6

A Quem Tens Chamado De Amigo?

O psicólogo e pesquisador norte americano Abraham Harold Maslow, teve como um grande sucesso em sua carreira profissional a “hierarquia das necessidades”. Maslow definiu hierarquicamente os vários tipos de necessidade humana, desde a mais básica a mais complexa. De acordo com sua teoria, tais precisam ser saciadas de maneira hierárquica. Como é possível observar na pirâmide abaixo:

Desta forma, é necessário que o indivíduo alcance cada uma destas etapas para sentir-se feliz. Porém, este artigo não abordará todos os tipos de necessidade, será focado apenas na ‘necessidade social’, para o embasamento do assunto central.

Sendo o ‘modo de vida social’ uma necessidade humana, certamente há de se notar que as pessoas estão sempre buscando ter bons relacionamentos e boas formas de interação com outras pessoas. No manual da vida, a Bíblia, pode-se encontrar várias citações a respeito do quão bom é ter amizade e companheirismo uns com os outros. No “Programa Assim Está Escrito”, apresentado com o tema: “Um Amigo Mais Chegado Que Um Irmão”, transmitido no dia 8 de julho de 2016, o Pr. Wanderley Vilaça explana este assunto com muita propriedade, abordando o motivo e a necessidade de se ter amigos e de gostar de estar próximos uns dos outros.

Motivos para se relacionar não faltam, pois além de ser muito bom, há base Bíblica e científica para comprovar o quanto isso é necessário. Um amigo pode ser uma verdadeira benção; a própria representação de Deus na vida de uma pessoa.

“Em todo tempo ama o amigo, e na angústia se faz o irmão.”

Provérbios 17:17

Ter boas amizades é, realmente, um bom amparo para qualquer pessoa. É provável que uma pessoa, por inúmeras vezes, tenha se sentido melhor com algumas atitudes vindas de seus amigos, e que esses amigos por muitas vezes, possam ter sido verdadeiros “anjos vestidos de homens”; lhe amparando nos momentos mais difíceis de sua vida. Fato é, que, o “mundo das amizades” parece ser um paraíso, aparentando ser uma das poucas “coisas” em que não existe a maldade.

Efésios 1:8 mostra que é necessário estar revestido de prudência e sabedoria. Ezequiel 44:23 instruí a saber distinguir o ‘santo’ do ‘profano’, discernindo o que é limpo e o que é imundo. E é aí que deve entrar a “visão de águia”, criteriosa, que o cristão tem, e que deve ser usada para discernir as coisas boas do que é sombrio-personificado. Com esta visão é possível ter um pouco mais de sensatez em relação a amizade. Uma análise detalhada das relações sociais de cada um, permite descobrir: a quem tem chamado de amigo. Permite também descobrir aqueles que realmente são os verdadeiros na hora da angústia. E aqueles que são apenas usurpadores ganhando espaço nas vidas alheias.

Que tipo de conceito tem tido em relação ao companheirismo? Será que o verdadeiro companheirismo Bíblico citado tantas vezes pelo Profeta William Branham, o “Companheirismo ao redor da Palavra” se baseia e se justifica nos conceitos individuais? A análise detalhada, serve ainda, para que se possa ver com clareza que o significado do verdadeiro companheirismo, o companheirismo ao redor da Palavra, foi distorcido, e constantemente tem sido usado para justificar as muitas “festanças”, promovidas por muitos e que vêm sendo feitas em nome da “amizade”.

“Jamais me sentei na companhia dos que se divertem, nunca participei de suas festanças. Sentei-me sozinho, porque a tua mão estava sobre mim e me encheste de indignação.” Jeremias 15:17– Versão King James

Hoje, muitas pessoas se encontram tão necessitadas de amizade, que facilmente abrem suas casas e suas vidas para todos aqueles que se apresentam como amigos. Os critérios que tornam alguém “amigo” e o faz apto a ser conselheiro, devem ser muito bem analisados, pois não há garantias de que tal “amigo-conselheiro” seja confiável. Os adolescentes e jovens na maioria das vezes estão mais suscetíveis a isso, preferindo dar ouvidos aos supostos “amigos” e não a seus próprios pais; pois a eles parece mais lógico que os conselhos de alguém da sua idade sejam mais adequados.

Este mundo está corrompido pelo pecado; onde nem mesmo vivendo entre irmão, se pode acomodar e esquecer de observar os critérios na hora de fazer amigos, pois toda igreja é composta por três classes distintas de crentes. Ser conquistado facilmente por qualquer um, incluindo, aqueles que dizem: “crescemos juntos”, é um erro. É necessário sondar todas as intenções de amizades.

Um falso amigo pode facilmente destruir vidas sem que isso seja percebido, e assim, pessoas continuarão a ver suas atitudes como benéficas, mesmo não sendo, assim, poderá ser tarde demais quando for percebido. É por isso que o cristão precisa ser “astuto como uma serpente” para não cair em tais situações. Sendo este assunto tão abrangente, este artigo abre um parêntese e reconhece que, toda a razão deve ser dada ao Pr. Wanderley Lemos pelas diversas correções em relação a este tema. “Pais, protejam seus lares das amizades pegajosas e exageradas. Não deixem que seus pequeninos inocentes se envolvam com crianças indevidas. Sejam firmes e exigentes em relação a isso.”

A Bíblia ensina em Provérbios 27:17, que, assim como o ferro afia o ferro, o homem “afia” o seu amigo. Desta feita, um verdadeiro amigo deve tornar o seu amigo uma pessoa melhor e mais próxima de Deus. Cada um é influenciado para melhor ou para pior pelas pessoas com quem convive. “Anda com os sábios e serás sábio, mas o companheiro dos tolos sofre aflição.” Provérbios 13:20

A alimentação é uma outra necessidade humana que pode ser saciada de forma saudável ou de forma ruim; alimentos gordurosos, açucarados e industrializados causam mal a saúde. De igual forma, a necessidade social também pode ser saciada de duas formas, a saudável que é edificante e que se torna uma benção. Ou, a que se torna uma verdadeira ruína, que destrói e prejudica não só a saúde, mas toda a vida natural e espiritual. Com isso, é necessário discernir através do Espírito Santo o que é puro e o que é impuro.

Não se deixem enganar: “as más companhias corrompem os bons costumes”

I Coríntios 15:33

Contudo, é melhor ter poucos, mas, “amigos genuínos”. Que ter muitos amigos, e estes serem “amigos falsos”. E além de tudo isso, existe um ‘Amigo’ que não precisa de nenhum critério para aceitar sua amizade. Assim como Abraão rejeitou os caminhos do mundo e foi chamado ‘amigo de Deus’, rejeite também o que não vem d’Ele e O chame de amigo.

“O homem que tem muitos amigos, tem-nos para a sua ruína; mas há um amigo que é mais chegado do que um irmão.”

Provérbios 18:24

Redação Assim Está Escrito 

Comentários(6)

  1. Responder
    Fernanda Maria says:

    A pura verdade! Muitos se apresentam como amigos mas são verdadeiras ruínas… Discernimento é tudo e o cristão precisa muito saber disso

  2. Responder
    Sara Maria Gonçalves says:

    Ser Amigo e ser verdadeiro sincero e saber se a pessoa que se diz amigo e companheiro de verdade e te defende quando Ele sabe que você não está errado

  3. Responder
    Wesley Alves says:

    Simplesmente, pura verdade!!!

  4. Responder
    Renata de Assis dos Santos says:

    É pura verdade, tem pessoas que se fazem amigos só por puro interesse, quando encontra outra pessoa que lhe pode gerar mais benefícios, desprezam aquele que tanto lhes ajudou e muitas vezes são tão sutis, que só percebemos depois de algum estrago feito.

  5. Responder
    Luiz Carlos says:

    Maravilhoso este artigo, que está palavra possa ser vivificadas em nossos seres dando nos discernimento do verdadeiro amigo shalom aos irmãos de Belo Horizonte

  6. Responder
    Mirna Faria says:

    Um amigo verdadeiro não apoia o erro! Excelente artigo.

Postar um comentário: