O Sono E A Saúde | Parte II – Sonho Ou Pesadelo? | Assim Está Escrito

Quanto mais se têm duração do sono encurtada, ou seja, quanto menos você dorme, mais chances você tem de ficar deprimido, cabisbaixo, impactado emocionalmente e também há chance aumentada para desencadear pensamentos depreciativos.

Olá, preciosos!

Saudações, saúde!

O nosso sono é geneticamente programado e determinado biologicamente para que na nossa espécie humana ocorra à noite, e a nossa vigília, ou seja, o nosso estado disperso, funcione durante o dia.

Daí um grave problema para trabalhadores noturnos (desenvolvimento do transtorno de ritmo do sono: repercussões fisiológicas, sociais e psicológicas). E um alerta: não dá para modificar biologicamente, alterar tal ocorrência, por mais que tentem (inclusive há uma “vantagem financeira” para trabalhos do contraturno, mas, não há lucro para saúde física e mental)!

Permanecer acordado durante à noite e dormir durante o dia favorece uma verdadeira desordem em nosso relógio biológico (núcleo supraquiasmático, porção anterior do hipotálamo, na base do cérebro).

O que significa dormir à noite? Há uma estrutura neural que deflagra o processo de sono. Nisto, inicia-se também outros ritmos em nosso organismo, ao longo da noite, como o ritmo da melatonina – hormônio sincronizador do sono. Outros efeitos são: redução da temperatura do nosso organismo, diminuição das atividades do nosso metabolismo, assim como acontece a queda sensível da nossa pressão arterial e os batimentos cardíacos reduzem sua velocidade.

Assim, dormir durante o dia não possui a mesma qualidade de dormir durante à noite. Biologicamente, os ritmos fisiológicos que funcionam durante o dia favorecem que a pessoa fique desperta (acordada). E isso retira a preservação de elementos importantes que só ocorrem no sono noturno. Um grande detalhe: uma única noite de privação do sono pode influenciar negativamente na resposta imunológica do sono.

A “baguncinha” causada ao nosso ritmo fisiológico é o grande responsável por alterações gastrointestinais da pressão arterial. Pessoas sofrem de hipertensão, diabetes e em pesquisas avançadas, há correlação ao câncer.

Retomando um tópico no primeiro texto, vamos clarear a relação da privação do sono com a obesidade e doenças cardíacas. Quando ocorre a privação do dormir, você vai tendo cansaço, baixos níveis de leptina, aumento dos níveis de grelina (ambos são hormônios que são responsáveis por regular o nosso apetite) e de outros hormônios que aumentam, e quando aumentam os níveis de grelina, a gente vai ter aumento da fome e diminuição do gasto energético em função desta privação de sono.

E quando os níveis de leptina (responsáveis pela saciedade) abaixam, o organismo entende que você não está satisfeito e precisa comer mais. Esta ingestão está com diminuição metabólica durante à noite. Havendo uma redução da atividade metabólica, tende então a ter um aumento em função desta ingestão de alimentos. E sabe qual é o efeito? Ganho de peso, junto, obviamente, com a diminuição ou mesmo ausência de atividades físicas.

Uma outra consequência de você não dormir é o risco de ter doenças cardíacas. Existem também várias pesquisas e estudos muito controlados, com estudos randomizados (integrantes escolhidos de forma aleatória), com grupos de controle (pessoas como base para efeito de comparação) e grupos experimentais mostrando essa relação. Quando o dormir resulta em péssima qualidade e com duração encurtada, disponibiliza-se uma alta chance de desenvolver uma associação com doenças cardíacas ao longo prazo e acidente vascular cerebral.

Quanto à insônia, as pesquisas nos auxiliam bastante nas constatações: pessoas que tinham insônia apresentaram prejuízo no reconhecimento de emoções faciais, erraram muito na relação social e padecem para identificar ou, às vezes, nem identificar corretamente como pessoas à sua frente estavam se sentindo (em realização de experimentos); possui dificuldade em fazer uma brincadeira fora do contexto e visível queda na funções executivas (que são processos cognitivos de ordem complexas que estão relacionadas a tomada de decisão, a criatividade, a flexibilidade cognitiva, a memória operacional).

E as consequências de uma ausência de sono? Desde irritabilidade, fadiga, cansaço para realizar atividades ocupacionais, laborais, prejuízos atencionais, prejuízo de concentração, de memória dentre outros.

Quanto mais se têm duração do sono encurtada, ou seja, quanto menos você dorme, mais chances você tem de ficar deprimido, cabisbaixo, impactado emocionalmente e também há chance aumentada para desencadear pensamentos depreciativos.

Pausa na leitura! Assim que puder, ao chegar em casa, não demore para descansar! Enquanto isso, te espero na nossa terceira e última parte da série… Aproveite, e até breve!

Tiago José

Sou o irmão Tiago José, um estudante das Ciências Humanas, formado em Psicologia e em formação nas áreas correlacionadas do conhecimento, onde a prática e a teoria se tornam cotidianas, principalmente na convivência com as pessoas com quem passamos a maior parte do nosso dia, de nossas vidas. Por esse oportuno espaço se encontrará um ambiente para desenvolvermos juntos a virtude da sensibilidade que proporciona o conhecimento de que cada pessoa possui sua particular história, e a partir daí, seus impactos e resultados. A dinâmica psíquica também será abordada em nossas falas.


Deixe um Comentario

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *


Sobre nós

O Tabernáculo Belo Horizonte, uma congregação cristã, firma-se sobre as bases do Ministério Assim Está Escrito, edificado com a misericórdia e graça de Deus desde 1976, quando o pastor Wanderley Pereira Lemos começou esta tão grande obra nos pilares daquela mensagem, originada do nosso Senhor Jesus, na busca daqueles que O adorem em Espírito e verdade.


[email protected]

31 2513-0657



Newsletter


    Categorias