O que é, na Verdade, Ser Humilde

Menu

Culto Online Web Rádio

O que é, na Verdade, Ser Humilde


Poucas pessoas sabem o que é humildade; uma palavra extremamente difícil de se conceituar, a qual muitos confundem com uma série de boas virtudes, como: simplicidade, gentileza, prestatividade, bondade, educação… Segundo o Dicionário da Língua Portuguesa, humildade é a qualidade de quem age com simplicidade, é uma característica de indivíduos que sabem assumir suas responsabilidades sem prepotência ou arrogância. Se tomássemos apenas isso, nosso conceito sobre essa palavra ficaria raso. Na verdade, essas características estão sim, ligadas a humildade, porém, ser verdadeiramente humilde vai muito além de todas elas. É uma característica de quem alcançou uma das mais altas qualidades do próprio Senhor Jesus Cristo: Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus” (Fp. 2:6).

Podemos começar a entender a Humildade por meio deste tão simples versículo, que a maioria de nós, ao ler, deixa algo muito importante passar por alto: Humildade é não usurpar da posição que temos. Isso em todos os sentidos de nossas vidas. Perceba: Não se APROPRIAR de algo que lhe PERTENCE. Não há humildade em honrar pessoas maiores que nós mesmos, isso se chama reconhecimento, humildade é honrar àquele que tem menos mérito e conhecimento, é ceder a honra ao indivíduo desprovido de posses e posições.

 No Livro Geração, o irmão Billy Paul conta um testemunho de seu pai, William Branham, pelo qual podemos identificar a verdadeira humildade:

“Certo dia um diácono do Tabernáculo Branham, foi até o Profeta e disse: “Que vergonha do senhor, irmão Branham, de você usar óculos, justo o senhor que prega cura divina e, como pode usar óculos? Tenho vergonha de você”.  Aquele homem estava falando com o maior Profeta que já esteve de pé na terra, que tinha em si o próprio Deus, ele poderia ter proferido uma sentença que mataria aquele diácono instantaneamente, porém o que ele fez? Não usurpou de sua posição. Ele tentou o máximo que pode manter aquele irmão afastado dele, para que ele pudesse ser poupado, mas aquele irmão continuou e continuou humilhando ao profeta, e alguns dias depois ele faleceu, sem que o irmão Branham tivesse que dizer uma palavra acerca daquilo.”

O próprio Senhor Jesus nos deixa uma bagagem enorme de exemplos de humildade mostrados em toda sua vida; seja quando arrancavam-lhe a barba e cuspiam em sua face, ou quando lhe pediam para fazer um sinal provando que era Deus, Ele nunca se exaltava, para mostrar seus poderes e capacidades. Mesmo após a multiplicação dos pães, quando buscavam arrebatar-lhe para fazê-lo Rei, Ele se escondia de honrarias e se humilhava, buscando ficar sozinho e longe da vista do público. O próprio Jesus Cristo, no qual habitava toda a plenitude da divindade veio ao mundo em humildade: Ele era o maior, mas foi apenas um bebê envolto em panos, deitado em uma manjedoura!

Se ser cristão é ser como Cristo, como poderíamos sê-lo se não podemos às vezes suportar nossos irmãos tendo um momento de glória, sem requerer para nós, “nossa parte” naquilo? E nos momentos em que temos total razão de brigar, discutir e vencer uma disputa? Preferimos exaltar a nós mesmos ou esperar que a honra venha no tempo determinado por Deus? Pois em Provérbios está escrito:O orgulho do homem o humilha, mas o de espírito humilde obtém honra”.  As vezes não reconhecemos que a humildade é um requisito necessário para alcançarmos o rapto, pois para se achegar diante de Deus é preciso ter reverência, humildade e ação. Ou seja, se você não tem humildade tudo o que você faz pelo reino de Deus não significada nada. Se não soubermos nos portar humildemente diante Dele então estamos correndo um grande risco de ajudarmos na salvação de muitos, pelos nossos feitos, e perder a nossa por causa de presunção.

E quanto a saber aceitar as injúrias que não nos pertencem? Ora! Muitas e muitas vezes não parecemos nem mesmos cristãos. Magoamos uns aos outros e não temos nem mesmo a sensibilidade para reconhecer nossa ofensa, quanto mais não temos a humildade para pedir perdão. Se nem isso conseguimos fazer, como nos humilharíamos e tomaríamos para nós a culpa de nosso próximo em uma briga? Mesmo que as vezes não tenhamos feito por mal, ou não tenhamos sido os principais culpados! Em 1 Pedro vemos que por causa da consciência para com Deus é necessário que soframos agravos, padecendo injustamente. “Porque, que glória será essa, se, pecando, sois esbofeteados e sofreis? Mas se, fazendo o bem, sois afligidos e o sofreis, isso é agradável a Deus.” Ou seja: Se erramos e assumimos nossos erros não há mérito nisso, é apenas nossa obrigação. Mas se o próximo se magoa conosco sem termos culpa, e vamos até ele e nos humilhamos pedindo perdão e reconciliando, temos a nosso favor o respeito de Deus.

 Isso é humildade, isso é cristianismo, “Se a comida escandalizar a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que meu irmão não se escandalize” (1Co. 8:13).  Humildade: abrir mão dos nossos direitos, pois Cristo nos chamou para fora da Era de Laodiceia: “Sai dela Povo meu, e não sejais participantes de suas obras”. Laodiceia significa exatamente “Direito dos Povos” e se saímos verdadeiramente dela nós devemos abrir mãos de nossos direitos para sermos humildes prisioneiros de Cristo; livres da libertinagem de Laodiceia, “Preferindo-vos em honra uns aos outros”.

Humildade. Uma qualidade possível de ser vivida por todos. É uma maneira de apreciar a vida com olhos singelos, buscando mais compreensão do que propriamente explicação. Ausentar-se da autopromoção, da busca do interesse próprio e da aclamação popular se fazem participantes da qualidade do humilde. Ao passo que uma pessoa que se identifica com a humildade, de forma velada auxilia, aconselha e incentiva seu próximo. Com forma sutil de agir, incentiva e alegra com aquele que se sente só, desacreditado, impotente. O humilde cresce junto, não se sente à vontade com o êxito particular, pois ele reconhece aqueles que estão ao seu redor e, inclusive, não se esquece jamais do Seu Remidor, o maior exemplo já registrado na face da terra! Cristo nunca se usurpou ser igual aos homens na terra. Pelo contrário, foi na frente abrindo o caminho e mostrando a todos o como ser humilde. Humilde que era Rei,  que foi o Messias, foi Rabi, foi o maior entre o povo, mas viu na mulher em flagrante adultério uma nova chance de viver, em um homem inculto, a revelação para igreja. É reconhecer sua origem, não desfazer dela e se permitir ser beneficiado pela sua própria biografia. O humilde vê e busca compreender. Não julga, pois a pessoa considerada humilde está no mesmo patamar que seu vizinho, seu irmão. Não impõe uma ideia, ele expõe sua posição. Busca aproximar sentimentos construtivos, equilíbrio no foco de desavenças, e foge do extravagante, do inútil, do corrosivo, da dissensão entre os seus co-iguais. Encanta-se com o simples, é grato e espontâneo.

“Você já observou o trigo crescer? Se você vê um trigo se levantando e apenas se balançando assim, lembra-te não há grão nele. Está vazio. O que tem grão sempre se inclina. E o homem que está cheio, cheio da bondade de Deus e de Sua misericórdia, Ele inclina sua cabeça com humildade. Aquele que se humilha, Deus o exalta. Aquele que se exalta, será humilhado”.

A UNIDADE DE UM DEUS NUMA ÚNICA IGREJA, Parágrafo  112

Redação Assim Está Escrito

  • Renata Sales

    Maravilha! Que Deus abençoe a todos.

  • Jônatas Elias

    Meu Deus! Que palavras maravilhosas! Deu vontade de ler mais vezes….
    Que inspiração! Parabéns!
    ” Humildade. Uma qualidade possível de ser vivida por todos.”