Tomé, Incrédulo Ou Verdadeiro?

Após essa análise, será que nós ainda temos em nossas mentes o mesmo conceito sobre Tomé? Ou será que vamos dizer/pensar que Jesus escolheu Tomé sem saber que ele era daquela maneira?

A maioria de nós, provavelmente, já leu ou ouviu falar acerca da posição de Tomé mediante a ressurreição de Jesus Cristo. Ao vermos a ação de Tomé não somos simpatizantes de sua atitude e até a consideramos um sinônimo de falta de fé. Mas, o que foi que induziu Tomé a descrer de maneira tão impetuosa?

Após Jesus ter escolhido Seus discípulos… Bom, podemos observar que alguns deles se destacavam mais que os outros por suas fortes características; o próprio Pedro que por possuir grande ousadia sempre precipitava-se e tomava a palavra antes dos demais discípulos, é um exemplo disso, por ter essa forte característica sempre se sobressaia mais que os outros, ainda que suas precipitações o levassem a ter atitudes reprováveis como o que aconteceu quando cortou a orelha do servo do sumo sacerdote no momento que foram levar Jesus perante o Sinédrio.

Tomé foi considerado como sendo um que não possuía muito destaque. Seu nome não foi citado em grandes momentos como os nomes de Pedro, de Tiago e de João no Monte da Transfiguração. Mas o que nos chama a atenção, é que na ocasião em que ele teve a oportunidade de se destacar adotou o posicionamento, no qual, no primeiro momento muitos de nós consideramos duvidoso.
Vemos esse fato em São João 20:19-25:
“19 Chegada, pois, a tarde daquele dia, o primeiro da semana, e cerradas as portas onde os discípulos, com medo dos judeus, se tinham ajuntado, chegou Jesus, e pôs-se no meio, e disse-lhes: Paz seja convosco!
20 E, dizendo isto, mostrou-lhes as suas mãos e o lado. De sorte que os discípulos se alegraram, vendo o Senhor.
21 Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco! Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós.
22 E, havendo dito isso, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo.
23 Àqueles a quem perdoardes os pecados, lhes são perdoados; e, àqueles a quem retiverdes lhes são retidos.
24 Ora, Tomé, um dos doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus.
25 Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele disse-lhes: Se eu não vir o sinal dos cravos em suas, e não meter o dedo no lugar dos cravos, e não meter a minha mão do seu lado, de maneira nenhuma o crerei.”

Na fala de Tomé podemos observar a veemência com que ele duvidou, mas, após observarmos a credibilidade de quem lhe contou a notícia, e analisarmos o contexto, refaçamos o quadro:

Estando os discípulos temerosos acerca do que lhes poderia suceder após a morte de Jesus, estavam trancados em uma sala numa tarde de domingo, e então Jesus aparece no meio deles e diz: “Paz seja convosco!”. E após cumprimentá-los, mostrou-lhes as feridas que os romanos fizeram em Suas mãos e pés (quando pregá-Lo no madeiro). Em seguida falou sobre o que deveriam fazer e desapareceu.

Logo após esse fato ter acontecido, Tomé, que era um dos doze discípulos, mas não estava presente no momento da aparição de Jesus, chegou. Aqui, podemos fazer uma inferência: em decorrência de Pedro ser o mais impulsivo, apressou-se para contar a notícia: “Tomé, vimos o Senhor”. Então Tomé se levanta com toda sua impetuosidade e faz sua declaração que de certa forma foi incrédula e arrogante: “Se eu não vir o sinal dos cravos, e não meter minha mão do seu lado, de maneira nenhuma o crerei”.

Suponhamos que a nós também fosse dada a oportunidade de opinar acerca da posição que Tomé tomou com relação ao fato (de querer provas). Fazendo uma avaliação rápida e crítica da situação muitos de nós diríamos quase que em unanimidade: “Quão decepcionante é ouvir isso de Tomé! Ele comeu com Jesus, andou com os discípulos e agora eles lhe contam a maior notícia que a humanidade precisava ouvir e ele nem mesmo para um momento para dar credibilidade a notícia; não é possível que Tomé teve a capacidade de pensar que Pedro e os demais estavam mentindo ao lhe dizer isso!” Essa muito provavelmente seria a primeira análise.

Porém, se fizermos uma avaliação minuciosa da postura do nosso irmão Tomé, veremos que ele disse que queria ‘meter’ o dedo nos buracos onde os pregos foram cravados. Ele queria ‘meter’ a mão no lado de Jesus. E é aí onde muitos de nós associamos tal fala à descrença. No entanto, se refletirmos melhor iremos ver que Tomé queria apenas estar certo de que não iria ser enganado por ninguém. Nem mesmo por seus irmãos de fé.

Com isso, poderemos dizer que a característica que Tomé tinha era a mesma característica que foi apresentada pelos crentes da era da igreja de Éfeso: ‘colocar à prova aqueles que se dizem ser’. Tomé, com ousadia, desafiou e colocou à prova A própria Palavra de Deus; pois o maior desejo que Tomé tinha, era ter sua própria experiência com Deus. Tomé não queria que Pedro e os demais lhe contassem a respeito da experiência que eles tiveram com ‘Jesus Ressuscitado’. Ele queria ter a sua própria relação pessoal com Jesus.

Termos analisado a posição de Tomé nos mostrou que ele era um crente verdadeiro; que não se deixou levar pelas pessoas mais próximas e confiáveis. Quando se tratou de sua experiência com Deus ele mesmo quis tocá-Lo. Tomé quis colocar as mãos na Sua redenção.

Aaah! Irmãos, se fôssemos verdadeiros como Tomé foi nós não seríamos facilmente levados e enganados por satanás.

Trazendo esse quadro para os nossos dias podemos ver que muitos hoje têm sido enganados por homens que se dizem ser, mas não são. Por homens que carregam a mensagem debaixo do braço, e mesmo assim negam a eficácia dela. Homens que por medo e covardia prendem seus rebanhos apenas com a mecânica da Palavra mantendo suas almas presas; não permitindo que tenham a dinâmica. Eles tomam apenas parte do que o profeta disse: “Fiquem ao lado de seu pastor.” Eles se esquecem de ficar com a Palavra.

Ôh! Se nós apenas pudéssemos ser como Tomé que ao duvidar estava sendo sincero e verdadeiro, sabendo que aquela atitude traria Jesus à cena em sua vida.

Após essa análise, será que nós ainda temos em nossas mentes o mesmo conceito sobre Tomé? Ou será que vamos dizer/pensar que Jesus escolheu Tomé sem saber que ele era daquela maneira? Certamente não podemos mais seguir com nossas opiniões sobre Tomé; pois Tomé estava ali para vindicar e nos ensinar como sermos cristãos verdadeiros.
“Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema”. Gálatas 1:8

Adquira Conhecimento

Adquira Conhecimento


2 comentários

  • Avatar
    Tonyanna Rose

    21/10/2019 as 21:05

    Meu Deus! Que liçao Tomé nos deixou. Maravilhosa meditaçao.

    Comentar

  • Avatar
    Elenice

    24/10/2019 as 19:10

    Graças a Deus que sempre nos livra de ficarmos equivocados em qualquer tópico da Palavra. Como uma moeda tem dois lados, assim também tem a verdadeira interpretação acima da nossa.

    Comentar

Deixe um Comentario

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *


Sobre nós

O Tabernáculo Belo Horizonte, uma congregação cristã, firma-se sobre as bases do Ministério Assim Está Escrito, edificado com a misericórdia e graça de Deus desde 1976, quando o pastor Wanderley Pereira Lemos começou esta tão grande obra nos pilares daquela mensagem, originada do nosso Senhor Jesus, na busca daqueles que O adorem em Espírito e verdade.


[email protected]

31 2513-0657



Newsletter


Categorias