Unidade – Um Corpo Saudável: O papel de cada um no Corpo de Cristo

Menu

Culto Online Web Rádio

Unidade – Um Corpo Saudável: O papel de cada um no Corpo de Cristo


Cada filho em sua própria passagem nesta terra encontra-se diante de papéis a serem exercidos. Na vivência natural, uma única pessoa usufrui diferentes tipos de papéis, dependendo do contexto vivido. Por exemplo, em um transporte público, usuário; em um hospital, paciente; em uma biblioteca, leitor; nos níveis governamentais quanto à responsabilidade fiscal, contribuinte; no supermercado, um freguês e assim por diante. Embora exerça uma espécie de função diferente, é a mesma pessoa. Não se altera sua estrutura, sua forma de ser. É uma mesma unidade.

Nas Obras do Altíssimo, há diferentes papéis que são exercidos diariamente. A função do pastor, dos diáconos, dos voluntários. É imprescindível o conhecimento, o respeito e a responsabilidade de cada membro, de sua posição no corpo de Cristo. Uma ovelha nunca deixa de oferecer lã. O pastor nunca dormita se não for à porta. Ao voluntário, sempre persiste a qualidade de sua espontaneidade, compromisso. Orientou-nos, com riqueza de intensidade, o pastor Wanderley Vilaça, em um culto, que aquele que presta um serviço voluntário na Obra do Senhor com presteza, obedece a um chamado!

À função de cada operador, de cada responsável pelos papéis no corpo de Cristo, somam a conjuntura, os esforços de uma unidade. Não unicidade, unidade! A dinâmica movimenta a mecânica de um organismo que funcione em seu pleno desenvolvimento.

Unidade é a qualidade ou estado de ser um, único. A qualidade de ser uno, de não poder ser dividido. Ação coletiva orientada para um mesmo fim. Coesão, união. Qualidade do que é um. Já unicidade conceitua-se como a qualidade ou estado de ser único, singularidade.

Em sua carta dirigida aos Efésios, o apóstolo São Paulo, desejando o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério e edificação do corpo de Cristo nos fala que Ele, Deus, deu uns para apóstolo, outros para profetas, outros para evangelistas, outros para pastores, e doutores.

Perguntaram ao irmão Branham qual a função do ministério quíntuplo de Efésios. O profeta responde(1)  que Deus despeja Sua energia em cada um deles. Ainda, reforça(2) que cada uma destas pedras são materiais Daquele (Deus). Cada uma destas virtudes pertence a Ele e são derramadas Dele através dos demais. Todos os ministérios se integram a unidade da fé. Nenhum deles são independentes, antes, são interdependentes. Os dons não são inferiores ou superiores uns aos outros. São cinco ministérios de atuação no corpo.

Desta forma, como função interdependentes, cada um com sua importante contribuição, os dons se demonstram analogicamente a um membro fundamental ao corpo humano: a mão.
O polegar representa mais apropriadamente o apóstolo. O polegar não está em oposição ou sobre os outros dedos. Está designado a completar a mão para sua plena função e poder. O indicador é referido como aquele que aponta. O profeta tem o ministério de revelação e unção que aponta o caminho para o corpo de Cristo. O indicador também é o que está mais próximo ao polegar. O profeta e o apóstolo têm o relacionamento de trabalho mais próximo na mão ministerial do corpo de Cristo. O dedo médio é o que mais se alonga na mão. É o ministério que mais se estende a evangelização do mundo. Está no meio de toda atividade da mão. O dedo anelar, onde os anéis de noivados e casamentos são colocados, símbolo de compromisso e fidelidade. O pastor está compromissado com a igreja, cuidando da noiva de Cristo, pastoreando, ensinando, intercedendo pelas ovelhas, se doando. O pastor não realiza sua tarefa solitariamente, necessitando dos outros cinco ministérios funcionando para que ele tenha tempo e disponibilidade para o cuidado das ovelhas. O dedo mínimo relaciona ao mestre, que provê o equilíbrio à mão. O ensino da Palavra de Deus, detalhe sobre detalhe, preceito sobre preceito é algo necessário para à igreja. O mestre é um membro vital do ministério da mão de Cristo.

Há um nobre trabalho realizado na igreja, ou mesmo, nas igrejas que oferece uma enorme contribuição nas tradicionais atividades presentes de que uma organização, ou sociedade possui. Aos voluntários – que para se caracterizarem como tais (sinta-se um ao ler este estudo) se faz necessário duas principais qualidades, a saber, disponibilidade e vontade/interesse – somam bastantes benefícios onde, por exemplo, o ministério local não possui acessibilidade disponível. Nas áreas técnicas, segurança patrimonial, conhecimentos diversos entre outros aspectos são realizados, muitas vezes, por irmãos e irmãs que se disponibilizam seus tempos e capacidades na obra de uma igreja. Cada componente de cada setor possui sua respeitável contribuição, não se fazendo mais ou menos importante na atuação de cada um. Todos destacam com suas responsabilidades. Ninguém sabe mais, ninguém nunca deixou de conhecer algo. São todos importantes naquilo que fazem! Quando um cooperador deixa seu posto de dever (singularidade) todo conjunto padece, ou se apresenta ineficiente. É um trabalho consequente, dinâmico, cooperativo. Embora seja possível múltiplas funções por um, ou poucos voluntários em uma determinada atividade, não necessariamente se torna sustentável, viável, produtivo. Pode depara-se com sobrecarga e a qualidade se faz deficiente. Ao contrário, voluntários que prezam pelo compromisso contínuo, responsabilidade constante, atribuindo suas qualidades e capacidades dentro dos seus limites, auxiliando com seus conhecimentos para o necessário envolvimento e desenvolvimento natural da obra, traduz em sua essência a coesão, união. Ação coletiva orientada para um mesmo fim: o bom andamento de um corpo, um organismo, uma dinâmica, um corpo saudável.

Nas palavras do nosso profeta, a qualidade de extrairmos um exemplo da natureza, do natural e aplicarmos ao espiritual, denomina-se tipologia: utiliza tipos que sempre nos sobressai aos olhos naturais, conectando ao nível do espírito, do sobrenatural. O profeta irmão Branham era e se considerava um tipologista. E sempre apontou com maestria suas abordagens, atingindo completamente seus objetivos.

Por tipologia, ou, o natural tipificando o espiritual, observamos um dos mais precisos exemplos: nós mesmos, ou seja, o próprio corpo humano. Cada órgão possui sua particular função, sua importante contribuição. O simples fato de um membro inferior ‘desejar’ ser um membro superior, além de ser impossível, desorganiza, gera imperfeição, tumultua. Por tumulto, referente ao ajuntamento de células, gera deformação, acúmulo de células contrárias, que trabalham contra o organismo humano. A este processo chamamos de tumor. Tumor que geralmente inicia como benigno, e quando despercebido, origina um tumor maligno, câncer. Ao mesmo tempo, um corpo sem um determinado órgão não possui funcionalidade em sua totalidade: Sobrecarrega, limita.

Além da importância de cada órgão no corpo, suas funções são fundamentais, necessárias para um desenvolvimento perfeito. O fígado possui enzimas muito diferentes da tireoide. A pele – maior órgão integrante do sistema tegumentar – possui a propriedade de proteger o próprio corpo, e ao mesmo tempo, é permeável e absorve substâncias, difere totalmente das terminações nervosas dos neurônios, do sistema nervoso, responsáveis pelas sinapses, condutoras de impulsos nervosos de uma célula para outra. O coração, com início de batimento desde a sexta semana de gestação, nunca reclamou de sua atribuição, assim como os rins, jamais tirou férias como o responsável pela filtragem do sangue de substâncias do organismo; salvo por comprometimento decorrido de má formação, ou enfermidade.

Tudo em seu lugar, com suas determinadas funções. Cada profeta teve sua mensagem. Em cada era houve um atalaia. Cada mensagem teve seu efeito. Cada peça possui sua funcionalidade específica, responsável por atividade singular.

Se não há uma unidade no corpo, há uma desordem. Não há sincronia, sintonia, não se vive, vegeta. Isto, sim, é unicidade, cada um trabalha por si, sem proximidade, ausente de auxílio mútuo, solitário.

Todo aquele que vai à Cristo, de maneira nenhuma será lançado fora, possuirá suas atribuições. Reconhecerá sua filiação, contribuirá com sua parte neste espaço terreno chamado tempo. Uma unidade onde todos trabalham e gozam juntos, favorecendo um saudável Corpo, a Sua Amada, Sua incontestável Noiva terral da qual nunca Se arrependeu de sempre lhe referir como Sua esposa. É função sua fazer deste Corpo cada dia mais benfazejo, independentemente de qual dom possui em sua história de vida que Deus te responsabilizou em realizar!

Notas: 

(1)Mensagem Deus Guarda Sua Palavra (15/01/1957), parágrafo 90.

(2)Mensagem Estatura de Um Homem Perfeito, parágrafo 56.

Redação Assim Está Escrito