Deus não é Repórter, é Sentinela | Pr. Wanderley Vilaça | 23/07/2017

Menu

Culto Online Web Rádio

Deus não é Repórter, é Sentinela | Pr. Wanderley Vilaça | 23/07/2017

Leitura Bíblica: Isaías 21 – 1 ao 12

Deus não é um “repórter”, que se encontra à espreita com expectativa para que algo aconteça, mas Ele é uma Sentinela. Antes que qualquer coisa aconteça, Ele nos avisa dos acontecimentos que sucederão.
Um verdadeiro filho de Deus, que se encontra em sua posição, nada o surpreende! Encontra se descansado no Doador do verdadeiro e tão grande Amor. Descansar é continuar trabalhando, diligentemente, fazendo mais firme sua vocação e eleição, confiando plenamente que Deus fará o que prometeu: Suas palavras e promessas serão cumpridas.
Nas cidades antigas, como as citadas nas Sagradas Escrituras, existiam sempre ali uma Sentinela. Um homem totalmente instruído, sábio, extremamente observador e atento, captando qualquer movimento, observando todos e quaisquer sinais na terra e nos céus, permanecendo em uma torre de vigia nos muros da cidade, tanto de dia quanto à noite.
Agora, nestes últimos instantes antes do Rapto, devemos estar atentos a todo acontecimento e movimento, porque aquele que está aguardando com convicção e expectativa uma saída súbita se encontra atento a todo movimento, como vemos em I Coríntios 14:8: “Porque, se a trombeta der sonido incerto, quem se preparará para a batalha?”. Na Páscoa, no primeiro êxodo, os filhos de Israel também estavam todos sob expectativa, em prontidão para a saída, expondo o Sinal.
Em II Reis 6, vemos que quando Israel estava em peleja contra a Síria, existia um profeta em Israel chamado Eliseu, que sempre avisava com antecedência sobre os movimentos do inimigo. Certa vez, o exército sírio cercou o profeta e Geazi, que estava amedrontado pelo perigo, mas Eliseu pediu a Deus que abrisse os olhos do moço para ver que o exército do Deus vivo estava em maior número, guardando-os. O mesmo poder que abriu os olhos do Geazi, cegou o exército inimigo, sendo que Eliseu os conduziu a Samaria, na presença do rei. Contudo, o profeta, quando abriu os olhos do inimigo, não mandou matar os inimigos, mas lhes ofereceu um banquete. Assim, vemos que a Palavra de Deus mostra muitas vezes que as coisas que damos tanto valor não têm tanto valor assim: de que adiantou a estratégia de guerra, os treinamentos e o armamento daquele exército sírio diante de um Deus que tudo vê? Assim como os jovens hebreus (Sadraque, Mesaque e Abednego) que, diante de uma estátua de ouro, de considerável valor monetário, não se intimidaram com as ameaças do rei da Babilônia para que a adorassem, sendo lançados na fornalha ardente. Mas, ali estava o Quarto Homem, e ao saírem livres do fogo, provaram que a estátua nenhum valor tinha diante daquele testemunho. O real valor não está naquilo que é aparente, mas no Amor Perfeito, como disse o profeta ao voltar da visão Além da Cortina do Tempo.
Jonas e Jeremias cumpriram a missão dada por Deus. Jonas pregou e uma cidade inteira foi salva, mas depois se entristeceu por Deus não ter condenado aquela cidade. Jeremias pregou por toda sua vida e ninguém creu. Mas, o que é obter sucesso senão cumprir aquilo que Deus determina? Jeremias não teve êxito em ter o povo lhe dando ouvido, mas ele mesmo deu ouvido à Deus e comprou o terreno designado por Deus, guardou as escrituras em vasos de barro, à porta da cidade, já sabendo que o exílio na Babilônia terminaria no tempo determinado por Deus.
O profeta irmão Branham nos adverte que não estamos imunes aos problemas. Problemas podem acontecer com pessoas corretas, atentas e com expectativa em relação à Palavra, assim como ocorreu com Jó, mas esse pode ser o momento em que Deus está “mais atento” a você. O Céu se encontra em suas mãos nestes momentos de batalhas e dificuldades!
Deus não prometeu nos livrar de todo os problemas, porém Sua Força é suficiente, porque Ele nunca colocará tanto sobre nós, a não ser que Ele nos dê Graça para suportar.