Lutas Não São Problemas, São Oportunidades | Programa Assim Está Escrito 166

Menu

Culto Online Web Rádio

Lutas Não São Problemas, São Oportunidades | Programa Assim Está Escrito 166

Um verdadeiro cristão busca continuamente pelas coisas de Deus, nunca estando desanimando e relaxado em buscar constantemente Sua presença, pois esse é o segredo da vitória: deixar Deus ter preeminência completa em sua vida. Satanás sabe que, estando o cristão na presença de Deus, ele não tem poder algum para alcançá – lo. Então, ele fica a espera para que ele saia de seu posicionamento, ausentando-se da presença de Deus, para que ele possa tragá-lo.
Mesmo sendo Jesus Deus, Ele não tinha completo domínio sobre as pessoas. Mas, Deus tinha completo domínio sobre Jesus. Em Sua presciência, Deus não O viu tendo preeminência somente sobre Jesus, mas Ele O viu tendo preeminência sobre todos os Seus filhos. E para que Deus pudesse ter este completo domínio sobre seus filhos, Ele precisou derramar-se sobre eles, então Ele Se derrama com o batismo do Espírito Santo, para que, assim como Jesus não fazia nada sem que antes o Pai lhe mostrasse, assim aqueles que O tem em si não fossem dominados por suas próprias vontades, mas sim pela vontade Dele.
A própria Palavra de Deus nos diz que as condições favoráveis para servirmos a Deus estando em Sua presença seriam tiradas, mas que em meio às lutas seríamos aperfeiçoados. E como verdadeiros cristãos, necessitamos entender que não são pelas condições que nos favorecem que vamos dar aquilo que temos que dar, mas sim pela ausência delas. A condição favorável que Deus nos concede hoje é o poder, que, nós como Sua noiva, temos para nos aprontar, pois temos recebido a Palavra, a vida.
É hora de a noiva subir um pouco mais acima das incompreensões, das conversas, dos escândalos, de subir mais acima de si mesma e estar na Presença de Deus constantemente, para que ela possa mostrar quem ela realmente é.
O que nos estrutura são as lutas e problemas. Ora, o próprio Jesus que nunca se quer cometeu uma única injustiça, foi açoitado, escarnecido, ridicularizado, blasfemado, torturado, forçado a levar a cruz e, por fim, crucificado. E vemos em Isaías 53 que, todavia, ao Senhor agradou moê-lo. Assim como Deus olhou para Jesus e agradou em ver Seu filho passando por tudo isso para que nós pudéssemos ser aperfeiçoados, Ele também olha para nós sabendo de nossas aflições, conhecendo os nossos problemas, desejando que subamos a um nível mais alto, onde possamos permanecer em Sua presença constantemente.