio existir.

            É confortante pensar, é o mais correto  de agir o não fazer o que é imoral, o que é errado, abominável, pecaminoso. É confortante pensar, é o mais correto… Mas, não é a completa verdade, não se fecha este círculo de raciocínio diante da oportunidade oferecida hoje de um viver apurado, apropriado. Uma vida isenta das algemas do mundo:

‘…Quando pensam que estão na Rocha e olham para suas vidas e veem que não estão, veem as algemas do mundo,  o desejo, as coisas do mundo ainda pairando sobre eles. Eles sabem que não lançaram fora ainda, a crosta em oração’ Mensagem Deixando Escapar a Pressão, 165

            O fazer, o agir, o testemunhar, o batalhar… Ou seja, uma ação ativa desprendida de um homem é um dos atos mais evolutivos dos seres humanos. Qual sentindo para aquele que se assenta e ouve, se deleita bastante no que leu e até mesmo fala o que conseguiu perceber em seus estudos, se contundo, não se apresenta apto, desejoso em praticar, busca aplicar com toda sua força viver uma vida atuante, progressiva e incansável das boas ações na e da fé? Vivemos uma vida possível, sem cor, insípida caracterizada na recorrente mesmice de ser somente ouvinte e não praticante:

‘Meus irmãos, que aproveito se alguém disser que tem fé e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo?

E, se o irmão ou a irmã estiverem nus e tiverem falta de mantimento cotidiano,

E alguém de vós lhes dizer: Ide em paz, aquentai-vos e fartais-vos;  e lhes não derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí?

Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma.

Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minha obras’ São Tiago 2, 14 a 18.

             Pode traduzir-se as algemas do mundo, onde não necessita-se fazer nada, estar em uma vida e deixá-la passar sem vivê-la, sem ser praticante das verdadeiras Obras. O que qualifica um cristão é a sua constante atitude prestativa, ativa diante de sua jornada aqui na terra.

            Em um dos cultos de evangelismo pregado pelo pastor Wanderley Vilaça, com propriedade sentencia um grande alerta, necessária e perene na vida do eleito:

     ‘Não se tira férias, folga da vida cristã!’

O profeta irmão Branham nos orienta da seguinte forma:

‘…Os cães do inferno estão galopando bem atrás de você, o pecado marcando suas vidas enquanto vocês seguem. Você alega… E se você alega ser um cristão e ainda ama o mundo, se você afirmar ser cristão e ainda não crer na Palavra, isso são os cães do inferno uivando bem atrás de você. Ele te apanhou escondido sob algum credo ou alguma outra coisa no espinheiro, ele pode te pegar ali…’ Mensagem Deixando Escapar a Pressão, 144

            Não se combate as armadilhas e as consequências das algemas do mundo afirmando apenas ser cristão, que conhece parte ou toda a Bíblia, mas, que exerça, viva as Boas Novas, que a intensidade de uma vida predestinada seja constante no cotidiano, nas ações, pensamentos, intenções. Não apenas o ‘Ouça’, mas, também o ‘Ide’. Não um crente estático, cômodo, confortável, ocioso – mas – um cristão que se preocupa e procura se esmerar em sua qualidade de fé, de testemunho, de vida vivida, de persistência, de militância a um constante viver ativo e produtivo diante do Senhor.

            Senhor Este, Jesus Cristo que sempre Se demonstrou atento, atuante desde Sua tenra idade, nas sinagogas, e em todo Seu ministério, não deixando nem mesmo a morte O amedrontar em Seus últimos minutos, no calvário, resgatando as derradeiras forças, ao posicionar nas situações:

‘Em verdade vos digo que hoje estarás comigo no paraíso’ (São Lucas 23, 43)

 

 …Ao oferecer a verdadeira liberdade de vida, a eterna.

‘E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem’ (São Lucas 23,34)

 

…Ofertando perdão aos malfeitores, onde a salvação ali estava sendo tão somente direcionadas a eles mesmos… O Senhor Jesus Cristo, conclui Seu eterno, profícuo, dinâmico e evolutivo ministério como Filho de homem, aqui, prontificando, mesmo diante de sua finitude temporal, assim:

‘E clamando Jesus com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E havendo dito isto, expirou’ (São Lucas 23,46)

 

         Estava feito, uma conclusão com êxito de quem atuou, promoveu, inquietou, libertou, alertou, apontou, curou e salvou. Não se confortou com as indeléveis, cativantes e formidáveis algemas do mundo, onde três delas se destacaram no pináculo do monte. Os santos do passado não se refugiaram em destacados conhecimentos, carreiras profissionais, ascensões sociais e materiais, e ao próprio modesto comportamento em suas histórias na terra: viveram, lutaram, militaram, prontificaram, testemunharam e pregaram o verdadeiro viver cristão!

‘…Senhor, o Senhor vai dar o mesmo céu que deu aos santos do passado a mim?’ (Pastor Wanderley Lemos, pregando em uma Escola Bíblica)

Se foi consumado (e cremos que foi!), porque ficaríamos confortáveis diante das recorrentes algemas do mundo? Prontifique-se! Reage-se! Enfrente-se! Esforça-se! Mova-se!

Redação Assim Está Escrito 

  • Priscilla Carvalho

    Perfeito! Inspirado! Divino! Que o Senhor seja cada dia mais louvado e iminente na vida do escriba deste texto!

  • Jônatas Elias

    Verdade!! ‘Não se tira férias, folga da vida cristã!’
    ‘…Senhor, o Senhor vai dar o mesmo céu que deu aos santos do passado a mim?’
    Reflita!