Identidade Virtual | Assim Está Escrito

Como é ser identificado somente por aquilo que queremos que as pessoas vejam? Bom, por certo, é um "luxo" que muitos de nós nos damos.

Ultimamente, podemos perceber que, na maioria das vezes, a nossa personalidade nas redes sociais é uma espécie de máscara (virtual ‘make-up’) ‘maquiagem virtual’. Sorrimos quando não queremos sorrir, respondemos mensagens com emoção quando por dentro não estamos sentindo nada daquilo. Estamos vivendo num tempo em que os emojis se tornaram as nossas expressões faciais. Não é mesmo?

Entenda agora o motivo pelo qual essas ações se tornaram tão naturais.

1- O que é  identidade?

A identidade é a soma de características que definem, individualizam e distinguem uma coisa ou uma pessoa.

2- Pelo que somos identificados?

Na vida real, somos identificados pela nossa personalidade. A personalidade é algo que, como humanos, todos temos em comum, mas não é igual em todos. E por que isso acontece? Isso acontece porque a personalidade é uma das características pessoais que determina a individualidade, que identifica e distingue uma pessoa de outra.

Como nossa personalidade forma nosso caráter, existem alguns fatores que também acabam se tornando meios de identificação; também somos identificados através das nossas:

  • Ações, que são a objetividade concretizada, com a qual expomos aquilo que desejamos que as pessoas vejam;
  • Decisões, que são as escolhas que fazemos;
  • Atitudes/propósitos, que é a subjetividade e predisposição já pertencentes a nós, isto é, as atitudes são o reflexo da intenção dos pensamentos que dispomos antes de ter uma ação condizente com tal pensamento ou não. Exemplo:

Quando um indivíduo mata alguém, obviamente ele teve uma ação (ele agiu), porém, quando ele não mata, desejando, premeditando, fazê-lo em seus pensamentos, ele tem/teve uma atitude. A atitude é a ação que pode não ter, mas decide ter.

E é exatamente por isso que somos cobrados por Deus: por nossos pensamentos. Os nossos pensamentos são as nossas verdadeiras atitudes, eles são tudo aquilo que realmente faríamos se as condições externas não nos submetessem a punições e constrangimentos.

Para Deus, são os nossos propósitos internos que valem! Confira:

Ouvistes que foi dito aos antigos: “Não matarás; mas quem assassinar estará sujeito a juízo”. Eu, porém, vos digo que qualquer que se irar contra seu irmão estará sujeito a juízo […].”

Mateus 5:21 e 22 a.

 O Anjo do Senhor disse ao profeta William Branham: “”[…] Tu deves dizer a eles que seus pensamentos falam mais alto nos céus do que suas palavras”.”.  [SOBRENATURAL: A Vida de William Branham, Livro Dois: O Jovem e Seu Desespero (1933 – 1946), Pág. 186.]

3- No mundo virtual é mais fácil omitir grande parte de nossa realidade pessoal vivenciada diariamente. O que nos define no mundo virtual? 

 Você já se perguntou o que te define no mundo virtual? No mundo onde você publica apenas aquilo que deseja que as pessoas vejam acerca de você (o que em muitos casos, acaba não sendo tão fiel a realidade)? O que te define no mundo onde com apenas uma edição de Photoshop, um pouco de maquiagem virtual, um clique e pronto, você já está aparentemente perfeito (a)? No mundo em que em instantes você já é outra pessoa?

Como é ser identificado somente por aquilo que queremos que as pessoas vejam? Bom, por certo, é um “luxo” que muitos de nós nos damos.

Certamente não há a possibilidade das pessoas identificarem quem realmente somos no mundo virtual, usando apenas os parâmetros e critérios visuais que as redes sociais, que as plataformas e programas digitais disponibilizam. Não existe a possibilidade de identificar uma pessoa virtual com os mesmos critérios que usamos para distinguir o caráter pessoal de um indivíduo, quando estabelecemos uma convivência pessoal com ele. Isso acontece porque as plataformas virtuais são os mecanismos tecnológicos que permitem que tenhamos uma espécie de convivência sem contato físico com as pessoas e, por isso, são utilizadas para a criação de sistemas e ferramentas no espaço online.

Dentre as várias características das plataformas virtuais/digitais a principal é a independência de um lugar físico para a conexão, pois segundo o conceito tecnológico de tais ferramentas e sistemas, para estar conectado no mesmo ambiente necessita-se apenas de um aparelho que esteja conectado na internet.

“A humanidade chegou a tal ponto que quando o assunto é convivência, relação social, tem que distinguir se é virtual ou não.”

– Pense um pouco mais para entender melhor.

Não há maneiras de usar os mesmos critérios de identificação do mundo real nas plataformas virtuais, então constata-se a existência de dois mundos paralelos — o real, que é esse no qual você está respirando enquanto lê e, o virtual, que é o lugar digital no qual você está lendo este texto — e a pergunta é: você e eu somos as mesmas pessoas em ambos?

 Se não possuímos a mesma identidade em ambos, somos pessoas de dupla personalidade, ou, uma de nossas identidades (virtual ou real) é falsa.”

O simples fato de entendermos assuntos como esses, que para muitos de nós são monótonos, nos explica muito acerca de situações contradizentes que passamos e vemos pessoas que conhecemos e convivemos (no mundo real) passarem nas plataformas digitais.

Já notou como há pessoas que quando conversamos com elas pessoalmente, ou, pelo menos tentamos, elas mal respondem à pergunta: “Tudo bem?”? Elas apenas dão alguns resmungos e/ou sussurros que mal conseguimos ouvir e entender o que foi dito, e a conversa não vai mais adiante.

No entanto, são pessoas que nas redes sociais, pela tal timidez, você mal as reconhece, pois postam vídeos todo dia, fotos com todas as possíveis poses, fazem gifs delas mesmas, fazem até figurinhas com suas próprias “caras e bocas” e compartilham com aquelas mesmas pessoas que, quando estão por perto, não conseguem dizer um: “Sim, eu estou bem! E você, como está?“.

Será que não temos sido assim? Se estamos agindo dessa maneira, o que tem acontecido conosco? É timidez ou perda de autenticidade? Não tem nos faltado identidade e, até mesmo, honestidade com a nossa própria personalidade?

Há um equilíbrio em tudo! Não nos está sendo pedido e muito menos induzindo que tornemos públicas as intimidades de nossas vidas. A questão está relacionada a sermos nós mesmos em todas as circunstâncias, nesses dois mundos.

“Seja você, seja autêntico!”

Se você não tem nada o que dizer, nada o que publicar, simplesmente contenha-se e não diga, não invente, não copie! Tenha identidade, tenha personalidade. Não seja um tolo, que segue todos os tipos de moda que aparece.

Embora seja uma pequena e respeitosa inferência, se pergunte: Se o Senhor Jesus vivesse nessa Era e tivesse um aparelho conectado a web, e baixasse os seguintes apps: Instagram, Facebook, Twitter, Telegram, WhatsApp e fosse uma pessoa como você ou eu, como seria o perfil d’Ele? Por acaso seria obscuro, sensual, vulgar? Ele seria duas faces: pessoalmente, um Jesus curador, fazedor de milagres, mas, virtualmente, um Jesus mais “de boa” e daria curtidas em conteúdos inapropriados para um verdadeiro Cristão? Ele postaria fotos intencionado e trajado indevidamente?

Irmãos, Deus nos chamou para ser cristãos e nós aceitamos, ninguém nos obrigou a servir a Deus. Foi uma escolha nossa. Agora, o significado de ser cristão é viver a vida de Cristo. Não adianta viver e apresentar para Deus os 99,9% que vivemos, Ele nos cobrará o 00,1% que nos faltou, porque Ele foi um Homem completo e não há escusas para nós, porque Ele disse que venceu o mundo para que, através d’Ele, pudéssemos ser mais que vencedores.

Dificuldades sempre haverá; mas tudo está relacionado à intenção com que pensamos e agimos. Deus é Deus. Portanto, Ele sabe quando realmente falhamos tentando fazer as escolhas certas. Ele conhece a intenção.

Não nos enganemos, pois assim como começamos a falar no início, por detrás de cada pensamento, cada frase, cada foto, cada perfil, cada conta, cada curtida e cada visualização há uma atitude/propósito inicial. E as nossas ações podem até ser uma forma, um meio de esconder e camuflar nossas atitudes. Contudo, nada pode ser escondido dos olhos do Senhor.

Adquira Conhecimento

Adquira Conhecimento


Um comentário

  • Avatar
    Marisa de oliveira costa Melo

    16/03/2021 as 16:36

    Muito bom! 🤗🤗
    Boa reflexão.
    Deus continue abençoando os irmãos.
    Que Deus nos ajuda a viver tudo que aprendemos.
    Glória a Deus.

    Comentar

Deixe um Comentario

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *


Sobre nós

O Tabernáculo Belo Horizonte, uma congregação cristã, firma-se sobre as bases do Ministério Assim Está Escrito, edificado com a misericórdia e graça de Deus desde 1976, quando o pastor Wanderley Pereira Lemos começou esta tão grande obra nos pilares daquela mensagem, originada do nosso Senhor Jesus, na busca daqueles que O adorem em Espírito e verdade.


[email protected]

31 2513-0657