O Melhor Governo Rejeitado Pelo Mundo

E essa esposa está esperando em ardente expectação que todas as eleições de “presidentes humanos” passem, para que O Verdadeiro Presidente (Senhor Jesus Cristo), inicie o maior reinado que nenhum presidente jamais alcançou, nem alcançará: O milênio!

A África do Sul em 1994 teve como presidente, Nelson Mandela, conhecido mundialmente através das gerações como o símbolo da luta pela liberdade e igualdade dos negros. Napoleão Bonaparte Imperador Francês em 1769, conquistou uma imensa expansão territorial para a França durante o seu governo tendo um papel essencial na Revolução Francesa. Abraham Lincoln (presidente dos EUA) em 1861 é conhecido até hoje por contornar uma das maiores crises econômicas da história e emancipar (libertar, dar autonomia, tornar independente) os Estados Unidos, alcançando sucesso e popularidade para a nação. Hoje, qual dos presidentes em todo o mundo, estaria apto a ser escolhido para assumir o governo?

As boas obras realizadas por cada um, ainda que consideradas “bem-conceituadas” e lembradas pela humanidade, não poderiam impedir o triste fim da política que hoje é presenciada; “a corrupção”. Mesmo que os melhores presidentes tenham lutado por “bons princípios”, no final não apagaram os rastros de guerra e destruição por toda a história da humanidade.

Seja pela Monarquia, Democracia, ou qualquer outro tipo de governo, a verdade clara e escriturística comprovada ao longo da história mostra que o povo não sabe escolher um líder. Tudo isso iniciou em I Samuel 8:5, quando o Povo de Israel que até então era guiado por Deus através do Profeta Samuel, solicitou que fosse constituído um rei para governá-los, para que assim pudessem ser como todas as outras nações do mundo. O povo de Israel sabia que ao rejeitar o profeta Samuel, estariam rejeitando o reinado da própria “Deidade” (Deus). No entanto, por causa da insistência do povo Deus avisadamente deu a eles o rei Saul; um homem formoso, forte e vitorioso nas batalhas, porém, muito passivo às vaidades humanas e ao orgulho. Pouco tempo após seu reinado tornou-se um homem perturbado, cheio de espíritos maus e atraído pelo sangue e pela espada.

“E disse o Senhor a Samuel: Ouve a voz do povo em tudo quanto te disser, pois não te tem rejeitado a ti; antes, a mim me tem rejeitado, para eu não reinar sobre ele.”
1 Samuel 8:7

E desta forma, até hoje a humanidade sofre as consequências por rejeitar o governo de Deus. Muitos reclamam da política pois não há um único homem que pareça ao menos sóbrio para governar qualquer que seja o país. Seria justo todas as gerações pagarem pelo erro que Israel cometeu centenas de anos atrás?

Logicamente Deus não é injusto. E nunca leva alguém a juízo sem antes adverti-lo. A verdade é que as gerações dos séculos XX e XXI, assim como as outras, também tiveram a oportunidade de escolher um profeta, porém, como esperado, preferiram escolher presidentes “genéricos” e “comuns” que não possuem nem 1% da solução para os problemas do mundo.

Muitos presidentes investem muito dinheiro na ciência, que por sua vez utiliza todos os seus recursos e toda sua inteligência em tentativas; encontrar a cura para o câncer, antídotos para venenos de mosquitos, solução para cegueira de nascença, cirurgias que possam ajudar paralíticos… fazem tudo isso em vão. Seus muitos anos de estudo não conseguem avançar muito em relação a suas pesquisas sobre o desenvolvimento de doenças. No entanto, houve um homem que ao encontrar com pessoas doentes orava por elas com tanta intensidade e poder que eram curadas quase instantaneamente. Talvez, se esse homem andasse pelas ruas hoje, não existissem tantos hospitais lotados, com centenas de pessoas morrendo a cada minuto. Há algumas décadas, se o mundo não O tivesse rejeitado, Ele poderia ter levado cura para as nações.

O cenário do mundo é caótico. Além das muitas guerras que ocorrem todos os dias em diferentes lugares, vê-se a violência que cresce a cada dia. E o melhor que os líderes podem fazer é autorizar o uso de mais violência para combater a própria violência, propor pena de morte, diminuição da maioridade penal, armamento da população. Mas, e se a solução para este problema não estiver enquadrada em nenhuma dessas resoluções?

Em certa ocasião, um homem (louco) fugiu de um hospício; tal era conhecido por matar pregadores. Certo dia, encontrou-se novamente diante de uma oportunidade para fazer outra vítima em uma reunião de avivamento que estava acontecendo ali por perto. Ao chegar no local, colocou-se diante do ‘pregador’ que estava na plataforma e o insultou, lhe cuspiu o rosto e lhe disse que iria  lhe quebrar todos os ossos do corpo. Quanta violência! Hoje, as providências em alguns lugares seriam matar o agressor… evacuar para que não haja mais vítimas; porém, como o sistema limitado e presidido pelos homens eleitos poderiam lidar com essa situação?

O pregador que estava na plataforma apenas olhou para o agressor, e dentro de si surgiu um amor piedoso por aquela alma. De repente o homem louco caiu de joelhos ao chão, tornando-se impotente e incapaz de fazer mal a qualquer pessoa (Mensagem: Amor Divino, 76 a 85). Não seria essa uma excelente solução para situações de violência?

Nenhum presidente conseguiu acabar realmente com as crises financeiras de maneira eficaz. Apenas tiram dinheiro de um setor para consertar o outro, e isso se torna um ciclo repetitivo. Um país pega dinheiro emprestado com o outro e por aí vai de maneira sem fim. Pessoas precisam de dinheiro, países precisam de recursos o tempo todo! Qual ser humano poderia enxergar recursos que parecem não existir? A verdade é que os recursos existem. Porém, o que falta no mundo é alguém que possa enxergá-los e usá-los de maneira adequada. Algumas décadas atrás ‘certo homem’ disse a um grupo de pessoas que havia petróleo em certo local na cidade de Kentucky. No entanto, acreditar numa afirmação tão aleatória era de certo modo uma loucura. Como um homem poderia simplesmente prever isso? Não lhe deram muita atenção. E não muito tempo depois outro homem acidentalmente encontrou petróleo naquele local; mais de mil e cem barris em apenas um dia! (Mensagem: Ouvi, Mas Agora Vejo, 58 a 67).

Problemas como a fome, desigualdade, moralidade, vícios, violência contra a mulher e tantos outros, crescem num ritmo tão acelerado que parecem simplesmente não terem soluções. O mundo não sabe, mas existiu ‘um homem’ que com o poder de Deus podia criar esquilos e fazer com eles um prato de farofa para saciar sua fome. Um homem que sem fazer nenhuma discriminação, orou por pessoas de “várias personalidades”; abraçou cegos, deficientes, pobres, negros, brancos, amando-os e resolvendo seus problemas. Este homem poderia resolver os problemas de vícios, cigarros… prostituição, e respeitava uma mulher a ponto de abrir a porta do carro para ela, fazendo-a sentir-se bem sem precisar criar um sistema feminista. Quem era este homem?

Este homem seria o “melhor presidente”; o que poderia resolver todas as crises. No entanto, o mundo nunca o teve. Não por falta de oportunidades, mas porque não o aceitaram e nem mesmo o reconheceram pelo que era. Quase todas as nações experimentaram as benesses trazidas por ele, mas no final, deixaram passar por alto o grande governo que poderia ser estabelecido. Ele não era apenas um simples homem, e sim “O Próprio Deus” expressando seu justo governo através deste homem, o profeta de Deus, William Marrion Branham. Todavia, grande parte do mundo cego pelo pecado decidiu escolher “grandes presidentes” que por muitas vezes levaram suas nações ao sucesso máximo, porém, não conseguiram impedir a decadência inevitável do sistema humano.

O povo sempre escolherá o governo errado! Prova disso, foi que ao ser colocado diante deles o Mestre (Jesus), o qual era bondoso, curador… ajudador dos pobres, como oposição a Barrabás, o cruel ladrão que assassinava e roubava deles; ainda sim, escolheram Barrabás. Isso nunca mudou e não irá mudar agora. O povo escolherá o sistema ao invés da Palavra. O homem ao invés de Deus. Um presidente ao invés de um Profeta. Escolherão seus líderes, seus pastores, suas organizações e seus concílios ecumênicos.

“Israel estava naquele mesmo estado agora. Eles não queriam mais o profeta de Deus. Eles não precisavam deles. E se um chegasse e lhes trouxesse a Palavra e tentasse trazê-los de volta à Palavra, eles o rejeitariam (…) Se um viesse hoje daquele jeito, ele seria rejeitado do mesmo modo. Eles tiveram um caso grave disto, do mesmo modo eles o têm hoje. Eles não podem mais se identificar com as coisas sobrenaturais, porque eles não querem isto – a Palavra, o Evangelho. Eles não queriam isto. A enfermidade do pecado os afligiu, e eles gostaram daquilo. O pecado é agradável ao coração do inconverso. Ele tem boa aparência para a mente não convertida. Mas é o caminho da morte. Não há nada que reste a não ser morte. O salário do pecado é a morte, e você deve colher este salário. Você tem semeado aos ventos e agora está colhendo redemoinho (…)”. (Mensagem: Amnésia Espiritual, 40)

Não se pode encontrar aqui na terra uma resposta para a indagação inicial. Qual dos presidentes você escolheria para assumir o governo? O mundo perdeu a chance de ser governado por um juiz justo, e agora terá que suportar a regência do sistema que escolheram para si. O único governo justo e verdadeiro agora rege somente a Esposa de Cristo que O aceitou na carne humana de William Branham. E essa esposa está esperando em ardente expectação que todas as eleições de “presidentes humanos” passem, para que O Verdadeiro Presidente (Senhor Jesus Cristo), inicie o maior reinado que nenhum presidente jamais alcançou, nem alcançará: O milênio!

Adquira Conhecimento

Adquira Conhecimento


Deixe um Comentario

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *


Sobre nós

O Tabernáculo Belo Horizonte, uma congregação cristã, firma-se sobre as bases do Ministério Assim Está Escrito, edificado com a misericórdia e graça de Deus desde 1976, quando o pastor Wanderley Pereira Lemos começou esta tão grande obra nos pilares daquela mensagem, originada do nosso Senhor Jesus, na busca daqueles que O adorem em Espírito e verdade.


[email protected]

31 2513-0657



Newsletter


Categorias