IV Família: A Manifestação dos Filhos de Deus

Menu

Culto Online Web Rádio

IV Família: A Manifestação dos Filhos de Deus

faMILIA4SITEOK


Aos Romanos 8:19 lemos que a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus. O que é uma manifestação? É quando algo escondido se faz conhecido e é revelado! Por isso o profeta irmão Branham nos ensina que Deus cumpre Sua Palavra trazendo-a a cumprimento. Havia uma promessa escriturística dizendo que haveria um tempo em que os filhos de Deus seriam manifestados, e este é o tempo, como vemos na Mensagem “Adoção: Mistério Predestinado de Sua vontade”:

“19 Diga-me, meu irmão, diga-me, minha irmã, quando foi a vez que os filhos de Deus eram para ser manifestos fora deste tempo agora? Quando houve alguma vez um tempo na história, que eles manifestaram o tempo para resgatar toda a natureza? A natureza, a natureza ela mesma está gemendo, esperando pelo tempo da manifestação. Porque, antes que o pacto fosse feito, antes do Espírito Santo ser alguma vez derramado, todo o – todo o Velho Testamento, até lá embaixo, lá não poderia ter tido uma manifestação. Isto teve que esperar até este tempo. Agora todas as coisas têm sido trazidas, chegando, afinando até a pedra principal, para a manifestação dos filhos de Deus voltando, e o Espírito de Deus entrando neste homem, de uma maneira perfeita, até que… seu ministério será tão parecido com o de Cristo até que isto O unirá e sua Igreja junto.”

Há tempo para todas as coisas, diz a Escritura. Podemos ver então que, antes do Livro de Redenção ser aberto, os filhos de Deus não poderiam se manifestar para exercer todos os direitos dos filhos à imagem completa da Palavra. Durante as eras da igreja, os santos viveram com a luz que tinham para o dia e cumpriram o propósito de Deus, mas não tinham a plenitude da revelação da Palavra de Deus. Por isso, sabemos que os santos desejaram viver o nosso tempo, pois eles sabiam que seria o dia mais glorioso. Este é o tempo em que os Selos foram abertos e os nomes dos filhos foram chamados à manifestação para exercerem os direitos conquistados por nós pelo Cordeiro. É o tempo em que os selos de nossas próprias vidas estão sendo revelados.

O profeta pregou uma série de 5 mensagens tendo como foco a Adoção: 1ª Paralelo de Efésios com Josué; 2º Manifestação dos Filhos de Deus; 3ª Posição no Corpo de Cristo; 4ª Mistério Predestinado de Sua Vontade; e 5ª A Ele Ouvi. Podemos claramente compreender que Deus, por meio do profeta, estava chamando a atenção de sua família para um tema tão afeto aos filhos de Deus, nesta era efesiana prometida do tempo do fim, em que o Alfa e o Ômega fechariam o elo da igreja neotestamentária. Quando o apóstolo Paulo escreveu à igreja de Éfeso, que o profeta irmão Branham fala que era uma igreja modelo e madura, em que as profundezas de Deus podiam ser servidas no cardápio espiritual, ele fala para um povo já assentado em lugares celestiais e que podiam ser posicionados para compreender a posição de filhos de Deus: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo; Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade.” Efésios 1:3-5

Em São Mateus 17 vemos a cerimônia de adoção do Filho de Deus, quando o Senhor Jesus Cristo é conduzido pelo Pai a um alto monte e leva consigo três testemunhas da terra (Pedro, Tiago e João ou a fé, a esperança e o amor) e o Pai exclama em alta voz a respeito de Jesus, na presença de Elias (representando os profetas) e Moisés (representando a Lei): “este é o meu Filho amado, a Ele ouvi.” Ali Jesus estava resplandecendo, pois o Pai já o havia vestido com o manto da imortalidade e os discípulos O viram já glorificado. Por isso, Jesus recomendou aos discípulos que não contassem aquela experiência a ninguém até que Ele ressuscitasse. Antes da adoção, porém, vemos que Aquele Filho havia ido ao deserto para ser tentado pelo diabo e havia sido fiel à Palavra, só fazendo aquilo que via o Pai fazer. Por isso, cada uma de suas ações eram sustentadas. Em Gálatas 4, falando sobre adoção, notamos o apóstolo Paulo dizendo que o tempo em que o herdeiro (filho) é menino em nada difere do servo, ainda que seja senhor de tudo, porque está debaixo de tutores e curadores até o tempo determinado pelo Pai. Mas, o tutor (Espírito Santo) ensina o filho a vontade do Pai, envia testes, para que o filho possa cada dia expressar os potenciais do Pai que já se encontram dentro de si e chegue, enfim, à maturidade de ser à imagem do Pai. Então, há uma cerimônia e o Pai reveste o filho de autoridade, para que fale em seu lugar. A partir de então, quem vê o filho estará vendo o pai. A palavra do filho se torna a palavra do pai. Esta é a manifestação do filho! Assim, podemos compreender o porquê de toda a criação desejar ardentemente que os filhos de Deus reassumam sua posição, para que ela própria seja governada, após também ser redimida, pelos filhos redimidos.

Na Mensagem “A Brecha”, o profeta nos conta de uma experiência em que subiu a um alto monte, em 1963, para consultar a Deus a respeito da visão que tivera sobre os anjos e as explosões, quando então a espada do Rei (A Palavra) caiu em suas mãos:

09 – Agora, eu subi no Cânion e eu escalei o caminho tão alto quanto eu pude ir. E eu — eu — eu perguntei ao Senhor, enquanto estava assentado lá em cima, o que significava tudo aquilo e assim por diante. Parecia que eu estava aborrecido e não sabia exatamente o que fazer.

10 – E então, enquanto eu estava orando, uma coisa estranha aconteceu. Eu — eu — eu quero ser honesto. Agora, pode ser que eu tenha dormido. Isto pode ter sido uma espécie de um transe, ou isto pode ter sido uma — uma — uma visão. Eu estou mais ou menos inclinado a crer que tenha sido uma visão. Tanto que eu tinha minhas mãos estendidas, dizendo: “Senhor, o que aquela explosão significa? E o que aqueles sete Anjos numa constelação em forma de — de pirâmide, que me levantaram do chão e me viraram para a direção leste, o que significa aquilo?”

11 – Eu permanecia ali, em oração e algo aconteceu. E, agora, alguma coisa caiu em minha mão. E eu sei, se vocês não entendem as coisas espirituais, isto pode parecer muito estranho. Mas alguma coisa tocou minha mão. E, quando eu olhei, era uma espada. E o cabo era feito de pérolas, as pérolas mais lindas que eu já vi. E a — a proteção, vocês sabem, onde… Eu acho, que é para proteger suas mãos de serem atingidas, vocês sabem, enquanto você está… as — a pessoas estivessem duelando; era de ouro. E a lâmina do sabre não era muito comprida, mas ela era uma navalha afiada; e ela era de prata reluzente. E ela era a coisa mais linda que eu já vi. Ela se encaixava exatamente em minha mão. E eu a estava segurando. Eu disse: “Não é linda?” Eu olhei para ela. E eu pensei: “Mas, vocês sabem, eu sempre tive medo de uma espada.” Eu estava contente por ter vivido fora dos dias em que eles as usavam, porque eu — eu tenho medo de uma lâmina. E por isso eu — eu pensei: “O que faria eu com isso?”

12 – E enquanto a segurava, em minha mão, uma voz de algum lugar disse: “Essa é a espada do Rei.” E então aquilo me deixou.

Na Mensagem “Um em Um milhão”, o próprio irmão Branham, posteriormente, já em 1965, explica melhor essa experiência e relata que o Senhor mesmo lhe disse, quando a espada apareceu em suas mãos, que aquelas visões sobre os anjos e as explosões não eram sua morte, que aquela espada era a Palavra e que os Sete Selos seriam abertos (parágrafos 13 ao 22). Sabemos, portanto, que havia chegado o tempo em que a Palavra retornaria às mãos dos filhos de Deus, pois a obra de redenção havia sido completada (o preço havia sido pago e agora Ele estava requerendo sua possessão). Se, antes, quando Adão caiu, por não ter vivido de toda a Palavra, os querubins tiveram que guardar o acesso à Árvore da Vida, agora aquela Árvore da Vida é dada ao vencedor que pode viver de toda a Palavra. Como diz o profeta: “a espada inflamada do querubim guardião foi embainhada. Mas não foi embainhada antes que sua lâmina ficasse ensangüentada com o sangue do Cordeiro.” Também no Livro “A Exposição das Sete Eras da Igreja”, página 89, diz: “E agora a estes Filhos de Deus, que vencem por Ele, é dado o privilégio do paraíso de Deus, e a constante comunhão de Jesus Cristo. Nunca mais haverá qualquer separação Dele. Aonde Ele for, Sua noiva irá. O que é Seu, Ele compartilha com Seus amados numa relação de co-herdeiros. As coisas secretas serão reveladas. As coisas obscuras serão aclaradas. Conheceremos como somos conhecidos. E seremos como Ele. Esta é a herança do vencedor que venceu pelo sangue do Cordeiro e a Palavra de testemunho de Jesus Cristo.”

Na Mensagem “Amnésia Espiritual”, o irmão Branham nos conta algo que reflete o que tem ocorrido neste tempo de manifestação dos filhos de Deus, em que nossa amnésia tem sido tirada quando vemos a face de nosso Pai:

“74 Observem. Um soldado francês…Eles tinham um punhado de soldados no exército, e eles tiveram esta amnésia, foi através de um choque na batalha. E eles tinham um programa. E eles – eles chamaram e deixaram as pessoas que tinham perdido seus amados chamarem e ver se elas podiam identificar aqueles rapazes. Não havia esperança para eles, talvez um ou dois ali captava isto. E então eles levaram o restante deles; eles iam colocá-los em um sanatório, onde eles teriam que ficar pelo resto de suas vidas. Eles estavam subindo ao lado da colina, o trem levando, e eles pararam em uma estação, deixaram os rapazes descer para esticarem suas pernas. E os guardas subiram em uma colina para vigiá-los, porque, com amnésia, ora, eles – eles tinham que vigiá-los.

75 Então eles observaram um jovem sujeito ali. Ele saiu e começou a olhar ao redor para o tanque de água, olhou ao redor de toda colina. Ele esfregou sua face, e estudou, e ele olhou novamente; e ele viu aquele tanque de água. Ele olhou ao redor de toda a estação e ele começou a andar. Em vez do guarda pará-lo, ele o seguiu. Ele subiu até a colina, desceu por uma estradinha, virou a direita, e subiu em outra pequena colina e chegou em pequena cabana de madeira. Ele olhou. Saindo pelo alpendre um velho homem com uma bengala em sua mão saiu, colocou seus braços ao redor dele, disse: “Meu filho, eu sabia que você retornaria. Eles me disseram que você estava morto, mas eu sabia que você retornaria.” E o rapaz voltou a si. Sua amnésia o havia deixado. Ele pôde identificar quem ele era. Ele sabia que aquele era seu pai.”

Aqueles que são influenciados pelo mundo, pela ordem natural do cosmo, pensam que ter uma posição social alta aos olhos da sociedade é algo grande ou ter bastante recurso financeiro ou mesmo ter a sabedoria deste mundo. Mas Deus não chamou isso de grande. Não foi em vão que o apóstolo João, quando retornou da ilha de Patmos e viu todo Apocalipse, escrevendo aos eleitos, ele diz (I João 3:1-2): “Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não nos conhece; porque não o conhece a ele. Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos.” Ele, Cristo, a Palavra, tem se manifestado e mostrado a nós como somos conhecidos: somos sua família, carne de sua carne e ossos de seus ossos! Não estamos mais vendo por enigmas, por sombras, mas vendo Cristo face a face, porque Ele é revelado em Sua própria Palavra, e o que é perfeito chegou!

 

Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.
E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou.
Romanos 8:29-30

Fernando Alves 
  • Tiago José

    ‘Por isso, sabemos que os santos desejaram viver o nosso tempo, pois eles sabiam que seria o dia mais glorioso. Este é o tempo em que os Selos foram abertos e os nomes dos filhos foram chamados à manifestação para exercerem os direitos conquistados por nós pelo Cordeiro..’: Uma família que exerce a manifestação dos filhos de Deus!!! Louvado seja o Senhor!

  • Assim Está Escrito

    Verdade Ir. Tiago!