Conhecendo As Pessoas Por Suas Ações | Programa Assim Está Escrito 199 | 03/11/2017

Menu

Culto Online Web Rádio

Conhecendo As Pessoas Por Suas Ações | Programa Assim Está Escrito 199 | 03/11/2017

Leitura Bíblica: Mateus 7: 15 ao 18

Se tomarmos um fruto mal de uma determinada árvore, deduziremos que a árvore é má devido ao seu fruto, que condiz como tal. Ou seja, a constatação da natureza daquela árvore é dada através dos seus frutos.
Na Bíblia, árvores representam pessoas, e na mesma encontramos a seguinte afirmação: “Pelos seus frutos os conhecereis”. Desta forma vemos que, através das manifestações de uma pessoa podemos identificar a sua natureza, a sua origem.
Mas nem sempre o descobrir da natureza de uma pessoa vem através do fruto manifestado por ela no momento presente. Podemos ver isso olhando para Pedro no momento em que o mesmo negou a Jesus. Poderíamos agir precipitadamente e o julgar como traidor por sua ação neste momento de fraqueza vivido por ele, mas ele não foi um traidor, ele apenas passou por um período de ausência do poder de Deus em sua vida. E com isso podemos tomar que, não é certo nos precipitarmos ao fazer um julgamento, pois a colheita é feita hoje, amanhã e também no outro dia, até que a conclusão dos frutos venha.
Usando como exemplo uma lagarta ao afetar um fruto bom de uma árvore, podemos perceber que um fruto afetado, não seria a evidência de que aquela árvore é má. Ora, ela apenas teve um de seus frutos afetado, e não a sua natureza, ela não deixou de ser uma boa árvore por ter um de seus frutos afetado por uma lagarta. Então, não devemos jamais nos precipitar ao julgar uma pessoa.
Jesus deu um padrão para que fosse possível conhecer se uma árvore (pessoa) era de origem má ou boa. Este padrão está no capítulo 8, nos versículos 37 e 43 do evangelho segundo São João, onde Jesus mostra aos fariseus que o que identificava a natureza deles era os seus frutos contrários à Palavra.
Há pessoas como Pedro, que traiu a Jesus, mas não são traidores, e há pessoas que aparentemente não causam um único dano à Palavra, mas elas definitivamente querem matar a Palavra, anular a Palavra e tornar a Palavra sem efeito.
Estas são pessoas que fazem parte de um grupo local, professando a mesma fé, o mesmo Deus, o mesmo credo, a mesma doutrina, contudo anulam a Palavra. Assim como em uma mata, é evidente a existência de algumas determinadas espécies de cipó, que indicam seu fruto pendurado em uma árvore, mas ao olharmos para a árvore vemos o fruto do cipó na mesma e não no cipó, devido o cipó estar entrelaçado no mesmo meio que aquela árvore. Com isso, vemos a necessidade do esperar e de observar antes do julgar.
Somos irmãos e se vemos um de nossos irmãos enfrentando uma luta em sua vida, devemos lutar do lado dele e não contra ele. Não devemos julgar as pessoas pelos seus frutos temporários, devemos esperar a próxima estação vir para averiguarmos com clareza os frutos da próxima estação e assim podermos afirmar a real natureza daquela pessoa.