Nenhum comentário ainda

Há Poder Na Oração?

“A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos. Oh, se você apenas soubesse que, em sua mão, Cristo nos deu a autoridade, com Seu Nome, ao sermos cristãos, a arma mais poderosa que o mundo já conheceu. Oração; ela até mesmo muda tudo.”  Crendo Em Deus / Parágrafo 107

Em Malaquias 3:6 está escrito: “Eu, o Senhor, não mudo”. Similarmente, Tiago 1:17 diz : “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há oscilação como se vê nas nuvens inconstantes. Em Números 23:19 vemos : “Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa; porventura diria ele, e não o faria? Ou falaria, e não o confirmaria?”

Fundamentado nestes poucos versículos, podemos obter bases suficientes para afirmar que Deus não muda em nenhum aspecto existente. Então, como poderia a oração mudar o curso de tudo? Deus conhece todas as coisas, o princípio e o fim (Apocalipse 22:13 ; Efésios 1: 4), não é possível para Ele melhorar qualquer plano que Ele tenha feito, já que Seus planos são perfeitos (2 Samuel 22:31), e Ele mesmo afirmou que seus planos sempre prevalecerão (Isaías 46: 9-11). Então, como é possível a nossa oração influenciar a Deus que sempre conheceu todas as coisas desde a eternidade?

Olhando para a petição que Abraão fez a Deus, em prol dos justos que habitavam em Sodoma e Gomorra, é fácil vermos como alguém poderia pensar que suas petições poderiam influenciar a vontade de Deus (Gênesis 18). Moisés descendo do monte Sinai, após ter recebido os dez mandamentos, viu que o povo tinha pecado, e por este feito, Deus disse a Moisés que iria destruir aquela nação, mas, Moisés clamando a Deus intercedeu pelo povo e a Escritura diz que Deus se arrependeu do mal que iria lhes fazer (Êxodo 32). Josué disse ao Senhor na presença de Israel: ‘Sol, fique parado sobre Gibeão e você, lua, sobre o vale de Aijalom.’ Então o sol parou, e a lua parou, até a nação se vingar de seus inimigos. O sol parou no meio do céu e demorou a descer por um dia inteiro (Josué 10: 12,13). Ana era estéril, incapaz de ter filhos, mas indo ao templo orou fervorosamente para que Deus lhe desse um filho e mais tarde ela veio a conceber, dando à luz ao profeta Samuel (I Samuel 1:27). Elias orando intensamente para que não chovesse, não choveu na terra por três anos e meio, e novamente orando os céus deram chuva, e a terra produziu suas colheitas (Tiago 5: 16-18).

Essas poucas afirmações escriturísticas são um tanto quanto contraditórias para nossa mente humana, não?! Pois, se o clamor desses personagens pôde mudar o curso das coisas, essa ação sugere que a oração destes teve poder suficiente para influenciar a vontade de Deus, mudando assim o curso das coisas. E, em Efésios 1:11 diz: “Nele, digo, em quem também fomos feitos herança, havendo sido predestinados, conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade.” Ou seja, se Deus opera em nossas vidas, todas as coisas segundo o conselho de Sua vontade, Deus já decretou tudo o que virá  acontecer, incluindo nossas orações, de modo que todas as nossas orações estejam dentro de Sua vontade.

É claro que isso não significa que Deus olha para o futuro, vê as nossas orações e depois decide o que fazer com base em nossas petições. Até porque, isso violaria a Sua soberania, já que se Deus olhasse para o futuro para ver o que sucederá no amanhã, implicaria que Ele estava aprendendo, o que viria a contradizer I João 3:20, onde diz que Deus conhece todas as coisas. Mas, isso significa que ali era a Palavra de Deus sendo manifestada através de Seus filhos. Aquela era a manifestação de Cristo neles. Mas, como poderia estes manifestar Cristo?  Se Cristo nem mesmo havia sido manifesto em carne humana ainda?

Bem, estas questões sem sombra de dúvida poderiam emoldurar um grande e profundo debate, porém as escrituras são claras… E não há um Alguém melhor para nos dizer se Cristo realmente pode ser encontrado nas páginas do Antigo Testamento do que o próprio Cristo, pois foi Ele quem disse em João 5: 26: “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam”.

Um dos elementos mais empolgantes das Escrituras é o uso da tipologia, pois ela nos aponta a ideia de que pessoas (por exemplo, Moisés), eventos (por exemplo, o êxodo) e instituições (por exemplo, o templo) podem no plano de Deus prefigurar um estágio posterior nesse plano e fornecer a conceituação necessária para entendermos a intenção de Deus (por exemplo, a vinda de Cristo para ser o novo Moisés, para efetuar o novo êxodo e para ser o novo templo).

Todo o velho testamento anuncia a vida de Jesus através de tipos, nas entrelinhas. Toda a obra de Jesus está expressa no velho testamento através de histórias de pessoas que Deus selecionou como tipologistas. Isto nos leva a ter a mesma conclusão do profeta William Branham, o qual em um de seus sermões intitulado “A arca” no parágrafo 52 nos diz : “ (…) tudo no Velho Testamento tipificou perfeitamente a Cristo. E Cristo é o cumprimento de todo o Velho Testamento, foi cumprido em Jesus Cristo.”

Deus (Pai) foi manifesto em Cristo (Filho), e em Cristo habitava corporalmente toda a plenitude da Divindade (Colossenses 2:9). Simplificando; o Pai Se manifestou em carne humana, desta forma ganhando o título de Filho. Cristo foi à plena intercessão encarnada. E, sendo Cristo o cumprimento de todo o velho testamento, temos como conclusão que quando estes personagens clamaram e mudou-se o curso das coisas, não eram eles fazendo a intercessão, mas sim, Cristo entrando na brecha por eles. Deus revelando a Si mesmo através de Cristo.

Em João 14: 13,14 está escrito: “E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei.” A citação “em meu nome” referida nesta escritura significa : “em meu lugar”. Ou seja, Cristo está dizendo que se pedimos em ‘Seu lugar’ alguma coisa, Ele O fará!

Mas, olhemos agora um pouco para os nossos dias atuais… Em Hebreus 13:8 diz“O Senhor Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente”. Com base nesta escritura, não poderíamos nós voltar o nosso pensamento para os nossos dias com fé de que se O Espírito de Cristo manifestou através destes personagens no passado, e hoje Ele está manifestado corporalmente novamente através de Sua Igreja, fazendo as mesmas coisas, as mesmas obras?!

Na mensagem intitulada “Para que foi dado O Espírito Santo?” no parágrafo 94 o profeta William Branham diz: “O Espírito Santo vem para te dar poder. (…) O Espírito Santo vem para te dar poder (…), te dar poder, poder na oração”. A Palavra de Deus diz que a oração de um justo pode muito em seus efeitos (Tiago 5:16). Um verdadeiro cristão batizado com o Espírito Santo, que é o Espírito que estava em Cristo, tem poder suficiente para mudar o curso das coisas através de sua oração. Creia e peça em lugar Dele quando orares. Perceba que o poder foi dado a você!

“Agora, ao longo desta jornada, Ele prometeu suprir tudo de que precisamos: “Tudo o que pedirdes ao Pai em Meu Nome, isso eu farei. Quaisquer que sejam as coisas (Marcos 11:24) … Quaisquer que sejam as coisas que desejarem. Quando você orar, acredite que você o recebe, você o terá. ” Agora, Ele nos deu a arma mais forte que existe em todo o mundo, e isso é oração. A oração é o que muda as coisas. O cristão não percebe que força ele tem quando se ajoelha diante do Deus Todo Poderoso em Nome de Jesus Cristo. Ele não percebe que poder que é. Se o povo pudesse apenas perceber que é dado a eles, qualquer coisa que você pedir será dada se você puder se apropriar da fé para acreditar. Pois a Palavra de Deus é verdadeira.”  Meu Anjo Irá Diante De Ti -13 de fevereiro de 1953 / Tradução em inglês

Redação Assim Está Escrito

Postar um comentário: