Categoria: Ministração da Palavra

5min0

Título: Para Falar No Lugar Do Pai Requer-se: Experiência, Maturidade  E Sabedoria

Leitura Bíblica: Apocalipse 1: 1-16

Mensagens Lidas: Uma Exposição das Sete Eras da Igreja- A Visão de Patmos Págs.38, 97; Ao Nascer do Sol P.11; Hoje Tem Se Cumprido Esta Escritura P.46 e Hebreus Capítulo 4.

 

Em Apocalipse, capítulo 1, do verso 14 ao 16, lemos a descrição que João, o apóstolo, fez do Senhor Jesus Cristo quando ainda estava exilado, por causa da Palavra na Ilha de Patmos: “E a sua cabeça e cabelos eram brancos como lã branca, como a neve, e os seus olhos como chama de fogo; E os seus pés, semelhantes a latão reluzente, como se tivessem sido refinados numa fornalha, e a sua voz como a voz de muitas águas. E ele tinha na sua destra sete estrelas; e da sua boca saía uma aguda espada de dois fios; e o seu rosto era como o sol, quando na sua força resplandece.” Estes são os sete atributos do Senhor e cada um deles têm um significado.

 

Na mensagem ‘Uma Exposição das Sete Eras da Igreja- A Visão de Patmos’, o Profeta nos chama a atenção para o significado dos cabelos brancos como a lã branca. Nesse caso, a brancura dos cabelos não está relacionada à idade, como comumente pensamos, mas, sim, com a autoridade, que está relacionada às perucas utilizadas na antiguidade (e em algumas culturas são utilizadas até os dias atuais) por Juízes da Suprema Corte como símbolo de experiência, maturidade e sabedoria. Ou seja, o Senhor Jesus Cristo se apresentou como o Juiz de toda a terra.

 

Na série de mensagens ‘Adoção’, o Profeta nos explica como funcionava o processo de um filho sendo treinado para assumir o lugar do pai. Mesmo nascendo na posição de filho, ele só podia  falar no lugar do pai após ter passado por cada uma das etapas de preparação, garantindo assim que ele adquiriria a experiência necessária para tomar as atitudes corretas, e assim falar no lugar do pai. Assim aconteceu com o Senhor Jesus Cristo, Ele veio à terra como um homem e precisou enfrentar todas as dificuldades que enfrentamos e vencê-las, para que assim pudesse adquirir experiência e assumir a posição de Juiz de toda a terra. Encontramos nas escrituras que Ele, “Ainda que era filho aprendeu a obediência por aquilo que padeceu.” (Hebreus 5:8).

 

O Senhor Jesus venceu como homem para nos mostrar que também podemos vencer, usando a arma que Ele usou: Sua Palavra. Cada Palavra que recebemos de Deus deve ser bem armazenada para usarmos nos momentos de batalhas. Deus tem uma posição para cada um de nós no Corpo de Cristo, portanto as dificuldades que enfrentamos são treinamentos para que possamos chegar ao patamar necessário e assumir tal posição. Deus quer nos aperfeiçoar e ele faz isso até mesmo nos submetendo a momentos de sofrimento.

 

A igreja está vivendo um período em que sua maturidade está sendo testada e  devemos ser cristãos verdadeiros, em qualquer que seja o lugar que estivermos. Precisamos colocar nossa fé em ação em meio às turbulências pelas quais o mundo tem passado. Tendo a plena confiança de que nossos passos são ordenados pelo Senhor, pois Ele não nos concede uma luta que não possamos suportar. Muitas das nossas aflições são enviadas por Deus para que Ele possa observar qual será nossa atitude diante do problema.

 

Em meio à dificuldade cabe a nós buscar saber qual é o propósito de Deus com esse momento, porque ao mesmo tempo que Ele está  exigindo de nós que usemos as habilidades já adquiridas nos treinamentos passados, Ele está nos treinando para as batalhas que ainda virão.

 

Sejamos sábios para aproveitar os momentos de adversidades como uma oportunidade de crescimento.

5min0

Título: Privilégio da Dupla Recompensa Prometida

Leitura Bíblica: Mateus 19: 25-30; Mateus 20: 1-16

Mensagens Lidas: Apocalipse Capítulo 4 Parte ll P. 120-132; Deus aperfeiçoando Sua Igreja P. 11; A Exposição das Eras; Reconhecendo Seu Dia e Sua Mensagem P. 31; Shalom P. 161-162

 

O povo de Deus sempre depende inteiramente do Espírito Santo, e é por esse motivo que constantemente Ele tem nos ajudado/mantido firmes através do abrir da Palavra, nos trazendo Alimento em um tempo extremamente difícil, provando que Sua Palavra não pode falhar.

 

Em tempos de agitações e aflições, as pessoas do mundo ficam debaixo de um jugo devido presenciarem a falta do Evangelho (Boas Novas). E embora isso esteja acontecendo com o mundo, devemos ser como o Ir. Sambo, citado pelo profeta na mensagem Apocalipse, Capítulo 4 – Parte II, que deixou o jugo da escravidão para estar debaixo de uma Lei que o deu liberdade em todos os aspectos da vida. E é dessa liberdade que precisamos, pois é com essa liberdade que alcançaremos uma ‘Coroa’ de Glória (recompensa incorruptível).

 

Entretanto, para tal, é necessário que entendamos o preço que foi pago pela nossa redenção e que compreendamos que ‘Alguém’ quitou o valor de nossa liberdade por nós. Porque somente depois de alcançarmos tal revelação poderemos começar a usufruir de parte dessa recompensa ainda vivendo neste mundo. Precisamos entender que a conquista da nossa salvação é sem dinheiro e sem preço. É algo que está alicerçado em nossas vidas e não pode ser retirado. Por isso, prossigamos sem que sejamos desencorajados pelas circunstâncias, sempre nos lembrando de que há uma recompensa prometida por Deus para todos os esforços que fazemos para honrar O que temos recebido. E como disse o profeta Ir. Branham, ainda que não houvesse nenhuma recompensa, continuaríamos a querer ser cristãos simplesmente pela vida que Ele nos dá aqui na terra, hoje. Uma vida preenchida por Ele.

 

Há uma dupla recompensa, aqui e no porvir. Há um prêmio para nós, os trabalhadores da hora undécima! E como diz em Mateus, capítulo 19, versículo 30, os derradeiros (nós) precederão os primeiros (os eleitos das eras passadas). Por direito, nós podemos receber o mesmo pagamento que os irmãos que nos precederam nas eras passadas, o que conecta perfeitamente com a parábola dos trabalhadores da hora undécima (Mateus 20:1-16). Por sermos derradeiros, fomos os últimos a ser manifestados pela Palavra, mas por sermos os últimos somos privilegiados/recompensados pelo fato de recebermos toda a plenitude da Palavra, e por termos a Revelação de tudo que aconteceu nas eras passadas e o que sucederá no porvir. E somente os que recebem essa Revelação poderão se salvar, pois nenhum indivíduo receberá fé de rapto fora da total Revelação. Que privilégio! Graças a Deus que nós já A temos. Este é o privilégio da dupla recompensa prometida: termos a Plenitude da Palavra. E o eleito que está recebendo essa promessa hoje, encontra-se em um entroncamento: saindo desse corpo terreno para a eternidade. E nós temos o direito de receber desde as recompensas prometidas aos crentes da primeira era até as prometidas para hoje, pois um cardápio de sete pratos  nos têm sido servido (Apocalipse 2: 7 a Apocalipse 3:21).

 

Portanto, alegremo-nos irmãos, pois somos os legítimos possuidores da herança do Senhor e tomaremos posse do Verdadeiro Reino Inabalável. E lembremo-nos de que não são os noticiários que esclarecem as profecias, mas as profecias que esclarecem esses eventos modernos. Nós sabemos o futuro prometido a nós pelo nosso Senhor, mas já estamos sendo recompensados hoje. Isso nos sustenta e nos mantém firmes.

“Ser cristão é viver aqui, como se aqui não estivesse vivendo.” É estar em paz em momentos de agitação. Que possamos aproveitar do tempo de reclusão no qual estamos passando, para nos aproximar mais de Deus. Estejamos sempre preparados!

6min0

Leitura Bíblica: Efésios 4:22-26

Mensagens Citadas: Necessário Vos É Nascer De Novo; A Personificação Do Cristianismo; A Era De Laodicéia

Nós jamais poderemos obter benefício algum da Palavra se nos aproximarmos d’Ela de forma carnal. Prova disso é que, o profeta relata que quando Nicodemos conversava com Jesus, o fariseu utilizou-se de palavras notórias, porém, Cristo o interrompe rapidamente dizendo: “Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.”. Ou seja, se Nicodemos não nascesse de novo ele não poderia ver (entender) o reino de Deus. Então, Nicodemos pergunta como nascer de novo e Cristo lhe mostra que falando-se de algo terrestre não havia entendido, como Ele poderia falar das celestiais? Nicodemos não havia compreendido a linguagem celestial. 

O Novo Nascimento é tão vital. É a revelação da pessoa de Jesus Cristo a cada um de nós. Ali não existe ninguém entre nós e Deus. Independe de intelecto. Sendo assim, os estudiosos jamais compreenderão o plano de Deus. O plano de Deus é como um projeto: o construtor pode ser bom, mas, se não souber ler não consegue chegar a lugar algum. No entanto, o Novo Nascimento nos traz a capacidade de compreender o Plano para nós. 

A revelação jamais poderá ser enfatizada. Não foi em vão que Cristo questionou aos Seus discípulos sobre quem diziam os homens ser o Filho do Homem. Naquele momento, Cristo também queria saber o que Sua igreja dizia ser Ele. Então, quando Pedro disse que Ele era o Cristo, Ele se alegrou. Alegrou-Se por saber que não havia sido carne e sangue ou algum conhecimento escolar que O havia revelado, mas o Pai que estava no céu. 

Estamos vivendo debaixo de uma mensagem que é um mistério. E o profeta irmão Branham disse que um mistério é algo divinamente revelado, e não pode ficar longe do eleito. Assim, esse mistério não está oculto para nós, somente para o mundo. Deus está comprometido conosco a tal ponto, que enviou o Espírito Santo para habitar em nós. Se o Espírito Santo não estivesse dentro de nós, nós jamais receberíamos a Palavra; mas há uma parte em nós para concordar com a Palavra. 

Quando lemos a Bíblia, a lemos como uma carta endereçada a nós. E o próprio Espírito Santo se encarrega de nos revelar a Verdade. Deus é o Seu próprio intérprete, e Ele quem se encarrega de trazer a Escritura em cumprimento. Quem ensinou para Jesus qual linguagem deveria utilizar na Palavra? Deus, O existente de si mesmo. A mente de Cristo é singular, assim, somente quem tem Sua mente pode entender a Cristo. 

Nós fomos feitos do mesmo material que Deus foi formado: a Palavra, disse o profeta. E a redenção nos alinha à Nova Raça, ao Novo Revestimento e a Nova Roupagem: obra da redenção revelada nesse tempo. Uma obra que não foi revelada para o mundo, mas a nós.

O ministério do profeta é tão glorioso, que ele mostrava a diferença entre o reformador (ajeitar, reformar, prolongar algo) e o restaurador (voltar ao original, de acordo com o projeto do arquiteto). E o profeta não veio reformar, mas, restaurar conforme o pensamento de Deus antes da fundação do mundo. 

Eleição não é algo que as pessoas pensam humanamente. É preciso ter eleição para crer na Palavra. É um assunto entre Deus e cada um de nós, quando Ele nos escolheu. É algo que não dependeu nem do que somos hoje, mas daquilo que Ele tinha em Sua mente antes da fundação do mundo. Portanto, quando o Espírito Santo nos convence ninguém consegue nos convencer do contrário. 

Quando Deus nos dá um novo coração, nós pensamos diferente, com um novo entendimento e com o mesmo sentimento que há em Cristo. Deus nos dá um novo espírito, um novo desejo. E a partir de então, Deus habita em nós e não somos mais nós, mas Cristo vivendo em nós!

5min0

 

 

Título: Tudo Ao Redor Do Cristão É Benefício

Leitura Bíblica: Salmo 103

“Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e tudo o que há em mim bendiga o Seu santo Nome”. Salmos 103:1

Em vários momentos de nossas vidas, Deus permite que passemos por situações que aparentemente não tem proveito nenhum e a única certeza que conseguimos extrair dessas situações, na maioria das vezes, é a fadiga. Mas como filhos de Deus, precisamos entender que até as lutas que enfrentamos nos trarão benefícios. Portanto, como cristãos, é necessário que  sempre saibamos identificar as bênçãos  que Deus coloca ao nosso redor, para que em meio à qualquer situação, possamos  bendizê-Lo.

A misericórdia, a graça, piedade e longanimidade de Deus, são bens distribuídos a nós, que muitas vezes são distribuídos através da palavra de um pastor, ministro, e até mesmo, de algum irmão ou irmã. Por esse motivo, precisamos entender que somos benefícios na vida um do outro. E ao falarmos palavras que edificam trazemos algo da parte de Deus para nossos irmãos. Sabendo disso, é necessário que reflitamos: “Nossas palavras tem beneficiado ou edificado alguém que está desanimado?”

Por termos recebido Jesus em nossas vidas, nós nos tornamos Ele. E por sermos Ele hoje,  na terra, nossas vidas  precisam emanar Seus benefícios.

O verso 7, do Salmo 103, mostra que Deus sempre está atento a nossos caminhos e feitos, porém, mesmos estando ciente de tudo, não nos trata de acordo com os nossos pecados e iniquidades. Isso nos mostra que, mesmo quando não conseguimos bendizê-Lo por estarmos  aflitos por problemas, Ele, com sua imensa graça, afasta de nós as transgressões.

Precisamos entender que até os fatores climáticos, sejam eles: chuva ou  calor, trazem benefícios para nós. Pois, ao enviar ambos, Ele está suprindo as nossas necessidades. E Ele espera que sejamos mais sensíveis a isso.

Em Romanos 8:31, Paulo diz: “Se Deus é por nós, então quem será contra nós?” Tendo a revelação dessa escritura a nosso favor, podemos chegar à conclusão de que, até mesmo, as obras do diabo servem de benefício para nós. Sejam pra nos trazer para mais perto de Deus,  nos corrigir ou para provar a nós mesmos o quanto estamos firmados na Palavra. Devemos estar certos de  que Deus sempre faz as coisas para nos beneficiar.

Ao contar acerca da mãe águia que causou desconforto em seus filhotes ao tirar  a pele macia de coelho que abrandava os efeitos dos galhos e espinhos do ninho, o profeta William Branham explica que  só fazendo daquela maneira, ela conseguiria instigá-los  à voar. Assim é conosco. Determinadas situações da vida é Deus tirando o nosso conforto para que os espinhos nos cause  o desejo de alçar voo.

Mantenhamos sempre em mente: Ele veio à terra e nos deu Sua vida como benefício para que pudéssemos carregar a Palavra hoje, tendo a consciência de que esse é o maior benefício que Ele pode nos dar. Mesmo que Ele nos encha de benesses naturais, como: saúde, prosperidade e bens, a maior contribuição de Deus na vida de um eleito é a Eternidade, na promessa de um novo corpo, um novo céu e uma nova terra. Por esse motivo, até mesmo a morte, não pode   separar-nos do amor de Deus, pois,  até mesmo ela, significa uma benção.

“Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?” (Romanos 8:35) O que pode nos separar de Cristo, sendo que mesmo as coisas consideradas ruins, nos vêm  somente  para nos trazer mais benefícios? Mesmo em todas essas coisas podemos dizer: “Somos mais que vencedores”!


Sobre nós

O Tabernáculo Belo Horizonte, uma congregação cristã, firma-se sobre as bases do Ministério Assim Está Escrito, edificado com a misericórdia e graça de Deus desde 1976, quando o pastor Wanderley Pereira Lemos começou esta tão grande obra nos pilares daquela mensagem, originada do nosso Senhor Jesus, na busca daqueles que O adorem em Espírito e verdade.


[email protected]

31 2513-0657



Newsletter


Categorias