Culto de Santa Ceia | Pr. Wanderley Lemos | 11/08/2019

Leitura Bíblica: Marcos 4:35-41

“A fé não é concreta apenas no sentido físico. Ela é subjetiva. A fé para mover montanha não consiste apenas em mover algum monte fisicamente de um lugar para outro. Mas é também, e sobretudo, mover “montanhas” em nossas vidas.”

Sempre aconteceu de haver em todas as Eras um grupo que viveu plenamente os acontecimentos presentes, captando o movimento (ação) de Deus para o dia. E assim podemos ver, que, Deus “trabalha a Bíblia” em etapas que se interligam. Se conectam. Antes nós recebíamos interpretações errôneas da Bíblia; por isso não a vivíamos da maneira correta. Até que o próprio Autor da Bíblia desceu e A revelou corretamente para nós; foi quando nós cremos na ‘Abertura da Palavra’, e então a Bíblia se fez nova para nós. Com isso entendemos, que Deus não está interessado naqueles que O rejeitam. Deus está interessado nos Seus. Portanto Ele sempre há de mostrar/revelar algo para benefício dos Seus, dando-lhes capacidade para captar os acontecimentos do momento; pois o que move Deus é: termos a luz (revelação) de quem Ele é. E Ele sempre será revelado através da Sua atuação no dia.

E é exatamente por termos recebido de Deus a revelação do dia que podemos enquadrar, na ‘Abertura da Palavra’, as escrituras de São Marcos capítulo 4, do versículo 35 em diante.

O versículo 35 começa com a frase “E, naquele dia…” Essa frase nos mostra um tempo no qual uma multidão estava com Jesus, porém, em determinado momento Ele teria que a deixar e sair daquela dimensão para outra dimensão (sair do natural). Assim como em nossos dias, as pessoas daquele dia pensavam que Jesus tinha que permanecer somente na primeira etapa (cura divina-natural), não percebiam, assim como as pessoas deste dia não percebem que cura divina e coisas naturais foram apenas “iscas” para chamar a atenção delas/nossa para um Deus que tinha/tem planos muito maiores. E Jesus desejava que as pessoas compreendessem que Ele iria sair daquela etapa porque a vida com Cristo é um constante progresso, mas que também vissem que Ele não deixaria de ser curador. 

Por não conseguir compreender que haveriam coisas além do natural, uma grande multidão se perdeu ainda na primeira etapa. É por isso que não podemos pensar só em benefícios temporais. Esse nunca foi o objetivo de Deus. Precisamos entender que o fim da primeira etapa não anula a cura divina; mas após Jesus passar para a segunda etapa a cura divina passou a não ser o principal. E da mesma forma também não podemos permanecer presos na segunda etapa; pois ao compreender as escrituras Jesus toma a iniciativa de passar outra banda,  mostrando que aquela “dimensão” não poderia continuar a existir. E toda vez que Jesus avança com Seus planos temos que avançar com Ele. 

Observemos que o versículo continua dizendo: “…sendo já a última hora..” Com essa expressão compreendemos, que uma era estava se findando. E aplicando isso em nossos dias, através da mensagem do profeta podemos ver que esta é a era de Laodicéia.

E diz ainda: “…Já era tarde…” Jesus precisava mudar de etapa. E é dessa forma conosco. Cada um de nós tem que passar por etapas na vida pessoal, e Deus não poderá começar uma nova etapa em nossas vidas se nós estivermos estagnados. Portanto, ao sermos convidados por Jesus para sair, sigamos-No. Não podemos ficar presos em homens. Nós precisaremos estar com Jesus quando a noite vier. Deixemos que ‘o ministério da terceira etapa’ desça aos nossos corações! Sabemos que no tempo da tarde o Anjo Forte veio e disse: “Já é tarde. Não haverá mais tempo”. Mas, Ele também disse que iria haver um amanhã! Um novo dia!

No versículo 36, lemos:E eles, deixando a multidão, o levaram consigo, assim como estava, no barco; e havia com ele outros barquinhos.” Jesus saiu da era, chamou Seus discípulos para entrar no barco, e permitiu que outros que estavam ao redor, em expectativa, O seguisse. Assim também aconteceu conosco. Estávamos em expectativa, e quando vimos o barquinho d’Ele partir, fomos atrás. E ir atrás significa nos desligar das coisas deste mundo. É preciso deixar até mesmo  a nossa ligação parental para sermos cristãos, pois caso contrário não poderemos crescer na fé. Nós somos diferentes na maneira de ver a Mensagem da hora. Cuidemos para que a nossa fé nela não morra! Quando trazemos o evangelho para nossas vidas, ele renasce em nós! 

Versículo 37 diz: “E levantou-se grande temporal de vento, e subiam as ondas por cima do barco, de maneira que já se enchia de água”. O principal sinal de que o barco está afundando é justamente começar a se encher de água. Muitas vezes, quando nos encontramos nessa situação a fé foge do controle e o pavor é tão grande que ficamos em dúvida se estamos fazendo o que é correto… Todavia, Jesus é responsável pela vida de cada um que colocou no barco. Cada um que Ele trouxe para a revelação da hora. Basta confiarmos em Seu Plano para nós.

Versículo 38“E Ele estava na popa dormindo sobre uma almofada…” Jesus estava na popa (a parte traseira do barco- final), e mesmo que aparentemente estivesse dormindo, isso  não tirava d’Ele a condição de ‘o Anjo do Senhor’. Jesus era/é a Luz do mundo; a que salvou aquele barco, e que agora chegou para nós através da Abertura da Palavra; e desde então o Anjo Forte tem estado na popa do nosso barco.

Versículo 41“Quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem?” Jesus ordenou que o mar se calasse para que o barulho dele não impedisse que Seus discípulos ouvissem a Sua voz. Assim também, hoje, Ele tem eliminado através da ‘Abertura da Palavra’ qualquer barulho que poderia nos impedir de ouvir Sua voz. Sigamos sempre a Jesus!

Comentário(1)

  1. Responder
    Natanael Santiago says:

    Deus abençoe a todos irmão Natanael Santiago em Araxá

Postar um comentário: