Ele É Apenas O Homem, Como Disse Pilatos? | Pr. Wanderley Vilaça | 25/10/2018

Leitura Bíblica: São João 18:37-40 e 19:1-5

Ao ser apresentado diante de Pilatos, Jesus, disse-lhe que havia vindo ao mundo a fim de dar testemunho da verdade. E, tendo Pilatos autoridade/poder, dizia poder libertar a Jesus. No entanto, Jesus apenas observava Pilatos, conhecendo cada um de seus atos e intenções, pois o havia criado. E Pilatos não encontrando nenhum crime Nele para julgá-Lo, apelou para a decisão do povo que escolheu dar liberdade a Barrabás ao invés de Jesus. Todavia, Jesus, mesmo sendo Deus, nunca teve por usurpação ser igual a Deus. Ele era o “Eu Sou” (existente de Si mesmo).

Deus é infinito. Não sabemos nada sobre Ele ainda. O profeta disse que passaremos a eternidade conhecendo a Deus. E lá, Ele passará toda a eternidade manifestando mais de Si mesmo a nós. Assim podemos ver que mesmo que chegássemos a ter todo o conhecimento que o profeta teve acerca do Senhor Jesus Cristo, ainda não seria o suficiente para conhecê-Lo.

Nos dias de Jesus, muitos buscavam algo na Sua vida para usar aquilo para fazer com que outros falassem e descressem Dele. Estes diziam: “Este é o ‘Rei dos Judeus’; nasceu em um estábulo no final de uma rua sem saída; não possui estudo/formação… é apenas um simples carpinteiro.” No entanto, Aquele que falava diante dos homens não tinha nenhuma evidência de rei. Até mesmo Pilatos não conseguiu ver nenhuma característica de rei Nele. Todavia, ali, era Deus “driblando” os homens.

Jesus foi considerado por alguns ‘o grande líder de Israel’, o que foi uma decepção para aqueles que bateram Nele. Ele não teve nenhuma reação. Se Sansão estivesse ali, tudo seria agitado. No entanto Cristo não veio para usurpar. Ele não tinha nenhuma formosura e nem usou de Seu poder. Todavia, como uma ovelha muda Ele não abriu a boca. Assim como Jesus também fomos chamados para sermos como ovelhas mudas perante os tosquiadores, tendo um testemunho vivo.

Os soldados armados achando que seria difícil abatê-Lo, perguntaram: “Quem é Jesus de Nazaré?” E Jesus apresentando-se em simplicidade e humildade, disse: “Sou Eu!’ Os soldados desejavam afligi-Lo, no entanto, Jesus manteve-Se o tempo todo em silêncio, sendo cuspido, açoitado… e coroado com uma coroa de espinhos. O objetivo dos soldados era chegar no ponto fraco de Jesus, porém, não conseguiram. Jesus não tinha ponto fraco. Ele apenas permaneceu quieto! Eles bateram em Nele até se cansarem, mas Jesus não reagiu a nenhum de seus ataques. Mas Ele disse: “todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do Homem será perdoado, mas ao que blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado”. Aí é o próprio Senhor Jesus Cristo em carne!

O mensageiro e a mensagem são a mesma coisa. De igual forma, os filhos de Deus e Deus são um. Os Seus filhos são a “Noiva Palavra”.

O profeta disse que se este mundo durasse mais cinquenta anos, todas as pessoas se tornariam enlouquecidas. E a modernidade fez com que o mundo se enlouquecesse. As coisas/pessoas ao nosso redor não são modernas; são loucas! No entanto, nós não temos que acompanhar os loucos! Pois o que o mundo está tentando injetar nas pessoas é loucura! E esta afirmação vem Daquele que tem a Palavra que penetra na intenção dos pensamentos e do coração. Aquele que possui a espada aguda de dois gumes’.

Nós viemos ao mundo para testemunhar, influenciar… e cumprir o que Deus nos chamou para fazer. Estamos aqui para alguém olhar para nós, e mesmo que não concordando com nossa vida cristã, seja capaz de dizer: “Ele é verdadeiro. Ele não mente e não faz nada de errado”. Isto é ser a Palavra! E para isso viemos à terra. Fomos eleitos antes da fundação do mundo para sermos irrepreensíveis! Que a acusação contra nós seja: “Está se achando santo? Sim! Somos santos! Deus nos enviou aqui para isso!

Deus precisa anunciar Sua Palavra. E há um tempo determinado para que esta Palavra seja pregada. Não somos profissionais mas sabemos realizar a colheita. E o nosso salário é a eternidade. Sendo assim, se chegarmos diante do Patrão apresentando apenas o ‘pouco’ que conseguimos, não fiquemos frustrados. Fomos chamados para isso. Se conseguirmos influenciar apenas um… foi para isso que viemos. E nisto estamos descansados!

Paulo viveu em um tempo onde andava de navio e a cavalo; ele nasceu para aquilo. De igual forma, o profeta também em seu tempo teve que andar de terno e pregar no meio do povo. No entanto, se hoje temos outros meios para realizarmos a obra de Deus, nós o faremos como nos foi requerido. Nascemos para isso! Assim sendo, não precisamos ser mais humildes do que nos é requerido. Humildade é vir da forma que nós viemos; como Ele requereu. E compreender isto nos faz ser vencedores!

 

Postar um comentário: