O Descanso Trazido Pelo Dia da Expiação | Pr. Wanderley Vilaça | 25/08/2019

Leitura Bíblica: Levítico 16:29-34

Em Levítico 16:29-30, lemos sobre quando Deus instituiu em Israel o dia da expiação e também lemos sobre o mandamento para que nenhuma obra servil fosse realizada; pois neste dia em questão o pecador deveria apresentar ao sacerdote um cordeiro perfeito para fazer expiação pelos pecados. Porém, para que a expiação fosse aceita por Deus o pecador deveria ter sua alma afligida.

O sacerdote tinha por dever examinar, preparar e sacrificar o animal para o sangue do mesmo ser apresentado a Deus. Isso tinha que ser feito pelo sacerdote para que o pecador alcançasse seu perdão através de Deus e não por meio de seus próprios esforços (obra servil). Então, quando o sacerdote levava o sangue daquele animal para dentro do templo o pecador ficava do lado de fora aguardando em expectativa para saber se Deus iria aceitá-lo ou não. Quando o sacrifício era aceito o sacerdote colocava o rosto para fora do véu; então o pecador sabia que tinha sido aceito por Deus e ele não teria que morrer.

Muitas vezes, nós, mesmo sendo cristãos possuímos “características caimitas”, que são adquiridas por causa da influência do Éden sobre a nossa carne. Mas, assim como no Velho Testamento, ainda há expiação por nossos pecados; pelos pecados voluntários e os involuntários. Todavia, para que a expiação dos nossos pecados seja aceita por Deus precisamos aceitar a mensagem de um ‘Deus-Profeta’ para o dia. Pois a mensagem do profeta veio para nos mostrar qual é o nosso sábado-descanso. Logo, somente a Mensagem deste profeta tem o poder para tirar nossas “características caimitas” e expiar toda transgressão cometida por nossa natureza humana.

A ‘Abertura da Palavra’ trouxe à nós a revelação dos segredos de Apocalipse 10:7; revelando para nós que nós podemos ser limpos e puros diante de Deus. Portanto, todo pecado confessado com um coração afligido será expiado e extinto diante de Deus de forma que quando nossos pecados são confessados, Deus os apaga e não os revela nem mesmo para Seus profetas. Isso acontece porque Deus quer que estejamos limpos para que possamos entrar livremente em Sua presença e pedir a Ele tudo o que quisermos.

Para usufruirmos do descanso que a Palavra traz é necessário que estejamos revestidos (II Coríntios 5:4) com uma proteção: um novo corpo (teofânico e/ou glorificado). No verso 6 de II Coríntios, diz que aquele que anda segundo carne está ausente de Deus; mas, isso não significa que estando neste corpo terreno sem ainda ter alcançado o corpo glorificado, estejamos distantes de Deus. Pois Deus nos deu o Espírito Santo como penhor, garantia de recebimento de um corpo glorificado. Espírito Santo o qual revesti-nos de proteção; concedendo-nos liberdade para entrar na presença de Deus. Isso nos traz segurança e ter essa segurança nos traz pleno descanso.

Todavia, se tratarmos a Mensagem do profeta com desdém nunca iremos encontrar descanso para nossas almas; pois essa é a única Mensagem que nos mostra a forma correta de estarmos revestidos diante de Deus: Sermos Vestidos pelo Espírito Santo.

Postar um comentário: