Deus Está Morrendo! | Assim Está Escrito

Em um tempo tão complexo como o tal, tenhamos sobriedade, conhecimento e discernimento acerca dos eventos que têm acontecido. Tenhamos mais diligência ao falarmos uns dos outros, pois falar de alguém quando ele não está por perto, é tão fácil quanto se esconder no escuro. É fácil falar de alguém e fugir enquanto aquela pessoa está de costas para você e lutando no front de batalha.

Ao ler o título deste artigo, no primeiro momento, pode ser que tenha te causado um sentimento de estranheza e, até mesmo, um certo incômodo. Por sinal, este pode até ser o motivo que te instigou a ler.

E sendo você um crente, é provável, e perfeitamente compreensível, que você já até tenha bons argumentos para desconstruir a alegação que há por detrás da exclamação desse título, na tentativa de provar para si mesmo que ao dizer que “Deus está morrendo”, o autor está cometendo um erro. Entretanto, não é um erro, “Deus está morrendo!”.

Já que a morte de Deus está sendo afirmada, você talvez perguntaria: “Mas como é que Ele está morrendo?”.

Para começarmos a falar sobre isso, é substancial saber que não estamos falando de uma morte literal, trata-se de uma morte circunstancial. Circunstancialmente, Deus tem morrido para as pessoas e nas pessoas. Mas, como isso é possível?

Pregando a mensagem ‘Eu Acuso Esta Geração Por Crucificar A Cristo Novamente’, o profeta William Branham nos explica que hoje, a crucificação do Senhor Jesus Cristo não se dá por uma ação física, mas pela invalidação da Palavra na vida das pessoas. Ou seja, a invalidação da Palavra, na vida do crente, crucifica o Senhor Jesus outra vez.  E vale dizer que essa invalidação não é propriamente rechaçar as Escrituras que evidenciam a Mensagem da hora.

Talvez não tenhamos desacreditado de Hebreus 13:8 e Marcos 16 como aquelas pessoas fizeram nos dias do profeta William Branham. Entretanto, pode ser que nossas próprias palavras contra um irmão estejam invalidando a ação da Palavra de Deus em nossas vidas. Pode ser que nossa ‘língua’ esteja impedindo a Palavra de se manifestar em nós. E sob essa circunstância, crendo na Própria Palavra de Deus, muitos cristãos serão surpreendidos por estarem fazendo parte da crucificação do Senhor Jesus Cristo.

Falar maliciosamente de alguém, não seria uma forma de invalidar a Palavra e crucificar o Senhor Jesus Cristo novamente?

As pessoas O têm ferido profundamente! Elas O têm transpassado outra vez!

“Muitos cristãos estão ‘assassinando’ o Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, ao levantarem falso testemunho contra o próximo!”. Palavras maliciosas, de sentido danoso e irreversível têm sido lançadas e repercutidas na quarta dimensão. Entretanto, cada uma delas será cobrada.

As palavras são vivas e depois de ditas perpetuam como ondas de rádio, e exatamente como disse o profeta William Branham, elas nos aguardarão e nos encontrarão no dia do juízo; e neste dia elas terão que ser justificadas.

Agora, analisando as palavras que temos dito, respondamos:

A audácia, a coragem que temos tido, a nossa irresponsabilidade ao falar palavras friamente calculadas, terão o mesmo peso que elas parecem ter agora. E sendo assim, elas serão suficientes no dia do juízo? Vale a pena dizer certas coisas?

Nós não sabemos qual será o dia em que Deus irá requerer de nós nosso fôlego de vida. E para alguns de nós, o dia do juízo pode ser daqui a um minuto.

Irmãos, pelo amor que temos à nossa alma, tomemos cuidado com o que temos falado uns dos outros! Como indivíduos, nós somos os únicos que temos o poder de “matar Jesus Cristo” novamente (invalidar as ações d’Ele nas nossas vidas). Porém, como cristãos, não cabe a nós fazê-lo, deixemos isso para as pessoas que estão no contexto mundano!

Em um tempo tão complexo como o tal, tenhamos sobriedade, conhecimento e discernimento acerca dos eventos que têm acontecido. Tenhamos mais diligência ao falarmos uns dos outros, pois falar de alguém quando ele não está por perto, é tão fácil quanto se esconder no escuro. É fácil falar de alguém e fugir enquanto aquela pessoa está de costas para você e lutando no front de batalha.

Não deixemos que a ausência e a reclusão sejam a nossa mãe e nos defina como filhos covardes.

A Palavra da Hora (a Mensagem do Sétimo Anjo) nos define e nos identifica como sendo “A Voz Final”. Entretanto, como Noiva do Senhor Jesus Cristo, somos “A Voz Final” para o quê? Para anunciar mentiras, intrigas e fofocas? Certamente que não. Há um propósito maior por trás da expressão: “A Noiva é a Voz Final”.

Deveríamos nos empenhar mais para alcançarmos o real propósito que há em sermos “A Voz Final” e nos lembrar de que o Espírito Santo está nas pessoas!

“Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens.

E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro.”

São Mateus 12:31 e 32

O autor afirma: ‘Deus tem morrido!’ No entanto, o objetivo não é acusar, mas, te fazer avaliar se Deus está morrendo na sua na minha vida”. Pense!

Um comentário

  • Avatar
    Alessandra Policarpo Marques Zebral

    29/03/2021 as 21:22

    Deus tenha misericórdia de nós

    Comentar

Deixe um Comentario

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *


Sobre nós

O Tabernáculo Belo Horizonte, uma congregação cristã, firma-se sobre as bases do Ministério Assim Está Escrito, edificado com a misericórdia e graça de Deus desde 1976, quando o pastor Wanderley Pereira Lemos começou esta tão grande obra nos pilares daquela mensagem, originada do nosso Senhor Jesus, na busca daqueles que O adorem em Espírito e verdade.


[email protected]

31 2513-0657