Ir. Levindo Costa: uma ‘carta escrita e lida’

"As pessoas até falam para eu parar, mas eu não consigo ficar parado em casa. Inclusive, tenho um trabalho confirmado; tenho 2 sacas de amendoim e 50 Kg de milho para fazer uma roça."

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, com o passar natural dos anos, houve um aumento considerável do número de pessoas idosas no país; hoje eles representam 13,5% da população, o que equivale a 28 milhões. E um dos fatores que impulsionam este aumento, é o aumento da expectativa de vida da população.

A seguir você poderá conhecer, através de uma entrevista, o irmão Levindo, um dos idosos-amados do Tabernáculo Belo Horizonte. Mas antes, cabe dizer que a informação do IBGE, escrita acima, foi usada para nos conscientizar de que temos em nosso meio, enciclopédias vivas.

De acordo com o profeta William Branham as crianças, os jovens e os idosos estão na mesma sintonia, quando se trata de estar em um lugar provido por Deus. Na mensagem “O Lugar De Adoração Provido Por Deus”, pregada em 25 de abril de 1965, parágrafo 51, o irmão Branham diz: “Isto, trazendo-nos agora à vista destas sombras de tempo, nos traz Cristo à vista. Todo o Antigo Testamento prefigurou Jesus. No Egito, aquela noite quando era para um cordeiro pascoal ser morto para proteção do povo, nós percebemos que Deus teve um lugar, uma condição. Não importa quão jovem, quão idoso sacerdote, clérigo, o que quer que você fosse você tinha de estar neste determinado lugar. Tudo fora deste lugar, pereceu. Você tinha de estar neste único lugar, um lugar que Ele proveu.”  No entanto, devemos, sempre, manter todo nosso respeito, carinho, dedicação e amor para com os idosos.

Nome: Levindo Gomes da Costa.

Idade: 87 anos.

Estado civil: Casado há 54 anos com a irmã Conceição Camila Costa.

Reside em: São José da Lapa

Nota: Nascido na cidade de Baldim/MG, teve 8 irmãos, sendo 5 mulheres e 3 homens. Conheceu o Evangelho na denominação ‘Deus é Luz’; e após dois anos conheceu a Mensagem juntamente com o irmão Valmir, que até o momento congrega conosco no Tabernáculo Belo Horizonte, e também o irmão Levino Catarino José, este citado In memoriam. Em um determinado ponto da entrevista, O Ir. Levindo relatou que sempre estavam juntos, e disse: “sinto muita falta dele. Foi mais que um irmão para mim. Trabalhamos juntos por 10 anos”. E cabe ressaltar aqui, que, o nosso pastor Wanderley Lemos sempre se refere aos dois irmãos (Levindo e Levino) com muita admiração.

Ps: Esta entrevista encontra-se na íntegra. Nenhuma frase ou palavra foi alterada.

1. Ir. Levindo, com que idade o senhor começou a trabalhar?

– Comecei a trabalhar na roça com 6 anos de idade, para ajudar no sustento da minha família; devido ser o irmão mais velho dos homens. Desde então nunca precisou do papai me chamar duas vezes para trabalhar; com isso tive muitas vitórias e boas surpresas, com pouca idade”.

Até hoje eu trabalho. Eu gosto muito de plantação! Pego o ônibus todos os dias às 05:30hs da manhã e volto para a casa as 16:30hs. As pessoas até falam para eu parar, mas eu não consigo ficar parado em casa. Inclusive, tenho um trabalho confirmado; tenho 2 sacas de amendoim e 50 Kg de milho para fazer uma roça.

2. Conte um pouco de como foi sua conversão.

– Eu converti quando trabalhava na empresa chamada ICAL. Nesse período bebia muito. Um dia, depois de receber meu salário, fui à Belo Horizonte fazer compra, pois eu trabalhava com encomendas de alguns produtos da capital; chegando ao supermercado encontrei um amigo e começamos a beber. Neste dia bebemos o dia inteiro e não comemos nada. Quando foi 10h da noite, meu amigo falou:  

– “Que horas você vai embora? O último ônibus vai sair às 11h da noite”. 

Então, nesse momento, eu atravessei a rua e fui à rodoviária comprar a passagem, e vim embora muito bêbado. Acabei dormindo dentro do ônibus. Quando cheguei em frente a empresa que eu trabalhava, o trocador me acordou e perguntou: 

– “Aonde o senhor vai descer”?

Então eu desci e estava com a compra toda dentro do saco. Neste momento comecei a andar na rua de um lado para o outro.  Eu cheguei no ponto quase 01h da madrugada; naquele momento eu chamei por todos os santos e nenhum chegou lá para me ajudar. Então eu lembrei de um versículo da Bíblia que diz: “Vinde a mim todos que estais cansados e oprimidos que Eu vos aliviarei. Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração, meu fardo é leve, meu jugo é suave”. Neste mesmo momento peguei o saco de compra, coloquei nas costas e vim embora em direção a minha casa. De longe avistei três cachorros que vieram pra cima de mim, então desmaiei. Acordei no sofá aqui em casa. Quando acordei minha esposa falou: 

 – “Se você tivesse perdido essa compra, como iria fazer para sustentar os funcionários?” 

Naquele momento eu falei com ela, Deus está no céu pra todos nós. E graças a Deus foi o último dia que bebi cachaça. Depois daquele dia eu podia ver alguém bebendo que não sentia mais vontade. Desde então comecei a frequentar uma igreja chamada ‘Deus é Luz’, onde conheci o irmão Valmir.

Após dois anos o irmão Valmir conheceu o Tabernáculo que ficava na Rua Sete Lagoas. Então ele marcou uma reunião aqui em São José da Lapa, veio alguns irmãos da congregação. 

Teve um momento que eu pensei em desistir de ir à Igreja porque eu não conseguia parar de fumar. Porém, o irmão Valmir me disse para continuar. Ele começou a vir aqui em casa conversar muito comigo. Depois de um tempo e com a ajuda de um verdadeiro amigo, eu consegui vencer. E ele com a graça de Deus me batizou em nome do Senhor Jesus Cristo, no dia 04 de outubro de 1980. Desde então faltei apenas de três cultos de Santa Ceia. E tenho me mantido fiel aos cultos todos os domingos.

 

3. Qual foi a experiência com Deus que mais marcou sua vida?

Depois de cinco dias que eu tinha acidentado, eu entrei em desespero; não vinha ninguém, meu celular não tocava… Em uma noite, fiquei acordado até 11h da noite, então comecei uma oração às 11:05h da noite; neste momento me bateu um desespero de não conseguir fazer nada, até cheguei pedir para morrer. Minha esposa estava dormindo e a chuva caindo, parece que eu comecei a “sonhar” que a casa estava pegando fogo, e neste momento eu falava com o Espírito Santo: “se é o meu momento de partir, me leva. Mas, se eu tenho mais dias de vida, me tira essa dor. Eu não aguento mais! Eu preciso de forças para vencer.” Daquela hora em diante, minha esposa chegou na porta do quarto e me chamou e disse: 

– “O que você está sentindo?” 

Eu falei:

– “Nós precisamos orar mais”. Isso já era as 02h da madrugada, eu não tinha sentido que orei de 11:05h da noite, até as 02h da madrugada. Eu vi tanta coisa, que não tem como contar. Foi tanta bênção que não senti dor até hoje graças a Deus.  

Quando voltei no médico nem ele acreditou da minha recuperação, devido minha idade. Ele disse que nunca tinha visto uma pessoa de uma ossada tão forte igual a minha (risos). A partir desse momento tive uma ótima recuperação -os irmãos da igreja e vizinhos me deram muito apoio em todos os sentidos.

4. Desde quando o senhor mora nessa casa?

– Eu moro aqui desde 1965. Quando me ofereceram esse lote para comprar, eu disse que não teria condições financeiras. Só que ele quis me vender, então pela graça de Deus dei uma entrada e dividi o restante em 16 prestações, Graças a Deus. Tudo que eu tenho está aqui!

 

5. Qual conselho o senhor deixaria para os jovens dessa geração?

– A criação no meu tempo foi uma, hoje é outra. Por exemplo: eu comecei a trabalhar com 6 anos de idade, com 13 anos eu tinha que puxar uns 30 sacos de milho nas costas. Papai não dava conta de carregar que pesava mais ou menos 60 kg. E tudo que eu fiz, graças a Deus, foi para papai e mamãe.

Então o que eu posso dizer: “obedeça pai e mãe. É a melhor coisa! E precisam evitar brigas desnecessárias. Graças a Deus eu estou com 87 anos, nunca fui chamado a atenção, nunca fui na delegacia nem para servir de testemunha, sou o único vivo dos meus irmãos; e hoje em dia, graças a Deus, as pessoas vêm até mim para conversar, orar e pedir conselhos. 

Extra da entrevista:

Finalizando o nosso caloroso bate papo, fomos conhecer a casa do irmão Levindo. Estávamos em um grupo de 5 jovens. Nosso amado irmão e sua esposa fizeram questão de descascar cana de açúcar e laranjas para nós. Conversamos muito, nos divertimos e ganhamos presentes (ovos caipira, aloé e amendoins). Em resumo, foi muito gratificante e edificante. Absorvemos muito conhecimento e as experiências de um ancião-sábio, de uma simpatia inigualável.

Graças a Deus as pessoas me ajudam muito. Sou feliz pela vida de cada um de vocês!”

Levindo Gomes da Costa, 14 de setembro de 2019, São José da Lapa/MG.

AEE Entrevista

AEE Entrevista


12 comentários

  • Avatar
    Emerson Vilaça

    05/02/2020 as 08:49

    Linda história, grande exemplo. Que Deus continue abençoando nosso querido irmão Levindo.

    Comentar

    • Avatar
      Rosimeire do Carmo Cunha Sntos

      05/02/2020 as 12:22

      que delícia de entrevista…..isso sim um grande exemplo pra todos nós …amo o ir.Levino…sempre muito educado …já ofereceu assento pra mim com criança no colo várias vezes ….Um exemplo de Cristão em todos os sentidos ….um dia me acentei do lado dele no sítio e trocarmos poucas palavras e sai maravilhada… Eu agradeço a Deus pela vida dele….Deus abençoe vcs pelo trabalho lindo…

      Comentar

  • Avatar
    Luciano Vieira Silva

    05/02/2020 as 09:30

    Sempre aprendemos com os mais velhos.

    Comentar

  • Avatar
    Sheila Guimarães Rodrigues

    05/02/2020 as 09:34

    Que maravilhoso exemplo , Deus sempre está cuidando dos seus filhos. Irmão Levindo Deus continue te abençoando.

    Comentar

  • Avatar
    Raquel Aline

    05/02/2020 as 10:26

    Que exemplo. Deus abençoe irmão Levindo!

    Comentar

  • Avatar
    Marinete Lima

    05/02/2020 as 11:22

    Belo trabalho, precisamos de mais coisas assim

    Comentar

  • Avatar
    Rosilene d carmo c. Ferreira

    05/02/2020 as 11:40

    Que grande exemplo para todos nós. Amei ouvir sua história precioso irmão Levindo. Que Deus continue cuidando do senhor e sua família .🙌🙌🙌🙌

    Comentar

  • Avatar
    Alessandra Policarpo Marques Zebral

    05/02/2020 as 15:03

    Graças a Deus pela vida desse precioso irmão. Sempre muito gentil, agradável, educado e muito sábio. Deus Ti abençoe irmão Levindo, Guerreiro.

    Comentar

  • Avatar
    Mariane Oliveira

    05/02/2020 as 19:30

    Admirável testemunho!!! Uma vida cristã que serve como grande exemplo a todos, esse podemos dizer que é uma epístola viva a qual pode ser lida. Deus continue abençoando e acrescentando saúde à vida do Ir. Levindo.

    Comentar

  • Avatar
    Ylberty de souza oliveira

    05/02/2020 as 21:16

    Muito boa e edificante a história deste asiao amado. Que o conhese e sabe da verdadeira humildade dele.graças a Deus pela vida dele que o senhor Deus possa agresenta mais uns anos de vida a ele no nosso meio. Deus abençoe.

    Comentar

  • Avatar
    Antônio Reis

    05/02/2020 as 23:03

    Muito boa entrevista.
    Nosso precioso Irmão Levindo, um ancião respeitável por seu testemunho de um verdadeiro cristão. Um grande exemplo o qual devemos todos nos espelhar. Deus abençoe!

    Comentar

  • Avatar
    Marisa de oliveira costa Melo

    06/02/2020 as 21:52

    Deus continue abençoando o precioso irmão.
    Grande exemplo para os mais jovens.
    Uma verdadeira carta viva.
    Belo trabalho dos irmãos.
    Que venha mais e mais.
    Obrigado.

    Comentar

Deixe um Comentario

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *


Sobre nós

O Tabernáculo Belo Horizonte, uma congregação cristã, firma-se sobre as bases do Ministério Assim Está Escrito, edificado com a misericórdia e graça de Deus desde 1976, quando o pastor Wanderley Pereira Lemos começou esta tão grande obra nos pilares daquela mensagem, originada do nosso Senhor Jesus, na busca daqueles que O adorem em Espírito e verdade.


[email protected]

31 2513-0657



Newsletter


Categorias