Casamento e Divórcio | Parte 1

Não podemos, jamais, aceitar que alguém faça emendas na Bíblia. A Bíblia não é como a Constituição Federal e as leis do país. Não podemos nos tornar cúmplices do erro; pois se por acaso nos tornarmos também seremos culpados dele.

Leitura Bíblica: Mateus 1:18 ao 25
Mensagens Citadas: Esteja Certo De Deus; Hebreus, Capítulo 7 – 1° Parte

Encontramos no livro de Hebreus escrituras que falam sobre os benefícios do perdão, e também sobre justificação; onde aquele que foi justificado jamais voltará a transgredir por voluntariedade. E antes de falarmos sobre ‘casamento e divórcio’, é preciso falar a respeito de uma realidade na vida da Noiva de Cristo. A Noiva de Cristo jamais passará pelo juízo, porque ela já passou pelo novo nascimento e recebeu através dele, algo que vai muito além do perdão: ‘justificação’; que tem o poder de “lançar no mar do esquecimento” qualquer pecado que uma vez fora cometido por um indivíduo.

Dito isso, é importante sabermos que não há nenhuma outra maneira de obter respostas sobre ‘casamento e divórcio’ além da Mensagem pregada pelo profeta William Branham. É por isso que sobre esse assunto, qualquer pessoa, só pode e deve ser orientada pela Palavra que sai do púlpito; que por sua vez precisa estar baseada na mensagem e na Bíblia.

Logo, se estamos em um ministério que prioriza a Palavra de Deus não podemos ir contra os ensinamentos que “saem da púlpito”. Devemos crer, respeitar e viver o que é ensinado pelos pastores e ministros do ministério o qual cremos ser verdadeiro; pois ‘não será possível estar debaixo da revelação da verdadeira Palavra se nós insistirmos em acreditar nas nossas próprias convicções’. Sendo assim, aquele que porventura estiver enquadrado de alguma forma, em uma ou algumas das questões sobre ‘casamento e divórcio’ devem aceitar o conceito escriturístico e esquecer o seu conceito pessoal.

Nos tempos do profeta surgiu uma falsa doutrina que dizia que o profeta William Branham acreditava no casamento espiritual, porém, o próprio profeta negou ter participação em algo do tipo. Isso porque o casamento é algo físico, que envolve a carne do um homem e da mulher. A parte espiritual do casamento refere-se a encontrar a pessoa que foi predestinada por Deus para cada um; o que quer dizer que o convívio e o relacionamento de um casal no dia a dia deve ser algo espiritual, mas o casamento ‘em si’ é algo físico. Portanto, é inadmissível o conceito que trata do ‘consentimento do divórcio’ usando a desculpa de que ‘A alma do esposo não combina com a alma da esposa’ (ou vice versa).

Ainda sobre o ‘casamento espiritual’ e ‘almas que combinam’, podemos tomar como exemplo Bíblico Moisés, o qual tinha uma esposa cuja a alma não combinava com a dele. Porém ainda assim, ela era uma esposa que tipificava a Palavra em certas ocasiões na vida de Moisés.

O que podemos dizer e é certo, é que o profeta não concordava com o casamento de julgo desigual, pessoas que têm ‘fé diferente’ (Mensagem Esteja Certo de Deus); pois um cristão que se casa com um descrente comete algo maligno aos olhos de Deus (Acabe e Jezabel). Porém isso é algo que deve ser levado em conta antes do casamento; pois depois de casado será assim até que a morte o liberte.

Outro ponto que devemos considerar é que qualquer profecia dada, que seja referente ao assunto casamento e Divórcio, deve sempre passar pelo púlpito e estar enquadrada dentro dos ensinamentos do profeta, já que uma profecia errada pode arruinar a vida de duas pessoas. Na mensagem ‘Hebreus, Capítulo 7, 1° Parte’, a partir do parágrafo 188, o profeta exemplifica isso contando a história de dois casais que receberam uma profecia falando-lhes que deveriam trocar de cônjuges, pois haviam casado errado… Depois de terem feito tal coisa, foram para África como missionários. E o profeta disse que fazendo isso, eles estavam fazendo uma obra para Deus estando totalmente fora da vontade de Deus.

Ainda na mensagem Hebreus, no parágrafo 189 o profeta adverte a todos aqueles que ainda não se casaram dizendo que depois de feito o juramento do casamento, a pessoa ficará presa ao seu juramento (juramento do casamento) até que a morte o liberte. E sendo assim, tal pessoa não poderá casar-se novamente, nem mesmo tendo sido deixado pelo marido ou pela esposa.

Ainda no tema casamento e divórcio, cabe ressaltar que: Não podemos, jamais, aceitar que alguém faça emendas na Bíblia. A Bíblia não é como a Constituição Federal e as leis do país. Não podemos nos tornar cúmplices do erro; pois se por acaso nos tornarmos também seremos culpados dele.

Ainda na mensagem Hebreus, no parágrafo 189 o profeta adverte a todos aqueles que ainda não se casaram dizendo que depois de feito o juramento do casamento, a pessoa ficará presa ao seu juramento (juramento do casamento) até que a morte o liberte. E sendo assim, tal pessoa não poderá casar-se novamente, nem mesmo tendo sido deixado pelo marido ou pela esposa.

Ainda no tema casamento e divórcio, cabe ressaltar que: Não podemos, jamais, aceitar que alguém faça emendas na Bíblia. A Bíblia não é como a Constituição Federal e as leis do país. Não podemos nos tornar cúmplices do erro; pois se por acaso nos tornarmos também seremos culpados dele.

Pr. Wanderley Lemos

Pr. Wanderley Lemos

Um ministério aprovado e vindicado por Deus. Está na presidência do Ministério Assim Está Escrito, trazendo com todo temor e tremor à totalidade da Palavra Aberta. Dando segurança e tranquilidade ao seu povo para que digam: “Nisto nós estamos confiados!”


Deixe um Comentario

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *


Sobre nós

O Tabernáculo Belo Horizonte, uma congregação cristã, firma-se sobre as bases do Ministério Assim Está Escrito, edificado com a misericórdia e graça de Deus desde 1976, quando o pastor Wanderley Pereira Lemos começou esta tão grande obra nos pilares daquela mensagem, originada do nosso Senhor Jesus, na busca daqueles que O adorem em Espírito e verdade.


[email protected]

31 2513-0657



Newsletter


Categorias