Em Comemoração a Tricentésima Edição Do Programa Assim Está Escrito

Em Comemoração a Tricentésima Edição Do Programa Assim Está Escrito

AEE EntrevistaAEE Entrevista06/03/202038min0
Entrevista com os Ministros e parte técnica da Produção revela histórias e emoções de trezentas sextas-feiras de trabalho na transmissão do Programa Assim Está Escrito.
Entrevista com os Ministros e Parte Técnica da Produção revela histórias e emoções de trezentas sextas-feiras de trabalho na transmissão do Programa Assim Está Escrito

O Programa Assim Está Escrito, exibiu nesta sexta-feira, dia 06 de fevereiro de 2020, sua tricentésima apresentação. E esse Programa, que atualmente conta com a participação de dois apresentadores (pastores e/ou ministros), já contou com a participação de obreiros de diferentes localidades e ministérios. A primeira apresentação do Programa foi exibida no dia 09 de agosto de 2013, portanto, completa agora em 2020, sete anos de exibição.

É evidente que no período contínuo de trezentas sextas-feiras, muito conhecimento e aprendizado acerca da Palavra foi adquirido. Mas, visto que a abrangência do Programa é ampla, dizer que apenas esse objetivo foi alcançado seria uma atitude modesta. Porque além de conhecimento, inventários de histórias foram construídos, emoções tocaram corações, lições foram aprendidas e muitos testemunhos foram dados. E toda essa trajetória será detalhada na entrevista a seguir.

Como surgiu o desejo para a criação do Programa Assim Está escrito?

“O verdadeiro propósito do programa, foi obter um tempo para explicar à igreja as novidades recém enxergadas na Palavra. Em 2013, havíamos abraçado de fato a Abertura da Palavra e precisávamos de um tempo para explicar à igreja as novidades. Até então, haviam apenas os cultos de terça, quinta e de escola dominical. Então surgiu este projeto do pastor Wanderley Lemos para obter mais um tempo para detalhar e fazer estudos sobre o assunto.”

Pastor Wanderley Vilaça

Nos primeiros programas foram abordadas temáticas relacionadas à Abertura da Palavra; pontos mais difíceis de serem entendidos e que poderiam gerar controvérsias se não fossem devidamente esclarecidos. A primeira edição do programa teve por título: “A Era Acabou?”. Antes do início do Programa Assim Está Escrito, já existia um programa do ministério através do Rádio, “A Palavra Original”, porém, esse programa tinha um viés evangelístico, e serviu de inspiração para a elaboração de um programa com questões voltadas para a Abertura da Palavra.

Uma consideração acerca da diferença existente entre falar em um programa e falar no púlpito:

“Um programa é diferente de quando estamos no púlpito pregando, é mais possível e mais viável de parar e conversar. O próprio modelo de apresentação de dois ou mais ministros conversando propicia a oportunidade de um deles se comportar como a “igreja” fazendo perguntas e buscando saber algo, e ao mesmo tempo poder acrescentar à resposta que foi dada.”

Pastor Wanderley Vilaça

Apesar de ser transmitido publicamente à todas as localidades, e até então, abordar um tema novo, o Programa Assim Está Escrito não foi criado para atingir igrejas de outros pastores e nem causar desentendimento com nenhum grupo:

“Do fundo de nossos corações, este sentimento nunca existiu, nunca pensamos em atingir outras igrejas, no entanto, muitas pessoas nos enviavam testemunhos dizendo que através do programa eles conseguiram captar essa visão”.

Pastor Wanderley Vilaça

Qual o sentimento de estar completando a tricentésima edição do programa?

Um sentimento de dever cumprido. Acredito que criamos um jargão para a abertura do programa: ‘É sempre um prazer ter companheirismo em torno da Palavra’. Mas qual prazer? O prazer de estar ajudando alguém. Porém, já é comprovado que a melhor forma de aprender algo é ensinando. Então enquanto nós estamos ali no programa falando, pode dar a visão de que nós estejamos ensinando, porém, estamos aprendendo também, várias vezes nós tiramos a meditação para o próximo culto do programa. É um sentimento de prazer por causa do companheirismo em torno da Palavra, mas também é um sentimento de aprendizado a cada programa apresentado. É um degrau a mais alcançado na vida espiritual.”

Pastor Wanderley Vilaça

Os assuntos tratados no programa são previamente planejados entre os participantes?

“A princípio todos os ministros vinham para o programa, sendo eu (Pastor Wanderley Vilaça), Pastor Wanderley Lemos e o ministro Samuel (atualmente pastor em Goiânia), depois os outros ministros que foram chegando passaram a vir junto também. Mas o pastor Lemos e ministros perceberam e concordaram que quanto menos ministros participam, melhor flui o assunto, sendo melhor para quem assiste.”

Pastor Wanderley Vilaça

Atualmente o programa AEE é apresentado em dupla ou trio, e isso é decidido de acordo com a disponibilidade de cada participante. Após certo período de exibição do programa, percebeu-se que a presença de todos os ministros em todos as transmissões do programa poderia estar tirando o único tempo dos ministros estarem com suas famílias, já que, o Min. Sérgio e Min. Fernando trabalham secularmente e geralmente estão muito envolvidos com os cultos de terças e quintas-feiras em Belo Horizonte, às quartas-feiras nas Congregações; aos sábados, muitas vezes nos cultos de evangelismo e domingo nos dois cultos (Escola Bíblica Dominical e nas Congregações).

Deste modo, a decisão dos temas é feita por aqueles que fazem a apresentação do programa, cerca de uma hora de antecedência da apresentação do programa. Após a definição do assunto, são encontrados parágrafos e mensagens para apresentarmos o tema à audiência.

Obs: Em alguns casos os assuntos são propostos durante a semana.

“Algumas vezes até o tema dos cultos de quinta foram mais explorados durante o programa. Durante um tempo, o programa foi utilizado para expandir mais o assunto que era pregado na quinta. Em muitas oportunidades também, o Estudo das Sete Eras da Igreja e dos Sete Selos acabavam produzindo um assunto. Na hora do estudo a leitura é feita de uma forma mais específica. Quando o profeta cita algo ali, disso era tirado um tema para que fosse desenvolvido um pouco mais os dados daquele tema que o profeta cita na mensagem. Nós sempre pensamos, dependendo da importância do tema, que foi pouco tempo dado para tratar daquele assunto e há mais o que explorar, em questão de benefícios para a igreja e para quem assiste e até mesmo para nós mesmos”.

Ministro Adelson

“Todo pregador sempre possui uma meditação em mente, por isso as vezes eu ligo para o irmão Adelson e pergunto: Tem algum assunto? Se ele tiver quando nós nos encontramos nós vamos em busca de amparo para aquele tema.”

Pastor Wanderley Vilaça

Pergunta a um integrante da Equipe Técnica do Programa AEE:
Você já teve alguma experiência com Deus em relação ao programa?

“Quando comecei a ajudar, não havia nem mesmo concluído o Ensino Médio. Fiquei em uma rotina de estudo e idas ao programa. Diversas vezes enfrentei chuvas, desisti de passeios e diversos momentos que poderia estar em companheirismo com irmãos, em troca de sacrificar este tempo para Deus. Em resposta, Deus me elevou em nível espiritual, e aprendi desde assuntos Celestiais à uma vida cristã pura e verdadeira. Essa foi a maior experiência com Deus que tive e estou tendo a cada vez que vou ao programa.

Além do crescimento espiritual, Deus tem me sustentado em situações e realizações de sonhos que sei que não seria capaz de realizar sozinho. Hoje tenho um lar cristão e uma esposa e filha que me acompanham todas as sextas em que vamos transmitir o Programa AEE. Sinto que ali é o lugar que Deus me colocou para contribuir dentro do Corpo e assim, ajudar a alcançar lares e até mesmo almas que ainda não foram salvas. É um grande privilégio!”

Marcos Mesquita

Perguntas direcionadas ao Min. Adelson Santos:
O senhor lembra quando foi seu primeiro programa? Qual foi a sensação?

“Eu não lembro a data, mas a ocasião sim. Na impossibilidade do pastor Samuel, como do pastor Vilaça e do pastor Wanderley de não estar no programa foi solicitado ao irmão Fernando fazer o programa, e nesta ocasião, que eu fizesse junto com ele também.”

Assim na impossibilidade de comparecimento dos ministros e pastores “titulares” do programa, o Min. Fernando era solicitado para que ajudasse na apresentação do programa. Após algum tempo o Min. Adelson, naquela época ainda um diácono, também foi solicitado a contribuir com sua participação. Sendo assim, o Min. Adelson Santos teve sua primeira participação no Programa AEE, no dia 19 de junho de 2015.

“Eu me lembro que neste programa, um pouco antes, talvez na hora do almoço, eu comecei a sentir nos meus olhos tipo uma alergia, mas eu já tinha dado a palavra que viria ao irmão Fernando e aquela alergia nos meus olhos começou a piorar. Eu me lembro que quando eu vim para o programa meus olhos estavam um pouco inchados como se fosse uma conjuntivite ou algo assim. Já estava começando inchar e naquela ocasião foi meu primeiro programa, o irmão Fernando estava tratando o assunto e nós sempre, sempre ficamos bem nervosos naquela primeira oportunidade de estar falando diante das câmeras.”

Ministro Adelson Santos

O que o programa representou/representa para o senhor?

“Para mim representa um crescimento espiritual, um crescimento como pessoa e crescimento ministerial também. Ao longo de muito tempo depois da primeira oportunidade que me foi dada, a próxima oportunidade foi no Centésimo programa”.

O Ministro Adelson, fez sua participação na programação especial de comemoração ao Centésimo Programa, no dia 02 de outubro de 2015. Foi um programa em que os pastores Wanderley Vilaça, Wanderley Lemos e Samuel Alves estavam como titulares e ao lado deles foi disponibilizada uma cadeira para fazer um revezamento entre aqueles que já haviam participado do programa em algum momento.

“Eu me lembro que tentei me esconder para que o pastor Vilaça não me visse, pois eu não queria estar lá, a gente fica meio assim né?! Antes que eu fosse chamado o irmão Fernando estava naquela cadeira e quando ele saiu eu me assentei. Depois de um tempo eu fiquei sabendo que o pastor Wanderley Lemos naquela ocasião, quando me assentei do lado dele, teve um sentimento ao meu respeito referente ao ministério(…)”

“Foi ali que ele desejou que eu estivesse mais próximo do ministério. Ainda demorou um tempo, mas ele começou a me observar mais de perto a partir daquele programa”

“(…) eu me recordo que comecei a participar com uma frequência maior dos programas e em muitas oportunidades eu me assentei ali junto com o pastor Vilaça, o pastor Wanderley Lemos e o pastor Samuel. Muitas vezes fiquei só ouvindo, falava alguma coisa esporadicamente, mas ficava ouvindo. Com isso eu fui vendo e aprendendo a maneira deles se desenvolverem”.

Ministro Adelson Santos

Uma consideração do Ministro Fernando:

“Tenho a exata lembrança de quando fui convidado para participar pela primeira vez da apresentação do Programa. Falar da Palavra de Deus é uma oportunidade gloriosa, mas sabemos da responsabilidade que isso envolve. Então, desde o primeiro Programa, tenho o sentimento de reconhecer o peso da responsabilidade de tentar ser o mais claro possível naquilo que será falado, para que o entendimento dos assuntos seja alcançado de forma vivificada pelo Espírito Santo.”

Alguns dos testemunhos relacionados ao Programa AEE
Sabemos que muitas coisas acontecem nos “bastidores” do programa, o senhor já recebeu algum testemunho a respeito de algum irmão que foi ajudado pelo programa?

“Houveram alguns, muitas pessoas nos falam: ‘aprendi com tal programa, com aquele assunto’. Quando vamos falar de testemunho geralmente vem a cura, porque ela é tida por nós como sobrenatural embora o aprendizado também seja sobrenatural.

Nós tivemos numa ocasião um irmão que estava internado no CTI da cardiologia e o coração dele estava com apenas 26% de funcionamento. Então a filha dele me ligou exatamente no momento que nós íamos começar o programa perguntando se eu poderia ir lá orar pelo seu pai.

Eu disse: Posso! Quando eu falei posso eu já pensei na dificuldade do trânsito neste horário de mais ou menos 19 horas e o horário de visita era as 20 horas. Mas eu disse a ela que iria.”

Pastor Wanderley Vilaça

Nesta ocasião, estando quase na região central de Belo Horizonte (onde o tabernáculo está localizado), às 19 horas, era quase impossível que o Pastor Wanderley Vilaça chegasse a tempo, visto que a localidade do Hospital é na divisa da cidade de Nova Lima e que o horário de fazer visitas, naquela ocasião, era às 20 horas. Mas, como ele disse que iria, ele designou o Min. Adelson e o Min. Fernando para apresentar o programa, enquanto saía apressado para orar pelo o irmão seguindo pelas seguintes Avenidas: Antônio Carlos, Anel Rodoviário e pela Via do Minério (três vias que estão continuamente congestionadas).

“Quando eu consegui romper a Avenida Antônio Carlos e entrei no Anel Rodoviário me veio uma escritura: ‘levantai mãos santas’. Neste momento eu levantei minhas mãos em direção ao para-brisa do carro, que era o caminho, e eu disse: ‘Senhor eu preciso orar pelo meu irmão, abre meu caminho.’.”

Pastor Wanderley Vilaça

Em I Timóteo capítulo 2, verso 8, diz: “Quero, pois, que os homens orem em todo lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda.” E foi exatamente por essa escritura que o Pastor Wanderley Vilaça conseguiu chegar ao hospital, no horário aproximado de 19h e 20min, faltando ainda mais de 30 minutos para o horário de visita do Hospital iniciar-se.

“Quando cheguei, o porteiro disse: “pode sentar, porque não está na hora. Neste momento eu comecei a glorificar a Deus e tive a certeza que Ele faria algo pelo irmão.

Aquela foi a única visita que o irmão recebeu. Quando eu entrei ele estava no último box e quando me viu disse: ‘Meu pastor!’, e começou a chorar. Então eu corri, segurei na mão dele e o tranquilizei. Aí ele me abraçou, me beijou e continuava chorando… assim nós oramos e vim embora, quando eu cheguei o programa já havia acabado. Poucos dias depois o irmão estava em casa com o coração bom pois foi curado”.

Pastor Wanderley Vilaça

De acordo com o Min. Adelson, essa grande experiência deu origem à meditação para a pregação de um culto:

“Essa experiência desencadeou uma meditação para um culto voltado para essa questão: ‘Levantai Mãos Santas’.”

“Usar aquilo que Deus nos deu, não só nós, como obreiros, mas a própria Igreja. Aquilo que aconteceu com o profeta é o que nos inspira, é o que acontece conosco. Isso deve inspirar a Igreja também, como algo já citado nas pregações: ‘eu vou usar isso e assim foi’.”

Pastor Wanderley Vilaça

Relacionado aos programas mais recentes, temos a experiência da irmã Ester Evangelista, que veio através deste tema: “Como Adquirir Cura?”, sugerido pelo Min. Adelson. Quando essa citação foi feita durante um programa, os ministros não sabiam que a irmã Ester estava enferma e muito menos que ela estava ouvindo o programa.

“Eu sei que ela creu naquilo, ela estava com uma enfermidade, estava com o corpo completamente tomado por uma alergia, que é até uma doença autoimune, que afeta o psicológico, e entra em crise quando se passa por algum abalo.

Então quando o irmão Adelson fez essa citação, ela disse: ‘Senhor então eu vou ser curada hoje’, ela ficou com aquilo no coração, que Deus iria curá-la, e orou. Só que passados alguns dias, a família me pediu para fazer uma visita, e eu fui lá. Ela estava frustrada consigo mesma porque ela havia orado, e sentiu uma direção de fazer aquilo, achou que aquela palavra era pra ela. Mas quando ela tomou a Palavra e orou a respeito, a enfermidade piorou. Ela não descreu de Deus, mas começou descrer de si mesma e queria que eu fosse lá para ajudá-la a encontrar algum possível erro e me contou essa história.”

Pastor Wanderley Vilaça

Durante a visita à irmã Ester, o pastor Wanderley Vilaça se lembrou de outro episódio que teve com uma certa irmã (irmã Lúcia, esposa do irmão Amadeu da Paraíba) que pediu oração. Nessa oração o pastor se sentiu dirigido a orar matando um câncer, sendo que ninguém nem mesmo sabia que ali existia um câncer.

“Após a oração o irmão Amadeu disse assim: ‘o pastor falou sobre câncer?’ – Eu disse: ‘Sim, mas eu simplesmente senti a direção de Deus’, ele respondeu: ‘É porque um dos médicos disse que poderia ser um câncer, ela estava com alguns machucados na cabeça, uns caroços nos pés’ – Eu respondi: ‘Seja o que for, está morto. Eu saí e fui embora’.”

Após algum tempo a irmã Lúcia voltou ao médico e fez uma biópsia. Na biópsia descobriram que aquilo era um câncer e quando o médico deu aquela notícia, gerou um abalo, sendo que eles voltaram à igreja e pediram oração novamente por aquilo.

“Aí eu disse: ‘não irmã, eu não vou orar porque nós já oramos’. E quando eu dei essa resposta, eu percebi que ela se abateu, e ela estava saindo bem entristecida, eu percebi que precisava elevar a fé dela. Então chamei ela de volta e falei: ‘irmã eu não vou orar por aquilo porque aquilo está morto, mas eu vou orar pela fé da senhora”

Depois da oração o casal se foi e nunca mais falaram nada a respeito disso.

“Algumas vezes eu procurei observá-la para ver se tinha algum machucado ou uma ferida e não vi. Quatro meses depois dessa oração eu estava chegando na Igreja eles dois estavam no corredor me esperando e eu lembro das palavras do irmão Amadeu que foi assim: ‘oh homem de Deus, o médico disse que quer conhecer o senhor’ – Eu disse: ‘o médico? Por que?’. Aí ele disse: ‘porque o laudo saiu como câncer morto e o médico disse que não sabia como isso aconteceu, então eu contei que foi uma oração, ele que queria conhecer este homem que mata câncer’. Eu disse a ele: ‘é só ele conhecer Jesus Cristo porque somente Jesus pode fazer isso’.”

Então o pastor Vilaça contou essa experiência para a irmã Ester e disse que oraria para Deus aumentar a fé dela, assim como havia feito para a irmã Lúcia. Isso aconteceu em uma terça-feira.

“Quando foi na quarta feira eu recebi uma mensagem da irmã dela agradecendo porque depois daquela oração ela já havia melhorado muito e no domingo ela já estava no culto muito bem. Eu penso que na segunda ou terça ela receberia um medicamento que o governo liberou muito caro, importado. Mas antes desse remédio eu creio que Deus entrou em cena”.

Pastor Wanderley Vilaça

“São coisas que vem de uma meditação de um programa, captado por alguém com fé em necessidade que desenhou uma cura que nós podemos chamar de um Milagre de Deus.”

Pastor Wanderley Vilaça

Por fim, qual palavra vocês deixariam para os irmãos que nos acompanharam até este tricentésimo programa?

Pastor Wanderley Vilaça:

“Penso que: continuar. Porque só podemos chegar a um número expressivo se não desistirmos; ‘aquele que perseverar até o fim será salvo’. Tudo que nós formos fazer, tudo que nós empreendemos, se nós desanimarmos na dificuldade, nunca chegaremos em nenhum ponto desejável, em nenhum conceito de realização de sucesso. Por isso é necessário continuar; espiritualmente falando. Na própria vida secular há muitas pessoas que começam muitas coisas, mas pouco projetos chegam ao final e poucas coisas são mantidas. Eu creio que no caso do programa aqui nós temos nossas dificuldades, barreiras, mas nós temos procurado manter, e temos mantido! E eu creio, não porque o programa é nosso, mas nós temos de certa forma crescido. Crescido como? De uma forma meteórica? Não! Eu creio que tudo que é de Deus cresce no seu tempo.

Você nunca encontra uma árvore hoje com uma semente e amanhã já produzindo frutos, ela tem todo um processo. As coisas de Deus eu penso que é dessa forma e o programa eu creio também que, embora nunca tenhamos deixado o perfil dele, mas nós sabemos que crescemos.

Nós recebemos palavras de ministros de fora admirando a nossa harmonia e nossa condição de conversar sobre a Palavra, sabemos que não fazemos um programa de certa forma com assuntos tão profundos, emblemáticos, digamos assim; não são temas dentro da linguagem da internet que “bombam”, mas nunca foi nosso intento, creio que não será. Mas creio que vêm crescendo dentro de uma normalidade, eu penso que a palavra que fica para as pessoas é que continue, sujeite-se ao tempo de Deus para crescer e se manter dentro do tempo de Deus.

Haverá tempestades, vendavais, dificuldades, problemas, mas nada disso é impedimento, isso tudo contribui para o crescimento. Nada pode crescer se não houver base, e o profeta nos mostra que a base das árvores são as raízes, e elas precisam de problemas para penetrar ainda mais na terra, quanto mais profunda ela pode ir, mais ela tem sustentação para crescer.

Nós vemos agora no tempo de chuva em Belo Horizonte, quando cai as árvores, elas estão com as raízes para cima, isso quer dizer que as raízes se expandiram de forma horizontal, mas não tinham profundidade. Cresceu uma copa muito grande, que é o próprio segredo da queda.”

Ministro Adelson:

“Há muitos anos atrás eu li o profeta irmão Branham falando algo, eu tomo pra mim e penso que serve para todos nós que servimos a Deus. O irmão Branham fala da necessidade de nós aproveitarmos a oportunidade de estarmos ouvindo a Palavra para nos enchermos dela, quer seja no programa ou acompanhando os cultos ao vivo ou às vezes até muito tempo depois. Devemos aproveitar a oportunidade para nos enchermos porque este é o propósito da pregação da Palavra; ‘é encher as nossas vidas com a Palavra, porque é assim que nos tornamos a própria Palavra’. Na medida que você se alimenta, você se torna aquilo que está comendo. Então ficam essas palavras: ‘que as pessoas aproveitem a oportunidade e quando se assentarem para ouvir algo a respeito da Palavra, encham-se ao máximo.’

O profeta irmão Branham fala assim ‘ extraia o máximo que você puder da Palavra enquanto você estiver assentado ouvindo porque chegará um momento quando será impedido que essa Palavra chegue’. Então se você tiver extraído da Palavra o suficiente para ter forças, você não vai precisar ouvir mais, só vai precisar colocar em funcionamento aquilo que já está ali dentro, que foi armazenado ao longo de um período. Então aproveite todas as oportunidades para se encher mais com a Palavra!”

Ministro Fernando:

“Deixo registrado o sentimento de gratidão a Deus pela oportunidade de poder fazer parte desta ocasião, agradecendo também ao corpo ministerial e a nossos preciosos irmãos que têm nos acompanhado nessa trajetória, sabendo que o nosso objetivo é utilizar de todas as ferramentas possíveis para que esta Mensagem alcance o coração dos eleitos e que cheguemos à fé perfeita para o rapto.”


Nós da Mídia Assim Está Escrito esperamos que essa entrevista possa ajudar a você, irmão e irmã, que está firme conosco nessa caminhada, procurando viver o mais íntegro possível, de acordo com o que a Palavra de Deus nos recomenda. Deixamos um agradecimento especial àqueles que tão amavelmente nos acompanharam em todas as trezentas sextas-feiras fornecendo encorajamento para que pudéssemos continuar firmes nessa obra. Que Deus vos abençoe! Nós, aqui, recomeçamos agora mais uma parte dessa longa história, segundo os moldes de Colossenses 3:23, fazendo a obra de todo nosso coração, como fazendo ao Senhor, e não aos homens.

“Então, nós não viemos para fazer sucesso, não viemos para demonstrar grandeza. Nós viemos para trabalhar e ajudar. Eu penso que as dificuldades foram nos dando raízes mais profundas. Se Deus quiser chegar ao milésimo, chegaremos. Se não, estamos na vontade de Deus”

Pastor Wanderley Vilaça

AEE Entrevista

AEE Entrevista


Deixe um Comentario

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *


Sobre nós

O Tabernáculo Belo Horizonte, uma congregação cristã, firma-se sobre as bases do Ministério Assim Está Escrito, edificado com a misericórdia e graça de Deus desde 1976, quando o pastor Wanderley Pereira Lemos começou esta tão grande obra nos pilares daquela mensagem, originada do nosso Senhor Jesus, na busca daqueles que O adorem em Espírito e verdade.


[email protected]

31 2513-0657



Newsletter


Categorias