Deus Em Plenitude, Requerendo Plenitude De Seu Povo | Pr. Wanderley Vilaça | 17/03/2019

Leitura Bíblica: Lucas 10:25

Mensagens Citadas: A Reação A Uma Ação; A Era de Laodicéia

Fomos ensinados por nosso profeta, que a pressa é uma das grandes ruínas da nossa herança; pois ela sempre nos faz querer passar por cima da vontade de Deus. Na mensagem ‘Reação A Uma Ação’ o profeta William Marrion Branham nos mostra, que não conseguiremos nada de Deus, sem que antes, nos acheguemos a Ele. Nós, seres humanos, temos a característica de sermos parciais em nossas atitudes e atividades fazendo muitas vezes, trabalhos que são 90% bom e os outros 10% sendo feitos de qualquer maneira; o que vai gerando dentro de nós um conformismo em não sermos completos. Somos parciais (incompletos) em nossos trabalhos seculares, em nossos relacionamentos familiares e até mesmo nos nossos concertos/desculpas com o próximo. Temos o costume de fazer tudo de qualquer maneira.

No entanto, precisamos ser completos em ‘tudo’ o que fazemos. Não somente como profissionais, mas, completos como marido, esposa, pais, mães e em todos os sentidos de nossas vidas. O maior exemplo que podemos tomar de um homem completo, é O Senhor Jesus Cristo, que foi um homem completo em tudo; no momento em que chamou atenção dos que vendiam no Templo, foi completo e os repreendeu até que eles entendessem e saíssem levando seus produtos dali. E também Sua redenção era completa; pois quando Ele perdoava alguém, fazia isso de forma perfeita, como quando disse à Maria Madalena: “Mulher, seus muitos pecados foram perdoados”. Ele perdoou completamente aquela mulher, e ninguém jamais a viu retornando para as antigas práticas pecaminosas.

Na Escritura de São Lucas 7:36, quando Jesus foi convidado por Simão para ir a sua casa, vemos que uma mulher pecadora se prostrou aos pés de Jesus derramando sobre eles perfume e lavando-os com lágrimas. Aquela mulher estava colocando diante de Jesus tudo o que tinha, ainda que tudo que ela tivesse nada fosse. Mesmo assim ela deu ‘tudo’ de si. Ela deu tudo o que possuía: seu sincero arrependimento. O grande problema é que nos tornamos cristãos tão parciais, que nem o nosso arrependimento funciona com Deus. Pois até nossas lágrimas têm sido derramadas de qualquer maneira.

As Virgens Néscias, em Mateus 25, tinham um pouco de azeite em suas lâmpadas, porém não era sobressalente, o que as tornava incompletas, e por isso o Noivo não “entrou” a elas (não teve intimidade com elas). Também vimos, que enquanto as néscias saíram para buscar mais azeite, o Noivo veio e esvaziou-Se completamente nas virgens prudentes (as que estavam com suas lâmpadas completamente cheias de azeite).

Em Gênesis 27, podemos ver mais um exemplo da plenitude de Deus: depois de Isaque ter abençoado a Jacó, ele diz a Esaú que não restava mais herança alguma para lhe ser dada (tudo o que Isaque possuía, havia sido dado a Jacó); provando que Deus não faz nada de forma parcial.

Deus se faz sempre em plenitude. E plenitude é o que Ele requer de nós. A responsabilidade de atuar na obra de Deus é algo extremamente pesado. Deus nem mesmo aceita nossos momentos de angústia como uma desculpa para não sermos completos.

Em Ezequiel 18, diz que se um justo pecar, no seu pecado será tratado, e todas as suas justiças passadas não serão lembradas. Se o pecador se arrepender e consertar (fizer o correto), todas as suas transgressões passadas não serão lembradas, mas serão tratadas no seu acerto. Esconder iniquidade no coração significa não ser completo. A iniquidade é o que causa distância entre nós e Deus. Ser verdadeiro é o contrário de não ser completo. Davi depois de pecar, pediu a Deus um coração novo, que pudesse o condenar sempre que estivesse em pecado. Precisamos de um coração que nos condene também quando fizermos coisas “meia boca”, parcialmente. Temos que ser perfeitos e completos a favor da Obra do Senhor Jesus Cristo!

Na mensagem ‘Reação A Uma Ação’, o profeta conta sobre um episódio, onde ele não foi verdadeiro com alguns advogados que o estavam investigando, e por isso quando ele foi orar pela cura de um bebê, a voz de Deus ecoou em sua mente perguntando: “Vai orar por este bebê? Você é um mentiroso”. Somos agraciados por Deus quando nosso coração nos condena por algo, pois é Deus nos chamando a um conserto. Mas será que quando estamos errados podemos ouvir essa Voz nos perguntando: “Vais tocar? Vais cantar? Vais pregar? Ou vais fazer algo para Deus?” O irmão Branham só pôde orar pelo bebê após fazer um completo conserto com o advogado e com Deus. Que sempre haja essa Voz nos alertando sobre as iniquidades escondidas em nossos corações e nos levando a plenitude.

Postar um comentário: