O Sinal De Poderio | Casamento Wesley e Gabriela

Como cristãos, devemos entender que temos um poderio, e que por isso não somos pastores e nem redentores de nós mesmos. Porque como filhos de Deus, estamos sob o poderio e o domínio da palavra.

Leitura Bíblica: I Coríntios 11:1-16

Mensagens Lidas: Perguntas e Respostas Sobre Hebreus – Parte III; Uma Exposição das Sete Eras da Igreja

 

Naturalmente falando, esse é um tempo terrível para casar-se e ter uma família, pois Satanás tem lançado todas as suas armas contra as famílias antes delas serem formadas. E uma das maneiras pela qual ele tem feito isso, é através da insuflação sobre os jovens. Ele tem propagado a ideológica de que ter uma família é um problema e que o compromisso de um casamento é um peso. Visto que hoje há grande margem de liberalidade para o erro, essa ideologia tem sido apoiada e esse tem sido um verdadeiro “veneno” para as famílias. E mediante à essa situação, nós, os filhos de Deus, não devemos nos casar? Devemos! Para provar que há um ‘antídoto’ e Deus que cuida de nossas famílias. Sabendo disso, é necessário que um casamento seja feito sob a base da oração e sob as bênçãos de Deus, para que não seja apenas um ajuntamento de pessoas, mas um testemunho da glória de Deus.

 

Em I Coríntios capítulo 11, versículo 10, o apóstolo Paulo, falando acerca das mulheres, diz que a mulher precisa ter sobre a cabeça um sinal de ‘poderio’. E analisando o significado de tal palavra, temos as seguintes definições: aquele que tem o direito de ordenar; de fazer obedecer; aquele que tem autoridade e domínio. Mas além dessas definições, a palavra ‘poderio’ carrega sobre si significados mais abrangentes como: aquele que é responsável por provisão, proteção e promoção. 

 

Em São Lucas 6:46, Jesus disse: “E por que me chamais, Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu vos mando?” Ao ler esse versículo, muitos poderiam se perguntar: “Deus pode mandar em nós?” Respondendo esta pergunta de acordo com a Palavra, a resposta é sim! Pois Ele pagou o preço no calvário por nós. Mas, mesmo Ele tendo pago esse alto preço no calvário, não fomos e/ou nem somos obrigados a ser cristãos e nem fomos pressionados a fazê-lo. O que fizemos foi tomar a decisão de aceitar a Jesus Cristo. 

 

A partir do momento em que O aceitamos, cabe aos pregadores nos instruir acerca de quem Ele é e o que Ele fez por nós para que a partir desse ponto possamos nos converter. E quando o fazemos, deixamos a nossa vida e o nosso conhecimento para adquirir a vida, o conhecimento e o nome d’Ele. E como um tipo, no âmbito natural, a esposa recebe o nome do esposo, o que significa que ela está deixando um domínio para entrar debaixo de outro domínio. Isto é, ela sai de sob o domínio do pai (domínio o qual não escolheu entrar debaixo, mas nasceu ali) e entra debaixo do domínio e proteção do marido. Sabendo disso, a Palavra vem e nos indaga: “A mulher pode orar com a cabeça desprotegida?”

 

Existem dois lugares na Escritura que impedem as orações de serem ouvidas por Deus: I Coríntios 11 e I Pedro 3:7. Se notarmos, em ambas as ocasiões, as restrições referem-se a uma questão de casamento, quanto estar sob um domínio que representa Deus e sair de sob esse domínio. Por exemplo, se uma moça sai de debaixo da cobertura e/ou domínio do pai e vai para o mundo ou para qualquer outro domínio que não seja direcionado pelo Espírito Santo, ela não consegue orar. Ela pode até conseguir pronunciar palavras direcionadas a Deus, mas, pelo fato de não estar sob um domínio que representa Deus suas orações não podem ser ouvidas. E é por esse motivo que a Palavra diz que é desonroso para a mulher orar com a cabeça descoberta. Essa ausência de cobertura refere-se à ausência de poderio de Deus, representado na figura de um homem, do pai ou do marido na vida de uma mulher.

 

A necessidade existente da mulher está sob esse domínio desde o princípio. Porque desde o Éden, a mancha do pecado ficou sobre a mulher. O profeta William Branham chega a dizer que não foi o homem (Adão) que pecou. Ele não foi enganado. Adão apenas caminhou para o pecado. Mas sua mulher, Eva, foi enganada. Por esse motivo, todas as mulheres precisam manter-se debaixo de um poderio que representa a imagem e a semelhança exata de Cristo. E é por isso também que a representação do homem dentro de uma casa é sobrenatural, ele precisa representar Deus. Ele precisa representar uma cobertura. 

 

Quando o pecado entrou no Éden, ele tirou de Adão e Eva a cobertura (a justiça de Deus). E Deus proveu uma cobertura temporária para eles, feita com pele de cordeiro ensanguentada, que estava tipificando a nossa cobertura temporária: a religião do sangue. E aquela cena estava nos transmitindo uma mensagem: “A verdadeira redenção virá!” E quando a redenção, que era o Senhor Jesus Cristo veio, Ele, o Esposo, fez a Redenção Plena. Porém, Ele ainda não reclamou a Redenção Plena. Portanto, a Reclamação da Redenção Plena de uma mulher está em seu pai ou marido. Isso significa que um verdadeiro esposo representa aquele Cordeiro que já morreu, e é um penhor dentro de seu lar. E através dele, a esposa, irá receber a Redenção Plena. Ele é responsável por ela. Ele é quem se sacrifica por ela. Ele é o indivíduo que entra na brecha por ela. Essa é a representação de um marido. 

 

Através disso, vemos o quanto é desonroso para o homem ter cabelo crescido, porque isso significa que ele é governado pela mulher. Significa que é a mulher que cuida dele. Ela trabalha no lugar dele e mantém a casa. E por ele ser um “frouxo” não consegue cobrir nada em sua casa.

 

Portanto, no dia do casamento, o véu que a mulher usa não é o de renda, ela usa o cabelo. E quando ela o corta está dizendo que não está sob nenhum domínio, que ela é responsável por si mesma. Assim, quando uma mulher abandona seu marido e se afasta da igreja a primeira coisa que ela irá fazer é cortar seu cabelo. Esse é um dos sinais do lesbianismo. Então, quando vemos uma moça ou uma mulher de cabeça raspada e cabelo cortado, apesar de não saberem, elas estão transmitindo essa mensagem de Satanás para Deus: “Eu sou responsável por mim mesma diante de Deus. Eu sou meu próprio sacrifício. Jesus não é o Senhor da minha vida, pois eu posso me justificar!”  É exatamente por esse motivo que este é um espírito abominável, pois ninguém além d’Ele deu-se a Si mesmo e foi no calvário entregar-Se pela a humanidade. 

 

Um casamento que não foi e é amparado por Deus, que não teve as bênçãos dos pais e que não tem respeito ao domínio que se iniciou, é um casamento, mas não permanece. Como cristãos, devemos entender que temos um poderio, e que por isso não somos pastores e nem redentores de nós mesmos. Porque como filhos de Deus, estamos sob o poderio e o domínio da Palavra.

 

“Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio, por causa dos anjos.”

I Coríntios 11:10

Pr. Wanderley Vilaça

Pr. Wanderley Vilaça

Aos 21 anos se tornou líder dos jovens e também começou a pregar em praças públicas o que lhe trouxe muita experiência e amor por almas; posteriormente começou a prestar assistência às nossas congregações; em 2002 foi chamado pelo pastor Wanderley Lemos para integrar o corpo de ministros; no ano de 2011 foi consagrado a pastor; logo em seguida assumiu a igreja de Ouro Branco e desde então a vice-presidência do Tabernáculo Belo Horizonte.


Deixe um Comentario

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *


Sobre nós

O Tabernáculo Belo Horizonte, uma congregação cristã, firma-se sobre as bases do Ministério Assim Está Escrito, edificado com a misericórdia e graça de Deus desde 1976, quando o pastor Wanderley Pereira Lemos começou esta tão grande obra nos pilares daquela mensagem, originada do nosso Senhor Jesus, na busca daqueles que O adorem em Espírito e verdade.


[email protected]

31 2513-0657



Newsletter


Categorias