Tempo De Comoção, Um Estágio Imprescindível | Assim Está Escrito

Quando há acusações desnecessárias, difamações alheias, desacato às autoridades onde até mesmo situações críticas viram chacotas maledicentes, qual é a melhor posição a ser tomada?

Geralmente quando temos de enfrentar situações que ocasionam grandes transtornos, principalmente um acontecimento social, o primeiro efeito, entre outras observações, é a paralisação natural do corpo; é aquilo que conhecemos como ‘Estado de Choque’, estado este que se identifica por um ou mais dos seguintes sintomas: tontura, pulso fraco, olhar fixo, pupilas dilatadas, atordoamento…

Os acontecimentos, quando olhados amplamente, podem ser eventos já conhecidos, de uma certa maneira, por terem sido abordados nas aulas de teorias que recebemos durante a vida, algo sobre o que aprendemos quando estudamos, lemos e pesquisamos. Depois de aprender sobre algo, chega o período de provação. Ou seja, momento de analisar se aquilo que está acontecendo é realmente aquilo sobre o que aprendemos. Pois bem, é assim também, para nós cristãos; o momento de provação é o instante em que vemos de que somos feitos. É o momento de observar aquilo que precisa ser realizado, vivido!

Temos visto agitação, nervosismo, caos, desespero, clamor, falta de siso, prostração, reclamação, maledicência, tristeza, enfim, uma verdadeira comoção em um tempo onde precisamos nos portar diferente dos adjetivos acima! Haveria sentido se apenas estudássemos e não progredirmos nas práticas? De que serviria a parte teórica, o aprendizado e o conhecimento se não houvessem as provas? Então qual é o motivo das lamentações diante da guerra, do aperto, das intempéries?

Quando há acusações desnecessárias, difamações alheias, desacato às autoridades onde até mesmo situações críticas viram chacotas maledicentes, qual é a melhor posição a ser tomada? Os Colossenses foram aconselhados sobre o que para nós é de suma importância: ”a vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como deveis responder a cada um (4:6)”. Interessante que os Efésios também tiveram a mesma orientação: “não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, conforme a necessidade, para que beneficie aos que a ouvem (4:29)”.

Quando as contas podem não fechar dentro do orçamento, quanto as dificuldades tendem a aumentar, quando os alimentos querem anunciar sua diminuição, quando a possibilidade do emprego finalizar, o primeiro comportamento é a prostração, inanição, lamentação, revolta e teimosias; pensamentos e ações antes não existentes no dia a dia, não se some a esse grupo de cabisbaixos, pois São Pedro nos convidou a sermos diferentes: “Lançai sobre ele toda vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” (I Pedro 5:7). Salomão reforça que “a ansiedade do coração do homem o abate, mas uma boa palavra o alegra” (Provérbios 12:25). Olhe o tanto de verdadeiros guerreiros a sua volta! Há uma família da Semente Real ainda nessa terra; se vê auxiliados por eles, os quais se unem em sãs palavras e atmosfera suave. Não se dê por vencido, não deixe que ansiedade faça de sua existência uma mórbida amizade!

Quando em momentos de imensas informações circulando desvairadamente a velocidade da luz, quando apresenta uma infinidade de notícias sem cunho verídico (fake news) que criam um verdadeiro mercado lucrativo a preço da saúde da população, quando informações mais desequilibram do que ajudam e trazendo repercussões negativas de grandes proporções, segue a fonte correta! Os tessalonicenses aprenderam isso, com São Paulo: “agora rogamos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós, e os que presidem sobre vós no Senhor, e vos admoestam” (I Tessalonicenses 5:12). Segue somente as orientações das autoridades, incluindo especialmente aos anjos da igrejas, conhecidos também como pastores. São eles os canais ungidos por Deus para nos orientar da melhor forma possível. Valorizemos o tempo que nossos ministros se dedicam ao Senhor em prol da saúde dos filhos de Deus! Lembra das pragas do Egito? Onde estavam os filhos de Deus? Lembra da cidade de Gósen? Foi a cidade dada por Deus, por intermédio de Moisés para que em momentos de maldições os israelitas habitassem com segurança.

Bom, poderíamos preencher folhas e mais folhas falando do poder do Sacrifício, do Sangue, da Coluna de Fogo, do profeta e tantos recursos disponibilizados, falados, pregados e escritos para todos nós. Pois a realidade é que aulas foram passadas, as orientações estão aí. Não há momento de comoção, mas, de aplicação do conhecimento adquirido!

É hora de Expor o sinal, e não apenas falar do sinal. 

Usufrui do estágio, da prática! Aplique o Poder da Palavra! Descanse na fortaleza do nosso Deus! Mostra de que você foi feito! Demonstra de Onde você veio! Esforça e tenha bom ânimo! Será que Deus te escolheu de maneira equivocada? Faça valer a pena cada momento desse fiel e necessário estágio nesses últimos tempos! O mundo precisa saber que ainda há um Povo diferente nessa terra! Siga, prossiga, e não pare!

3 comentários

  • Avatar
    Isabel Cristina

    24/04/2020 as 09:36

    Amém!! Estamos descansados nesse ministério que Deus nos deu!! 🙌🏽

    Comentar

  • Avatar
    Adriana Silva

    24/04/2020 as 13:20

    Até aqui nos ajudou o Senhor!

    Comentar

  • Avatar
    Marisa de oliveira costa Melo

    24/04/2020 as 13:51

    Amém!!
    Louvado seja!
    Obrigado a todos os ministros.
    Deus continue abençoando a todos.

    Comentar

Deixe um Comentario

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *


Sobre nós

O Tabernáculo Belo Horizonte, uma congregação cristã, firma-se sobre as bases do Ministério Assim Está Escrito, edificado com a misericórdia e graça de Deus desde 1976, quando o pastor Wanderley Pereira Lemos começou esta tão grande obra nos pilares daquela mensagem, originada do nosso Senhor Jesus, na busca daqueles que O adorem em Espírito e verdade.


[email protected]

31 2513-0657



Newsletter


Categorias