Página do Profeta

Menu

Culto Online Web Rádio

UM PROFETA?

Fr.-Branham16-1024x899Na Bíblia, Deus sempre trouxe Sua Mensagem ao povo do mundo através do profeta da era. Ele falou a Moisés através de uma sarça ardente e lhe deu a comissão para guiar os hebreus para fora do Egito. A Coluna de Fogo visível e outros sinais foram dados para vindicar seu ministério. João Batista trouxe uma Mensagem preparando o mundo para o Messias vindouro. Enquanto batizava o Senhor Jesus no Rio Jordão, uma Voz do Céu confirmou o Ministério de João, “Este é Meu Filho amado em quem Me comprazo”. Anos mais tarde, a Voz do Senhor Jesus foi ouvida novamente falando ao profeta quando Ele falou com Paulo através de uma Luz ofuscante. E, mais tarde, lhe deu a comissão para colocar as igrejas em ordem. Através do Novo e do Velho Testamento, Deus nunca falou ao Seu povo por meio de um sistema denominacional. Deus sempre falou ao Seu povo através de um homem: Seu profeta. E Ele vindicou estes profetas através de sinais sobrenaturais.

Mas, e quanto a hoje? Deus ainda revela Sua Palavra aos profetas? Ainda há sinais sobrenaturais? Enviaria Deus ao mundo um profeta dos dias modernos? A resposta é a mais definitiva, “Sim”.

Mas como nós saberemos quando um profeta se levanta? Como ele se parecerá? Como ele agirá? Qual sinal ele nos dará? Quais Escrituras ele cumprirá?
Os profetas de antigamente eram bravos homens de Deus, e não temiam em se parar contra as organizações religiosas de seus dias. Na verdade, eles quase sempre eram desprezados pelo clero. Elias desafiou as organizações religiosas do seu dia, lhes perguntando se Deus respeitaria a oferta deles ou a sua. Eles gritaram. Eles profetizaram. Eles saltaram sobre o altar. Eles se feriram com facas. Mas Deus não os ouviu. Elias olhou para o Céu e disse, “Que se faça conhecido neste dia que Tu és Deus em Israel, e que eu sou Teu servo, e que eu fiz todas estas coisas por Tua Palavra”. Então, ele invocou que descesse fogo do Céu para consumir sua oferta. Micaías, o profeta, resistiu ao Rei de Israel e todo o sacerdócio quando ele repreendeu o Sumo Sacerdote Zedequias por profetizar uma mentira. O Sumo Sacerdote o feriu no rosto e o Rei o aprisionou por falar a verdade. Até mesmo o Senhor Jesus foi do mesmo modo odiado pelas organizações religiosas do Seu dia, a ponto de eles O crucificarem ao lado dos mais infames criminosos.

Se houvesse um profeta neste dia moderno, como ele seria aceito pela igreja católica? Pela igreja batista? Pela igreja luterana? Por qualquer denominação?

O Senhor Jesus comissionou a todos que n´Ele cressem: ‘E esses sinais seguirão aos que crereCaptura-de-Tela-2014-09-20-às-01.49.56-PM-769x1024m; Em Meu nome expulsarão demônios, falarão novas línguas, pegarão em serpentes; e se beberem qualquer coisa mortífera, não lhes causará dano; imporão as mãos sobre os enfermos e eles sararão”. (Marcos 16:17-18). Essa escritura é verdadeira hoje? Se não for verdadeira, quando expiraram as Palavras do Senhor Jesus? Através da Bíblia, os profetas são capazes de curar os enfermos, expulsar demônios e realizar milagres. Moisés fez uma serpente de bronze perante o povo de Israel para curá-lo da picada das serpentes venenosas (Números 21:9). Naamã, um dos mais poderosos homens da Síria, veio ao profeta Eliseu para ser curado de lepra (II Reis 5:9). Quando o jovem caiu da janela superior e morreu, o profeta Paulo o abraçou e trouxe de volta à vida o corpo morto (Atos 20:10). Nós somente temos registro de três anos da vida do Senhor Jesus. Durante estes poucos anos, ele continuamente curou os enfermos. Os cegos tornaram a ver. Leprosos foram curados. Os surdos receberam sua audição. Os coxos caminharam. Todo tipo de doença foi curada. (Mateus 4: 23).

Os profetas de antigamente eram valentes homens de Deus, e não tinham medo de se parar contra as organizações religiosas do seu dia.

Até mesmo os segredos mais bem guardados do coração dos homens foram feitos conhecidos para estes homens de Deus. O Rei Nabucodonosor teve um sonho atribulado, mas ele não conseguia se lembrar sobre o que era. O profeta Daniel contou ao Rei tanto o sonho quanto a profecia que se seguia (Daniel 2: 28). Nada ficou escondido de Salomão quando a Rainha de Sabá veio perante ele. Ele estava tão cheio d
o Espírito que lhe disse as perguntas do coração dela antes que ela as perguntasse (II Reis 10: 3). Eliseu contou ao Rei de Israel todos os planos do Rei da Síria, até mesmo suas palavras faladas em sua cama. (II Reis 6:12).

Através de Suas próprias ações, o Senhor Jesus mostrou que este Espírito de discernimento é o Espírito de Cristo. Ele discerniu a natureza de Natanael quando Ele disse, “Eis aqui em verdadeiro israelita, em quem não há dolo”. E prosseguiu para dizer a Natanael onde ele estava quando Filipe contou-lhe sobre o Messias (João 1:49). Quando ele viu que Jesus conhecia seu coração, Natanael imediatamente O reconheceu como o Cristo. A primeira vez que Jesus viu Pedro, ele lhe disse o nome do seu pai, Jonas (João 1:42). Pedro, então, abandonou tudo e seguiu Jesus pelo resto de sua vida. Jesus encontrou a mulher samaritana no poço e contou-lhe todos seus pecados passados. Suas primeiras palavras foram, “Senhor, percebo que Tu és profeta” (João 4:18). Todas essas três pessoas eram de diferentes classes sociais, no entanto, elas imediatamente reconheceram Jesus quando Ele mostrou o dom do discernimento. Este dom desapareceu quando a última página da Bíblia foi escrita? Se estes milagres estão tão claramente escritos na Bíblia, onde eles estão hoje? Um profeta dos dias modernos certamente seria vindicado pelos milagres.

Deus se esqueceu de Seu povo? Ele ainda é capaz de curar os enfermos? Ele ainda fala conosco através dos Seus profetas? Alguns dos profetas previu este dia? Há profecias que ainda têm de ser cumpridas?

A PROMESSA DE UM PROFETA NOS ÚLTIMOS DIAS

O Senhor nos disse no livro de Malaquias, “Eis que eu vos envio o profeta Elias, antes que venha o dia grande e terrível do SENHOR”.

O grande e terrível dia do Senhor ainda está por vir, assim, nós deveríamos sinceramente procurar por este profeta. Se a Bíblia for verdadeira, então este profeta não virá para as principais organizações religiosas.
Ele virá para uns poucos predestinados e selecionados. Imagine se este profeta veio e foi perdido. Que tal se ele se parece com os profetas de antigamente e somente um punhado de pessoas o reconhecem? Se este profeta deve retornar no último dia, como nós o conheceremo
s? A resposta é claramente vista nas Escrituras. Ele terá a natureza de um profeta. Ele conhecerá os segredos do coração. Ele realizará milagres. As principais organizações religiosas tentarão desacreditá-lo. Mas, haverá uns poucos escolhidos que o reconhecerão como o mensageiro prometido para o dia.

Como nós saberemos quando Elias retorna? Quais características ele apresentará a fim de que nós possamos reconhecê-lo?

Elias era um homem do deserto. Grandes sinais e maravilhas seguiram seu ministério. Ele pregou contra os males do seu dia. Ele pregou especialmente contra a imoralidade da Rainha Jezabel. Quando Elias foi levado ao Céu em uma carruagem de fogo, seu espírito caiu sobre Eliseu. Seu ministério, então, foi marcado por grandes sinais e maravilhas, e Eliseu também pregou contra os pecados do mundo. Ambos os profetas permaneceram sozinhos contra as organizações religiosas daquele dia (I Reis 18: 21).  Centenas de anos mais tarde, o mesmo espírito retornou à terra em João Batista. O profeta Malaquias predisse que Elias retornaria para apresentar o Senhor: ‘‘Eis que enviarei o meu mensageiro e ele preparará a caminho diante de Mim’’ (Malaquias 3: 1). João Batista foi fiel ao modelo quando ele chamou ao arrependimento entre os filhos de Israel. Como Elias, ele pregou contra o rei e as organizações religiosas modernas. O Senhor Jesus confirmou que João Batista era o profeta de Malaquias 3 no livro de Mateus: “Porque este é de quem está escrito: Eis que envio Meu mensageiro diante de Tua face que preparará Teu caminho diante de Ti” (Mateus 11: 10).

Dois mil anos depois de João Batista, é tempo novamente para que o espírito de Elias retorne à terra.

brotherbranham142-1024x718Aquele dia chegou. Nesta era, nós vimos o espírito de Elias retornar à terra. Ele desafiou o sistema denominacional moderno. Ele se pôs contra os pecados do mundo. Ele mostrou inúmeros sinais e maravilhas. Ele pregou a Bíblia palavra-por-palavra de Gênesis a Apocalipse. E ao ler este artigo, você é responsável por saber que Deus enviou um profeta. O profeta de Malaquias 4 esteve entre nós e ele trouxe uma Mensagem do Trono do Deus Todo-Poderoso. O nome daquele profeta é William Marrion Branham.

Desde que o Senhor Jesus Cristo caminhou na terra nenhum homem influenciou o mundo de um modo tão profundo. De um começo humilde em uma cabana de um aposento nas colinas de Kentucky, a Amarillo, Texas, onde o Senhor o levou para casa, sua vida foi continuamente marcada por eventos sobrenaturais. Sob a direção do Anjo do Senhor em 1946, o Ministério do Irmão Branham produziu uma centelha que deu a ignição para um grande período de grandes reavivamentos de cura que varreram a América e o mundo. Neste dia, ele é reconhecido pelos historiadores cristãos como o “pai” e “precursor” do reavivamento de cura dos anos de 1950 que transformou a igreja pentecostal e basicamente deu origem ao movimento carismático, que hoje influencia quase cada denominação protestante. No entanto, fiéis ao modelo, as denominações descontam seus ensinamentos e negam sua comissão.

Onde quer que ele fosse, Deus provou que irmão Branham é o profeta para esta geração. Como Jó, o Senhor conversou com ele em um redemoinho. Como Moisés, a Coluna de Fogo foi visto guiando-o. Como Micaías, ele foi ultrajado pelo clero. Como Elias, ele era um homem do deserto. Como Jeremias, ele foi comissionado por um Anjo. Como Daniel, ele teve visões do futuro. Como o Senhor Jesus, ele conheceu os segredos do coração. E, como Paulo, ele curou os enfermos.

O Senhor visitou Seu povo novamente através de um profeta. No tempo mais escuro da história, em que a moralidade afundou nas profundezas nunca antes vista e armas de destruição em massa assombram no horizonte, um homem humilde foi enviado da presença de Deus para chamar uma raça moribunda ao arrependimento. Seu legado não está simplesmente em livros e fitas. Seu legado está na salvação de milhões de almas que aceitaram a Cristo por causa do seu Evangelho.

O discípulo amado João escreveu sobre o Senhor Jesus: ‘‘E há também muitas outras coisas que Jesus fez, as quais, se fossem escritas cada uma, eu suponho que até mesmo o próprio mundo não poderia conter os livros que deveriam ser escritos’’. O mesmo pode ser dito sobre a vida do Irmão Branham.

Algumas semanas mais tarde, ele estava brincando de bolitas com seu irmãozinho Uma sensação enjoada veio sobre ele. Ele olhou para o Rio Ohio e viu uma linda ponte. Dezesseis homens caíram para a morte enquanto a ponte cruzava o rio. O jovem profeta tinha tido sua primeira visão. Ele contou para sua mãe e ela anotou sua história. Vinte e dois anos mais tarde, 16 homens caíram para a morte quando a ponte da Segunda Rua, em Louisville, Kentucky, estava sendo construída sobre o Rio Ohio. Como os profetas antes dele, o Senhor estava mostrando-lhe visões do futuro. E como os profetas antes dele, as visões nunca falharam. Como os profetas antes dele, o Senhor estava lhe mostrando visões do futuro.

 

OS ANOS MAIS JOVENS

PCaptura-de-Tela-2014-09-20-às-02.16.24-PM-1024x724or toda sua vida, o Irmão Branham ansiava em estar no deserto. Na idade de 18 anos, ele deixou Indiana, indo para as ásperas montanhas ocidentais. Não demorou muito, ele foi forçado a voltar. Ele fez o seguinte registro de sua decisão de viajar para o oeste em seu livro intitulado, “Jesus Cristo O Mesmo Ontem, Hoje E Para Sempre”.

Um dia eu decidi que eu tinha encontrado uma maneira de me livrar daquele chamado, eu ia ir para o oeste para trabalhar em uma estância de gado. Amigo, Deus é tão grande lá quanto ele é em qualquer lugar. Que você tire proveito disto pela minha experiência. Quando Ele chamar você, responda a Ele.

Numa manhã de setembro no ano de 1927, eu disse para minha mãe que ia ir numa viagem de acampamento em Tunnel Mill, que fica cerca de vinte e dois quilômetros de Jeffersonville onde nós vivíamos naquele tempo. Eu já tinha planejado uma viagem ao Arizona com alguns amigos. Quando minha mãe ouviu falar de mim de novo, eu não estava em Tunnel Mill, mas em Phoenix, Arizona, fugindo do Deus de Amor. A vida de estância foi muito boa por um tempo, mas logo envelheceu, como qualquer outro prazer do mundo. Mas, que eu possa dizer aqui. Louvado seja Deus, que a experiência com Jesus fica cada vez mais doce o tempo todo e nunca envelhece. Jesus sempre dá perfeita paz e conforto.

Muitas vezes eu ouvi o vento soprar através dos altos pinheiros. Parecia como se eu pudesse ouvir sua doce voz chamando lá fora na floresta dizendo, “Adão, onde tu estás?” As estrelas pareciam estar tão próximas de você, que você poderia apanhá-las com suas mãos. Deus parecia estar tão perto.

Uma coisa que parece significar tanto para mim, mesmo em relação àquela zona, são as estradas no deserto. Se você alguma vez sair da Estrada, você se perde muito facilmente. Por muitas vezes os turistas veem florzinhas do deserto e saem da rodovia para apanhá-las. Eles vagam no deserto e ficam perdidos e, às vezes, morrem de sede. Assim é do modo cristão – Deus tem uma rodovia. Ele fala dele em Isaias, 35° capítulo. É chamado de “Caminho da Santidade”. Muitas vezes, pequenos prazeres do mundo tiram você para fora da rodovia. Então, você perdeu sua experiência com Deus. No deserto, quando você está perdido, algumas vezes, aparece uma miragem. Para as pessoas que estão morrendo de sede, a miragem será um rio ou um lago. Muitas vezes, as pessoas correm atrás dela e caem dentro dela somente para descobrirem que elas estão apenas se banhando em areia quente. Às vezes, o Diabo lhe mostra algo que ele diz ser uma boa diversão. Isto é apenas uma miragem, é algo que não é real. Se você ouvir, você se achará colhendo tristezas sobre sua cabeça. Não preste atenção nele, caro leitor. Creia em Jesus que lhe dá água viva para os que têm fome e sede.

Um dia eu recebi uma carta de casa me dizendo que um dos meus irmãos estava muito doente.

Era Edward, aquele próximo a mim. Naturalmente, pensei que não era nada sério, assim, eu acreditava que ele ficaria bem. Mas, uma noite, alguns dias mais tarde, quando eu estava vindo da cidade enquanto eu passava através do refeitório da estância, eu vi um pedaço de papel sobre a mesa. Eu o apanhei. Eu li, “Bill, venha ao pasto norte. Muito importante”. Depois que eu li o bilhete, um amigo e eu caminhamos para o pasto. A primeira pessoa que eu encontrei foi um velho estancieiro Estrela Solitária que trabalhava na estância. Seu nome era Durfy, mas, nós o chamávamos de “Pop”. Ele tinha uma expressão triste em seu rosto enquanto ele dizia, “Billy rapaz, eu tenho más notícias para você”. Naquele momento o capataz veio caminhando. Eles me disseram que um telegrama tinha acabado de chegar contando-me sobre a morte do meu irmão.

Caro amigo, por um momento eu não pude me mover. Foi a primeira morte em nossa família. Mas, a primeira coisa em que eu pensei foi se ele estava preparado para morrer. Quando eu voltei-me ao redor e olhei para o prado amarelo, lágrimas desceram por minhas bochechas. Como eu me lembrei como nós lutáramos juntos quando nós éramos rapazotes e quão duro tinha sido para nós.

Nós íamos à escola com quase nada para comer. Os dedões ficavam para fora dos sapatos e nós tínhamos que usar casacos velhos alfinetados no pescoço porque nós não tínhamos camisas para vestir. Como eu me lembrei, também, um dia em que mamãe tinha um pouco de pipoca em um baldinho para almoço. Nós não comíamos com o resto das crianças. Nós não podíamos dispor de comida como elas podiam. Nós sempre deslizávamos sobre a colina e comíamos. Eu me lembro que no dia em que nós tínhamos pipoca, nós pensávamos que nós tínhamos um verdadeiro manjar. Assim, para me assegurar que eu conseguiria minha porção dela, eu saia antes do meio-dia, apanhava um bom punhado antes que meu mano pegasse sua porção.

Em pé ali, olhando para o prado chamuscado pelo sol, eu pensei em todas aquelas coisas e me perguntei se Deus o tinha levado para um lugar melhor. Então, novamente Deus me chamou, mas, como de costume, eu tentei rechaçá-lo.

Eu me preparei para ir para casa para o funeral. Quando o Rev. McKinny da igreja Port Fulton, um homem que é como um pai para mim, pregou em seu funeral, ele fez menção de que “Pode haver alguns aqui que não conheçam a Deus, se é assim, espere-O agora”.

Oh, como eu agarrei o meu assento, Deus estava tratando novamente. Caro leitor, quando Ele chamar, responda-O.

Eu nunca me esquecerei como meu velho pobre pai e mãe choraram depois do funeral. Eu quis voltar ao Oeste, mas, mamãe rogou-me tanto para que eu ficasse que eu finalmente concordei em ficar se eu conseguisse achar trabalho. Eu logo consegui um emprego na Companhia de Serviço Público de Indiana, onde estou empregado agora.

Cerca de dois anos mais tarde, enquanto testava medidores na oficina de medição na Gas Works, em New Albany, eu fiquei tomado pelo gás e por semanas eu sofri com ele. Eu fui a todos os médicos que eu conhecia. Não conseguia obter nenhum alívio. Eu sofria com acidez no estômago causado pelos efeitos do gás. Piorava cada vez mais. Eu fui levado aos especialistas em Louisville, Kentucky. Eles finalmente disseram que era o meu apêndice e disseram que eu tinha que me submeter a uma operação. Eu não conseguia acreditar, pois, eu nunca tivera dor em meu lado. Os médicos disseram que não poderiam fazer mais nada por mim até que eu me submetesse a uma operação. Finalmente eu concordei em mandar operar, mas insisti que eles usassem anestesia local de modo que eu pudesse assistir a operação.

Oh, eu desejava alguém em pé ao meu lado que conhecesse a Deus. Eu acreditava em oração, mas, não conseguia orar. Assim, o ministro da Primeira Igreja Batista foi comigo à sala da operação.

Quando eles me levaram da mesa para minha cama, eu senti me tornando cada vez mais fraco. Meu coração mal estava batendo. Eu senti a Morte sobre mim. Minha respiração estava ficando cada vez mais curta. Eu sabia que eu tinha alcançado o fim da minha estrada.

Oh, amigo, espere até que você chegue ali uma vez; então, você pensará em muitas coisas que você fez. Eu sabia que eu nunca tinha fumado, bebido ou tivera quaisquer hábitos impuros, mas eu sabia que eu não estava pronto para encontrar-me com meu Deus.
Meu amigo, se você for apenas um frio membro formal de igreja, você saberá quando alcançar o fim que você não está pronto. Assim, se isto é tudo que você sabe sobre o meu Deus, eu lhe peço bem aqui que se coloque de joelhos e peça que Jesus lhe dê aquela experiência de ser Nascido de novo, daquele modo que Ele falou a Nicodemos lá em João, capítulo 3, e, oh, como os sinos da alegria tocarão. Louvado seja Seu Nome.

Começou a ficar cada vez mais escuro no quarto do hospital como se fosse em uma grande mata. Eu podia ouvir o vento soprando, através das folhas, embora, parecesse muito longe na floresta. Você provavelmente já ouviu uma baforada de vento soprando as folhas, se aproximando cada vez mais de você. Eu pensei, “Bem, isto é a morte vindo para me levar”. Oh! Minha alma devia se encontrar com Deus. Eu tentei orar, mas, eu não conseguia”.

Achegou-se cada vez mais o vento, cada vez mais alto. As folhas crepitavam e, de repente, eu me fui.

Pareceu, então, que eu estava de volta de novo como um menininho de pés descalços, em pé na travessa debaixo da mesma árvore. Eu ouvi a mesma voz que disse, “Nunca beba ou fume”. E as folhas que eu ouvi eram as mesmas que sopraram naquela árvore naquele dia.

Mas, desta vez a voz disse, “Eu lhe chamei e você se recusou a ir”. Repetiu pela 3ª vez.

Então, eu disse, “Senhor, se és Tu, permita-me voltar de novo à terra e eu pregarei o Seu Evangelho dos topos das casas e esquinas das ruas. Eu contarei a todo mundo sobre isto!”

Quando esta visão tinha passado, eu descobri que eu nunca tinha me sentido melhor. O meu cirurgião ainda estava no edifício. Ele veio, olhou-me e ficou surpreso. Ele olhou como se pensasse que eu estaria morto, então, ele disse, “Não sou um homem de ir à igreja, minha prática é tão grande; mas, eu sei que Deus visitou este garoto”. Porque ele disse aquilo eu não sei. Ninguém tinha dito nada sobre isto. Se eu tivesse sabido naquela época o que eu sei agora, eu teria me levantado daquela cama gritando Louvado Seja Seu Nome.

Depois de alguns dias me foi permitido voltar para casa, mas eu ainda estava doente e eu fui forçado a usar óculos em meus olhos por causa do astigmatismo. Minha cabeça sacudia quando eu olhava para qualquer coisa por um momento.

Eu comecei a buscar para encontrar a Deus. Eu fui de igreja em igreja tentando encontrar algum lugar onde houvesse uma chamada de altar à moda antiga. A parte triste foi que eu não encontrei nenhum.

Eu disse que se alguma vez eu fosse cristão, eu realmente seria um. Um ministro que me ouviu fazer os comentários disse, “Ora garoto Billy, você vai terminar em fanatismo”. Eu disse que se alguma vez eu obtivesse religião, eu desejaria senti-la exatamente como quando ela veio aos discípulos.

Oh, louvado seja Seu nome. Eu consegui religião mais tarde e ainda a tenho e, com a ajuda Dele, eu sempre a manterei.
Uma noite eu me tornei tão faminto por Deus e uma experiência real que eu sai para um velho galpão nos fundos da casa e eu tentei orar. Eu não sabia orar, então, assim, eu simplesmente comecei a conversar com Ele como eu conversava com qualquer um. De repente, eis que entrou uma luz no galpão e formou uma cruz e, da cruz, a voz falou-me em uma língua que eu não conseguia entender. Então, ela foi embora. Eu fiquei fascinado. Quando eu me recuperei, novamente eu orei, “Senhor, se és Tu, por favor, venha conversar comigo novamente”. Eu vinha lendo minha Bíblia desde que ficava em casa depois de sair do hospital e eu tinha lido em João 4, “Amados, não creiais em todos os espíritos, mas provai se eles são de Deus”.

Eu sabia que um espírito tinha aparecido para mim e enquanto eu orava, ele apareceu novamente. Então, pareceu-me que meia tonelada tinha sido levantada de minha alma. Eu saltei e corri para a casa e parecia como se eu estivesse correndo no ar.

Mamãe perguntou, “Bill, o que aconteceu com você?” Eu respondi, “Eu não sei, mas eu sinto-me bem e leve”. Eu não conseguia mais ficar dentro da casa. Eu tinha que sair e correr.

Então, eu sabia que se Deus quisesse que eu pregasse, Ele me curaria. Assim, eu fui à uma igreja que cria em unção com óleo e eu fui curado instantaneamente. Eu vi, então, que o discípulo tinha algo que a grande maioria dos ministros não tem hoje. Os discípulos foram batizados com o Espírito Santo e, assim, podiam curar os enfermos e realizar milagres poderosos no nome Dele. Assim, eu comecei a orar pelo batismo do Espírito Santo e o recebi.

Um dia, cerca de seis meses mais tarde, Deus concedeu o desejo do meu coração. Ele conversou comigo em uma grande luz dizendo-me para ir pregar e orar pelos enfermos, e Ele os curaria independentemente do tipo de doença que eles tivessem. Eu comecei a pregar e a fazer o que Ele me disse para fazer. Oh amigo, eu não consigo começar a contar-lhe tudo o que aconteceu: Olhos cegos se abriram. Os coxos caminharam, cânceres foram curados e todos os tipos de milagres foram feitos.

Um dia, ao pé da Rua Fonte, Jeffersonville, Indiana, depois de um reavivamento de duas semanas, eu estava batizando 130 pessoas. Era um dia quente de agosto e havia cerca de três mil pessoas presentes. Eu estava prestes a batizar a décima sétima pessoa quando, de repente, eu ouvi aquela vozinha calma e ela disse, “Olhe para cima”. O céu estava como bronze naquele dia quente de agosto. Não tínhamos chuva por cerca de três semanas. Eu ouvi a voz novamente, e, então, na terceira vez ela disse, “Olhe para cima”.

No Sermão, “Vá Despertar Jesus”, pregado em 1963, o Irmão Branham adicionalmente descreve esta experiência enquanto batizava no Rio Ohio.

Eu olhei para cima e eis que veio do céu uma grande estrela brilhante que eu tinha visto muitas vezes antes; mas, sobre a qual eu não lhes tinha contado. Muitas vezes eu contei às pessoas sobre ela aparecendo e elas apenas riam e diziam, “Bill, você está apenas imaginando isto. Ou talvez você estivesse sonhando”. Mas, louvado seja Deus, desta vez Ele mostrou-Se visível para todos, pois, ela veio tão perto de mim que eu nem mesmo conseguia falar. Depois que se passou alguns segundos, eu gritei e muitas pessoas olharam para cima e viram a estrela bem sobre mim. Algumas desmaiaram enquanto outras gritaram e outras fugiram. Então, a estrela retornou ao céu e, no lugar de onde ela tinha partido, ficou cerca de quatro metros e meio quadrado e, este lugar manteve se movendo e se agitando muito ao redor como se ondas estivessem rolando. Havia se formado ali neste lugar uma nuvenzinha branca e a estrela foi recebida ali em cima nesta nuvenzinha.

Como João Batista, o profeta, foi vindicado por uma Voz Celestial nas águas do Batismo.

A VISITAÇÃO DE UM ANJO

Embora ele fosse parte de uma denominação, as visões continuavam. Foi-lhe dito pelos colegas de clero que estas visões não eram de Deus. Foi-lhe dito que um espírito maligno o possuiu. Isto lhe atribulou profundamente. O fardo tornou-se demais para suportar, assim, ele foi ao deserto para encontrar a Vontade de Deus. Ele estava tão comprometido que ele jurou que não retornaria sem uma resposta. Foi ali, em uma velha estrebaria, que o Anjo do Senhor lhe deu sua comissão.

Todas as dúvidas se foram. O Irmão Branham agora tinha uma comissão e corajosamente avançou para frente. O reavivamento de cura tinha começado.

Centenas de milhares compareciam nas campanhas Branham. Centenas eram curados em Nome do Senhor Jesus Cristo. Outros evangelistas tais como Oral Roberts, T.L. Osborne e A.A. Allen logo seguiram Irmão Branham e começaram seus próprios reavivamentos de cura. O Senhor chovia Suas bênçãos como nunca antes. A mão curadora de Jesus Cristo tinha, uma vez mais, tocado Seu povo.

 

A COLUNA DE FOGO

bro_branhamIrmão Branham frequentemente descreve uma Coluna de Fogo que vindicou seu Ministério. Ele esteve presente em seu nascimento, foi visto por milhares nas margens do Rio Ohio, e parecia segui-lo em qualquer lugar que ele fosse. Foi em 1950 que o Senhor deu tanto a crentes quantos descrentes semelhantemente prova infalível que esta Coluna de Fogo estava com o profeta.

A noite estava envolta em controvérsia no Coliseu San Houston. Irmão Branham estava dirigindo uma campanha de cura que estava varrendo a terra. As bênçãos do Senhor Jesus estavam se derramando como chuva torrencial sobre os campos espirituais de trigo. Mas, os grandes sinais e maravilhas não vieram sem crítica. Como sempre, o inimigo levantou um adversário. As duas forças se encontraram em Houston, Texas, e o Próprio Anjo do Senhor desceu para lutar a batalha.

Milhares já estavam presentes para testemunhar os incontáveis milagres que seguiam este homem de Deus. Um dia antes, um grupo de ministros desafiou o profeta para um debate sobre a cura divina, mas o debate caiu para velho e leal companheiro do profeta, o Reverendo F.F. Bosworth. Os muitos céticos eram defendidos por um pastor batista local – um crítico vocal da cura divina. A informação do debate foi vazada para os jornais, que rapidamente publicaram as manchetes, “O casaco de pele teológico voará às 19h hoje no Coliseu Sam Houston”.

O cético contratou um fotografo profissional, Ted Kipperman, do Douglas Studios, para documentar o debate com seis fotos falsificadas. Naquela noite, as fotos foram tiradas com Irmão Bosworth em pé modestamente enquanto o cético posava em posições intimidadoras; uma vez com seu dedo apontado no rosto do velho humilde.

Quando o debate começou, Irmão Bosworth rapidamente provou a certeza da cura divina com a evidência escriturística e, em seguida, para não deixar questionamento, pediu que se levantassem todos que tinham tido suas enfermidades curadas. Milhares se puseram de pé. Depois que aqueles que tinham sido curados, tomaram seus assentos, ele pediu se todos aqueles curados pela cura divina que eram membros permanentes da denominação deste homem se levantassem. Trezentos se puseram em pé para orgulhosamente exibirem a misericórdia que o Senhor Jesus tinha lhes mostrado.

O desafio, então, veio do cético. “Que o curador divino venha à frente. Que ele desempenhe”. Irmão Bosworth deixou claro que Jesus era o único curador divino, mas os desafios não paravam. Finalmente, o Irmão Bosworth convidou o Irmão Branham para vir até a plataforma. Ele aceitou o convite e assumiu a plataforma em meio a gritos de apoiadores.

O profeta, cheio do Espírito Santo, deu a seguinte resposta:

Então, eu disse, “Mas eu não posso – não posso curar ninguém”. Mas eu disse, “Isto eu realmente digo. Quando eu era bebê nascido lá no estado de Kentucky, de acordo com minha própria querida mãe, e que tem sido vindicado através de minha vida”, eu disse, “houve uma Luz que entrou no quarto daquela velha cabaninha, na onde estava, nada de piso nela, nem mesmo tinha uma janela, eles apenas tinham uma coisinha velha como janela ali, como uma portinha, e eles a empurravam para abrir por volta de cinco da manhã, e esta Luz circulou para dentro exatamente quando era alvorecer”. Eu disse, “Desde aquele tempo, Ela tem estado comigo. Ela é um Anjo de Deus. Ele encontrou-me em pessoa há alguns anos atrás. Por toda minha vida, Ele me disse coisas que aconteceram, e eu as contei exatamente como Ele contou-me. E eu desafio a qualquer um em qualquer lugar, a ir à cidade onde eu fui criado, ou em qualquer outro lugar, em que uma declaração tenha alguma vez sido feita no Nome do Senhor Jesus, senão aquilo que ocorreu exatamente do modo ela disse que ocorreria”.

Depois que ele disse aquelas palavras, o Espírito Santo caiu sobre a plataforma, e o fotógrafo empolgado tirou uma foto. O irmão Branham deixou a plataforma com uma declaração simples, não obstante, profética: “Deus testificará. Eu não direi mais nada”.

Coluna de fogo sobre a cabeça do irmão William Branham

O associado do senhor Kipperman foi rapidamente trabalhar para revelar os fotos para as notícias da manhã seguinte. Ele notou algo estranho quando ele puxou a primeira foto da solução reveladora. Ela, como as próximas cinco fotos, estava em branco. Ele agarrou seu coração e caiu para frente quando ele puxou a última impressão da solução. Ali, na última foto, estava a Coluna de Fogo em uma forma visível repousando sobre a cabeça do profeta de Deus, William Marrion Branham.

Os filhos de Israel testemunharam a Coluna de Fogo guiando Moisés, e o povo deste dia moderno testemunhou aquela mesma Coluna de Fogo guiando um outro profeta.

A fotografia foi rapidamente feita em direito autoral pelos Douglas Studios e entregue a George J. Lacy, Examinador de Documentos Questionáveis do F.B.I. dos E.U.A, que autenticou a foto com sua opinião de especialista, “A luz atingiu a lente da câmara. O ser sobrenatural estava ali’’.

OS MISTÉRIOS REVELADOS

No princípio do ministério do Irmão William Branham, tornou-se claro que o sistema denominacional foi construído para promover as organizações religiosas, e não o verdadeiro Evangelho. O irmão Branham acreditava na Bíblia palavra por palavra, e não se comprometeria, mesmo que isso significasse ser banido por seus colegas, amigos ou familiares.

Enquanto ainda membro da Igreja Batista Missionária, lhe foi dito que ordenasse mulheres como ministras. Ele conhecia bem as Escrituras. I Timóteo 2: 12 claramente diz, “Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio” e I Coríntios 14: 34 diz, “As mulheres estejam caladas nas igrejas, porque lhes não é permito falar…” Quando o ultimato foi dado, ele não conseguiu se comprometer e deixou a igreja.

Senhor revelou a verdade sobre o batismo ao irmão Branham. Como Jesus poderia comandar, “Ide, portanto, e ensinai a todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo”, não obstante, cada batismo registrado na Bíblia foi em Nome de Jesus Cristo? O apóstolo Pedro comandou em Atos 2:38 para se arrepender e ser batizado em Nome de Jesus Cristo. As Escrituras trabalham em perfeita unidade, no entanto, necessitou-se de um profeta para revelar este segredo.

Até mesmo o pecado original no Jardim do Éden foi revelado. Não como o comer uma fruta, mas pelo descrer da Palavra de Deus. Como comer um pedaço de fruta imediatamente revelou a Adão e Eva que eles estavam nus? Simplesmente não faz sentido. O que tem a ver uma maçã com a nudez? O profeta de Deus claramente revelou este segredo.

Quem são os anjos dos quais se fala em Apocalipse, capítulos 2 e 3? Seus nomes soam familiares. Quem são os misteriosos cavaleiros de Apocalipse, capítulo 6? Eles têm uma coisa muito importante em comum. Os Estados Unidos é mencionado no Livro de Apocalipse? Quem são os 144.000 que foram salvos no capítulo? Quem é a grande prostituta do capítulo 17? A identidade dela e todos estes segredos foram revelados na Mensagem deste poderoso profeta enviado por Deus. Tornou-se claro que este profeta cumpriu mais escrituras do que Malaquias 4.

Apocalipse 10:7 : ‘‘Mas nos dias da voz do sétimo anjo, quando tocar a sua trombeta, se cumprirá o segredo de Deus, como anunciou aos profetas, seus servos’’.

Uma Voz está clamando no mundo para que se volte à Palavra original de Deus. Cada um de nós temos a mesma oportunidade que Pedro, Tiago e João tiveram. Nós temos a oportunidade de sermos enumerados com os poucos seletos de Deus que não se curvariam às organizações religiosas do dia.

A Sagrada Escritura registra as vidas e atos destes homens que caminharam com Deus e eram tão ungidos com o Espírito Santo que eles declaravam ASSIM DIZ O SENHOR, e suas palavras eram confirmadas por sinais e maravilhas. Eles eram profetas de Deus, e a Voz de Deus para sua geração.

Os tempos são diferentes agora do que eles foram quando Jesus esteve aqui? Foram os líderes religiosos que crucificaram Jesus. Os discípulos eram uma diminuta minoria entre o enorme sistema religioso. Eles foram banidos, zombados e finalmente mortos por tomarem partido contra o sistema denominacional em voga. Nós não podemos ser mortos por nossas crenças hoje, mas nós certamente somos perseguidos. Um teste simples seria perguntar a qualquer pastor denominacional ou padre sobre o Irmão Branham e o seu Ministério. Você ouvirá que ele teve muitos milagres – eles não conseguem negar isto – mas, seus ensinamentos eram sem cabimento. O que eles diziam sobre Jesus?

Deus honrou a disposição do Irmão Branham em crer em cada palavra na Bíblia.