2

Sua Carne Está Em Festa?

O calendário do mundo segue sem falhar. Muitas pessoas estão prontas para entrarem na famosa folia de todos os anos, o carnaval. O qual tem origem pertencente aos deuses estranhos e idólatras. Porém, dessas festas as pessoas não se enfadam. Elas não se importam com o que têm que fazer para alimentar as “vibrações da carne”.

Por um período de tempo o calendário do mundo não marca nada. É quando os sinos de Natal se silenciam para um breve descanso, para logo recomeçar com o barulho das escolas de sambas. Nas madrugadas de carnaval ninguém percebe o cantar do galo; pois são poucos os que assim como Pedro, tiveram a revelação de que a hora em que estão vivendo, é, para arrependimento.

Depois de tantas campanhas de fraternidade em torno do nascimento de Jesus, o país virou a página do calendário, mudando junto com ela o foco. Passando de um estado religioso para um estado de escarnecimento. Mas, que não deixa de ser a mesma coisa, pois apenas mudaram de fantasias; os banners do menino Jesus na manjedoura saem e dão lugar a mulheres nuas, homoxessuais, cervejas, artistas e as muitas cenas escandalosas que levam as pessoas ao delírio. Nas vitrines as “árvores de Natal” foram desmanchadas e nelas agora o que vemos são “monstros” e “caveiras”. Desapareceram os “anjos do natal”, e o famoso Papai Noel também ganhou outra forma: “rei momo”.

Os foliões pensam que cumpriram com todas as suas obrigações cristãs no natal. Que todo aquele “ritual natalino” que fizeram foi o suficiente para herdar o Reino do Céu, e assim sentem-se aliviados em suas consciências. Pensam que é hora do divertimento sem limite. Quando a verdade, é que não podem perder muito tempo, afinal, o fim vem. Então, movidos por essa urgência eles cometem todos os tipos de coisas e pecados, sem nem sequer pensarem em suas ações; e após o carnaval recebem a cinza do sacrifício do qual eles são os culpados: uma quarentena, chamada de quaresma, período em que jejuam não podendo beber, comer carne, ou qualquer outra coisa que represente um grande sacrifício até o chamado sábado de aleluia, onde voltam a ser foliões e caem na farra outra vez. Quanto engano! Escarnecem mais uma vez dos quarenta dias que Cristo jejuou.

Religiosos festejando nos carnavais, vestidos com fantasias de demônios, como figuras do inferno, mulheres ficam nuas… e enquanto isso Jesus é deixado lá no presépio em forma de manjedoura. Eles o abandonaram lá. E a cena se repete: “Não precisamos nos preocupar. Se dermos a oportunidade para Ele, não vai demorar e Ele estará no templo ensinando até os doutores. É hora de prepararmos a festa para prendê-Lo e crucificá-Lo outra vez”. No calendário do mundo, a cada mês do ano “podemos fazer com Jesus o que quisermos”, e isso não trará condenação alguma para nós.

Tudo isso para eles é apenas uma brincadeira. Um divertimento. É apenas um bom motivo para irmos às ruas e nos esquecermos do dia 25 de dezembro, data na qual muitos de nós, quando crianças, ouvimos nossos pais nos falarem, que o carnaval surgiu quando Jesus foi levado para ser crucificado, pois enquanto Jesus descia pelas ruas carregando sua cruz, uma multidão de pessoas pulava e dançava atrás d’Ele com todo o tipo de batuque, escárnio e riso. Como é no carnaval hoje, lá também as mulheres dançavam, gritavam, davam gargalhadas rodopiando com suas faces pintadas.

Em Mateus 27:27-31 diz: “E logo, os soldados do governador conduziram Jesus à audiência, reunindo junto a Ele toda a coorte. E, despindo-O, cobriram-Lhe com uma capa escarlate. E, tecendo uma coroa de espinhos, puseram-lhe na cabeça e, em sua mão direita, uma cana; e, ajoelhando diante dele, o escarneciam, dizendo: Salve, Rei dos judeus! E, cuspindo nele, tiraram-lhe a cana e batiam-lhe com ela na cabeça. E, depois de o haverem escarnecido, tiraram-lhe a capa, vestiram-lhe as suas vestes e o levaram para ser crucificado.” E assim Jesus desceu às ruas de Jerusalém feito um palhaço, e todos riam d’Ele. E ali iniciou-se o carnaval de zombarias. Agora, o pior que se deve saber é que atrás desse Verdadeiro Rei Jesus carregando uma cruz, vinham multidões de religiosos casados com a política. Saindo de suas sinagogas, deixando seus templos e se misturando. E isso continua hoje, ainda mais forte nos que se dizem “evangélicos”. Eles trazem em si faixas em uma marcha para Jesus, com a desculpa de receber alimento para suas carnes perambulantes. Fazem isso porque não suportam ver o movimento do mundo. Suas carnes pulam. O comichão permanece em seus ouvidos. Estão cheios de carnalidade e coisas inúteis. Vazios e enjoados de seus cultos de fé mascarados. E com “desculpas” vão às ruas satisfazerem seus desejos, escondidos por detrás de uma chamada “igreja”, fazendo manifestações: carnavais evangélicos para Jesus; marcha para Jesus a qual não serve para nada! Como se Cristo precisasse disso.

No dia da crucificação de Jesus todas as autoridades religiosas e políticas assentaram-se nos seus palanques para assistir o “bloco da folia” passar. O tema era: Jesus, Rei dos Judeus. É impossível não crer que isso é a verdade. Não há nada que o diabo invente que não seja para provocar, envergonhar e zombar do evangelho de Deus na tentativa de tirar Sua glória. Assim, o diabo segue usando uma fantasia que imita a do Rei que só Jesus é. Com o ódio expressado. Tentando tirar e roubar a única Majestade. Vemos isso se repetindo hoje de várias formas, basta que fiquemos atentos aos espíritos que estão por detrás de épocas e datas. No Natal eles colocam um homem com excesso de peso chamado “papai noel”. Agora o mesmo vem vestido de “rei momo” sambando na frente de um bloco. Um espírito que apenas mudou de máscara, e agora ele é carnavalesco, e se apresenta na frente das baterias das escolas de samba, onde o povo adora ao “rei e sua rainha”. Uma pura imitação de Cristo com sua noiva.

Não seria esse um paradoxo? Um homem mascarado tentando apagar a imagem do nosso Rei Jesus? Seu desejo é ir à frente do povo para ser saudado pelas nações, usando uma máscara de rei, mas que não é rei. É falsificador! Um fanfarrão! Mas a noiva de Cristo já sabe quem ele é, e sabe também, que é ele quem está agindo por detrás dessas tantas máscaras.

A única coisa que encontramos capaz de provar esse “incesto”, são as zombarias que fizeram com Cristo, o Senhor. Desta maneira podemos ver que a atitude de muitos/foliões servem apenas para os demônios debocharem. E são esses mesmos demônios que lhes dão inspirações para promoverem tais eventos, onde eles podem enganar a muitos até a morte, levando-os ao precipício do inferno. E assim como eles brincam de carnaval, os demônios fazem de suas almas brinquedos que servem apenas como diversão nas mãos do diabo. Pessoas que se tornam verdadeiros “fantoches”, sem a revelação da hora em que estão vivendo, por viver enganadas pelo mundo.

Não vemos nada de Deus dentro das denominações nestes dias. Tudo o que vemos são festas de carnaval, danças do ventre, fantasias, aeróbicas, coreografias, mímicas… coisas inúteis e sem sentido algum. Coisas mundanas que não fazem diferença nenhuma! Mas foi sempre assim; quantas vezes já vimos eles zombarem de ‘Adão e Eva’ no carnaval? Quantas vezes já vimos eles zombarem de ‘Moisés’? E zombarem de ‘Davi’? Poderiam zombar de Jezabel, mas não zombam pois ela é uma “deusa” para eles. Jezabel é a mediadora entre a união política e religiosa. Eles deveriam se lembrar de que foi ela quem “sempre matou” os profetas, mas eles não lembram. Esqueceram-se também que, ela foi comida pelos cães.

Naquele dia quando Jesus passou pelas ruas de Jerusalém carregando sua cruz, levando os nossos pecados, um certo homem chamado Cirineu apareceu para lhe ajudar a carregar a cruz que nós deveríamos carregar. O que podemos crer, é que ele apareceu porque sabia e conhecia Quem estava ali, servindo de motivo para tantas zombarias. Porém hoje, os verdadeiros Cireneu’s não comparecem a esses lugares, e nem mesmo assistem a tais lembranças desse homicídio contra Cristo.

E nós, sendo verdadeiros cristãos, estamos aguardando o dia que iremos coroar o nosso Rei Jesus com vestes reais, com um nome escrito em Suas coxas e a espada de Rei em suas mãos. E quando esse dia chegar, o adoraremos com cânticos e em festa celebraremos por uma eternidade. O mundo religioso, seus cultos, suas igrejas, suas manifestações, suas máscaras, suas roupas, suas tatuagens, suas prosperidades… suas instituições de caridade terão servido apenas para dar inspiração e revelação ao profeta, que na mensagem ‘Eu Acuso Esta Geração Por Crucificar a Cristo Novamente’, no parágrafo 69, diz exatamente: “E AGORA, SOBRE ESTA BASE EU ACUSO A ESTA GERAÇÃO PELA CRUCIFICAÇÃO DE JESUS CRISTO, POR CRUCIFICAR E CULPAR. COM MÃOS DENOMINACIONAIS SUJAS; INÍQUAS E EGOÍSTAS TEM CRUCIFICADO AO PRÍNCIPE DA VIDA QUE QUIS APRESENTAR A SI MESMO AO POVO”.

Redação Assim Está Escrito 

Comentários(2)

  1. Responder
    Assim Está Escrito says:

    Sim, uma face desta festividade que o mundo não (quer) ver!

  2. Responder
    Maria das Graças says:

    Eu nunca gostei disso carnaval pra mim desde criança sempre foi festa do diabo graças a Deus hoje sou um serva de Deus sou grata por ele ter me escolhida antes da fundação do mundo sou noiva de Jesus Cristo Nosso Senhor Salvador 👏🏻👏🏻👋🏻

Postar um comentário: